Linguiça - Moreira Artesanal

Linguiça - Moreira Artesanal

Cabeça's Barbearia

Cabeça's Barbearia
Av. Pres. Castelo Branco, Sumaré /anexo ao posto Shell, Caraguatatuba, (12) 99616-7705

terça-feira, 9 de outubro de 2012

O mensalão e as eleições

Quem primeiro entendeu que o mensalão deveria influenciar negativamente para o PT nas eleições foi o Lula, quando pediu ao presidente do STF, Gilmar Mendes, que o julgamento do mensalão fosse adiado para depois das eleições. 

Faz quase cinco meses que isso aconteceu. Talvez Lula nem sonhasse que Delúbio, Genoino e Zé Dirceu fossem receber os primeiros votos condenatórios no Supremo. 

Ou talvez Lula sentisse que a cúpula de réus do PT iria ser condenada, como está hoje sendo, e receava que isso fosse provocar impacto negativo para o PT junto ao eleitorado. 

Apesar de análises esparsas na imprensa de que o mensalão influiu nas eleições, a Folha de S. Paulo de ontem fez entrevista de página inteira com o professor de filosofia da Unicamp e pesquisador do Cebrap Marcos Nobre, quando o entrevistado declarou taxativamente que o peso do mensalão nesta eleição foi próximo de zero. 

Não pude ficar alheio a essa questão importante do clima psicológico desta eleição que se feriu agora e me meti na discussão do tema no Sala de Redação de ontem, quando o Lauro Quadros disse que não houve influência do mensalão nas eleições, tanto que Lula sozinho conseguiu fazer o milagre de conduzir Fernando Haddad, do PT, ao segundo turno da eleição para a prefeitura de São Paulo. 

Eu objetei ao Lauro que a ascensão de Haddad ao segundo turno na Pauliceia se deveu menos à indiferença do eleitorado pelo mensalão do que pela queda violenta de Celso Russomanno nos últimos dias da campanha eleitoral. 

Também usei o argumento de que Lula não está entre os 37 réus do mensalão, portanto podia agir livremente para criar, erigir e patrocinar a candidatura de Haddad em São Paulo. 

E fiz ironia, desafiando o Lauro Quadros: “Põe o José Dirceu no palanque do Haddad no segundo turno e verás o resultado da eleição”. 

O Lauro Quadros insinuou que o mensalão não influiu nas eleições de anteontem. E tem razão o Lauro Quadros: o Partido dos Trabalhadores, que havia eleito 558 prefeitos em todo o Brasil em 2004, anteontem elegeu 624, o que prova que o povo nem ligou para o mensalão na hora de votar. 

Duas pessoas me telefonaram para saber se eu estava brincando quando disse que recebi telefonema do ministro Ayres Britto, presidente do Supremo Tribunal Federal, em meio ao julgamento do mensalão. 

Respondi que não era brincadeira minha, que foi real o telefonema e até dei às duas pessoas o número do telefone do ministro para que se certificassem do ocorrido. 

Falar com um presidente do Supremo parece a muita gente um fato inacreditável. 

O Grêmio joga sem Marcelo Moreno as próximas três partidas por ele estar convocado para a seleção boliviana. 

Interessante, o melhor jogador do Brasil no momento é Ronaldinho Gaúcho e ele não é convocado para a Seleção Brasileira, não desfalcando assim o Atlético Mineiro. 

O Fred é atualmente o maior centroavante do Brasil e não é convocado para a Seleção Brasileira, vive, portanto, marcando gols para o líder Fluminense. 

Está na cara que há mutreta nisso.

Escritora tira roupa em livraria de São Paulo para "estimular a leitura"



  • A escritora Vanessa de Oliveira (de pé) em protesto contra a pirataria em uma livraria de São Paulo junto de uma integrante do grupo Femem (12/08/12)
    A escritora Vanessa de Oliveira (de pé) em protesto contra a pirataria em uma livraria de São Paulo junto de uma integrante do grupo Femem 
A escritora Vanessa de Oliveira ficou nua em uma livraria de São Paulo neste domingo (12), para protestar contra a pirataria em um ato que afirma também servir de estímulo à leitura.

Ex-garota de programa e autora de livros sobre sexo, a autora esteve acompanhada de uma integrante do grupo feminista Femem, que também ficou nua em apoio à causa de Vanessa.
"Eu me inspirei inicialmente na Marcha das Vadias”, disse Vanessa ao UOL. “Depois conheci o Femem e achei a minha cara. É neofeminismo, é exatamente o que nós precisamos. Eu e o Femem tivemos essa coincidência de ideologia”.

O protesto foi feito durante o lançamento de seu novo livro, "Psicopatas do Coração", baseado em um antigo relacionamento destrutivo da autora. “Eu explico a outras mulheres, com conhecimento de causa, a como sair do relacionamento com um psicopata”, definiu.

Vanessa já havia feito um protesto nu no Peru, onde falou que a cultura de pirataria está muito enraizada. “Recebi uma resposta muito positiva dos peruanos”, falou. “Já o brasileiro sensualiza muito as coisas e tem mais dificuldade em entender [os protestos] como uma campanha”.

Vanessa discordou do também escritor Paulo Coelho, que chega a incentivar a pirataria de suas obras para divulgá-las. “Paulo Coelho nunca teria existido se seus livros fossem pirateados antes que ele estivesse estabelecido como escritor”, defendeu.

O protesto reuniu curiosos na Avenida Paulista em torno das janelas da livraria, que puderam conferir por trás o protesto. Nem todos sabiam do que se tratava. “Fica fechado lá dentro, é difícil entender o que está acontecendo”, disse o empresário Eduardo, que não quis revelar o seu sobrenome. Em geral, a resposta do público ao ato de Vanessa parece ser positiva também aqui no Brasil. “Eu não sei o que ela defende, mas eu apoio”, garantiu o garçom de um bar das redondezas que assistia ao evento.

E agora Doutor?

Vamos ver quantos multas e representações os candidatos que cometerão crimes eleitorais 

vão ter em Caraguá!!!! Por exemplo: jogar panfletos e em locais de votação e outros... 

Vc sabia que jogar panfletos e em locais de votação é caracterizado boca de urna? 

Se é boca de urna é crime...

PM mobiliza-se contra onda de mortes em Santos-SP


O comando da Polícia Militar (PM) do Estado de São Paulo começou a se mobilizar contra uma série de assassinatos que aconteceram na Baixada Santista. Na madrugada deste domingo, um sargento foi morto e, em apenas quatro dias, ao menos outros 13 assassinatos foram registrados na região. Neste domingo, o secretário de Estado da Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto, e o comandante da PM, coronel Roberval Ferreira França, reuniram-se na sede do comando da polícia em Santos para tomar uma série de providências.
A primeira medida de emergência foi o encaminhamento de policiais das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) para reforçar o policiamento da região e sem data para que o grupamento retorne à capital paulista. Os assassinatos começaram na quinta-feira (04), quando sete pessoas foram mortas em um intervalo de 20 horas no Distrito de Vicente de Carvalho, no Guarujá.
No fim de semana, os crimes voltaram a se repetir, ocasião em que mais sete foram assassinados, dentre os quais o sargento da Força Tática do 6.º Batalhão de PM. O policial foi morto com vários tiros de fuzil, em frente ao bufê de propriedade da mulher dele, no bairro da Ponta da Praia. O militar passeava com o cachorro por volta da meia-noite. Um segurança do estabelecimento, que tentou socorrer o sargento, também foi morto. De acordo com testemunhas, que não quiseram se identificar, os suspeitos ocupavam um carro preto, de luxo, e estavam encapuzados. Durante o enterro do sargento, no fim da tarde deste domingo, alguns companheiros de farda afirmaram que ele recebia ameaças de morte.
Depois de quatro horas, uma ação semelhante aconteceu na Vila Mathias, também em Santos, onde outras três pessoas foram mortas: o cabeleireiro Fábio Manoel França, de 29 anos, o discotecário José Rodrigo de Pina Júnior, de 25, e a estudante Melissa Gouveia, de 36. Todos foram executados com armas de calibres 38 e 9 milímetros. Os criminosos também ocupavam um carro preto.
Do outro lado da cidade, no bairro da Areia Branca, uma casa foi invadida e um casal foi alvejado. Carlos Roberto de Jesus, de 53 anos, morreu na hora. Já a namorada dele, Tatiane Fonseca de Oliveira, de 27, conseguiu escapar, depois de levar um tiro na perna. Quase no mesmo horário, um homem não identificado foi morto no Morro do Saboó, na entrada da cidade. A ocorrência foi registrada em boletim no 1.º Distrito Policial (DP).

Delegacia Virtual do Estado de São Paulo

Delegacia Virtual do Estado do Rio de Janeiro