A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Rotary Clube e ETS se unem em campanha educativa contra a paralisia infantil

O Rotary Clube de São Sebastião, em parceria com a Escola Técnica da Saúde (ETS), iniciou esta semana uma campanha educativa para conscientização da população acerca da erradicação da poliomielite município. O Rotary e a ETS estão trabalhando em conjunto aos esforços da secretaria de Saúde (Sesau).
Segundo Eliane Biazio, presidente do Rotary Clube, desde abril, as entidades estão elaborando um projeto para poder desenvolver o trabalho educativo. “Baseado em dados obtidos através da Sesau, criamos um mecanismo para trabalhar em cima dos bairros que não atingiram os 95% preconizados pelo Ministério da Saúde na vacinação. Porém como nosso município é bastante extenso, enfrentaremos algumas dificuldades geográficas, de logística. E a partir disso, partimos do consenso de dividir as regiões do município”.
A presidente contou ainda que serão três escolas visitadas, a primeira foi na noite de ontem, na Costa Norte, E.E. Maria José da Penha Frugoli, no bairro da Enseada. Hoje, a visita será na região Central, na E.E. Maísa Theodoro da Silva e na Costa Sul, amanhã será a vez da E.E. Guiomar de Melo, em Boiçucanga.
“O principal objetivo é o levarmos essa informação a toda população, montamos um calendário em parceria com a ETS. A campanha está centralizada nesta semana, que é a que antecede a segunda fase da campanha de vacinação contra a pólio que começa no próximo dia 13”. De acordo com Eliane, a associação buscou desenvolver este trabalho em parceria com a ETS por compreender que um dos aspectos para a erradicação da paralisia infantil deva ser educativo. “Embora a doença esteja erradicada no Brasil, isto é, não existe na forma endêmica, ainda existem casos isolados. Portanto, precisamos fortalecer a ideia da vacinação constante, em crianças de até 5 anos”.
Eliane reafirmou que apesar de no Brasil não existir mais surto de pólio, ainda há em países do Oriente Médio e da África. “E essa é a justificativa para realizarmos esse grandioso trabalho enquanto Rotary Internacional. Um dos principais aspectos da Campanha é de conscientizar pais jovens, que quando nasceram não tiveram contato com o surto, com a epidemia, portanto, eles não valorizam a questão, pois ouvem desde criança que a doença já teria sido erradicada, então acabam não vacinando seus filhos porque a doença não existe. Temos que conscientizá-los de que ainda existe poliomielite no mundo, nos países de infraestrutura precária. E as pessoas precisam entender que em processos migratórios, ou seja, na saída e entrada de pessoas diferentes do país, pode trazer de volta ao Brasil uma situação endêmica da doença.
A presidente declarou ainda que a campanha educativa veio colaborar com o trabalho desenvolvido pela Sesau, no aspecto que tange a importância da vacinação especificamente. “Em função disso, procuramos a ETS que já tem um perfil de trabalho voluntário e comunitário muito grande. Foi uma maneira de ampliarmos este trabalho, fortalecendo a campanha através da participação de uma instituição educacional”.
Já a diretora geral da ETS, Kathia da Motta Soares Ramos de Aquino, disse que a campanha educativa conta com o apoio de 30 alunos da ETS. “A Escola Técnica é um espaço democrático, sempre buscamos parcerias com instituições privadas, ou com associações, de modo que possamos levar para diversas áreas para que possamos aplicar nosso perfil pedagógico educativo. E esta parceria com o Rotary é rica, porque é nesse momento que vemos nossos objetivos e metas realmente acontecendo. Nossa escola é essencialmente técnica e profissional, e quando promovemos parcerias, proporcionamos aos alunos a oportunidade de serem protagonistas das ações. Para que lançados ao mercado de trabalho possuam a bagagem e experiência necessária para atuar. Nossos alunos darão todo o aparato técnico para que os pais possam de fato se conscientizar sobre a vacinação”.

A Fundação Rotária é a alma do Rotary Internacional. A missão da fundação é capacitar rotarianos, para promover a paz e compreensão mundial, através de apoio, iniciativas de combate a pobreza e melhoria da saúde e educação. A Fundação Rotária possui vários programas internacionais. Dentre eles o Pólio Plus, cuja meta é a certificação da erradicação da poliomielite no mundo.
A campanha é voltada para a comunidade local, mas está inserida dentro de um programa da pólio no mundo. Há muitos anos, quando a pólio ainda era uma ameaça, o Rotary Internacional se mobilizou com a intenção de sanar o problema, naquele tempo era o vírus tipo 1. Depois de diversos investimentos em pesquisas e com a criação da vacina, para muitos países que ainda não possuem auto-suficiência e dependem do Rotary Internacional para adquirir a vacina.
Quando houve a mutação do tipo 2 e a do tipo 3 , os casos de pólio aumentaram e novamente o Rotary se movimentou com intuito de erradicar a pólio. Porém nem todo o dinheiro para os investimentos vieram de eventos rotarianos. A Fundação Bill e Melinda Gates doaram ao Rotary US$ 155 milhões em reconhecimento à causa. Há três anos ele doou, de novo, mais U$$ 200 milhões, só que pediu uma equiparação ao Clube.
Este por sua vez, possui diversos programas para captar recursos, e vai dobrar o investimento, ate o dia 30 de junho de 2012, ou seja, serão US$ 400 milhões investidos no programa de erradicação da pólio. Em São Sebastião, o Macarrão ao Vivo, é um exemplo de programa de captação de verba para a causa rotariana de erradicação da poliomielite. Portanto, quando o cidadão compra o convite do Macarrão ao Vivo está ajudando a erradicar a pólio no mundo.

Nenhum comentário: