A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Relação dos pré-candidatos a prefeito de Caraguatatuba para 2012

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Aguilar
Gobetti
Aguilar
Álvaro Alencar
Aguilar
Aurimar Mansano
Aguilar
Baduca filho
Aguilar
Edu Gama
Aguilar
Marquinhos do PT
Aguilar
Omar kazon
Aguilar
Rodolfo do PT
Aguilar
Rodolfo do PT
Aguilar
Silmara Mattiazzo

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Álvaro Alencar
Aguilar
Álvaro Alencar
Omar kazon
Álvaro Alencar
Gobetti
Álvaro Alencar
Baduca Filho
Álvaro Alencar
Silmara Mattiazzo
Álvaro Alencar
Chiquinho Conceição
Álvaro Alencar
Guilherme Araújo
Álvaro Alencar
Rodolfo do PT
Álvaro Alencar
Marquinhos do PT
  
Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Gobetti
Baduca Filho
Gobetti
Omar kazon
Gobetti
Aguilar
Gobetti
Aurimar Mansano
Gobetti
Silmara Mattiazzo
Gobetti
Chiquinho Conceição
Gobetti
Guilherme Araújo
Gobetti
Edu Gama
Gobetti
Rodolfo do PT
Gobetti
Marquinhos do PT

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Omar kazon
Aguilar
Omar kazon
Aurimar Mansano
Omar kazon
Edu Gama
Omar kazon
Aguilar
Omar kazon
Baduca Filho
Omar kazon
Silmara Mattiazzo
Omar kazon
Chiquinho Conceição
Omar kazon
Guilherme Araújo
Omar kazon
Gobetti
Omar kazon
Rodolfo do PT
Omar kazon
Marquinhos do PT

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Baduca Filho
Gobetti
Baduca Filho
Aguilar
Baduca Filho
Aurimar Mansano
Baduca Filho
Edu Gama
Baduca Filho
Aguilar
Baduca Filho
Baduca Filho
Baduca Filho
Silmara Mattiazzo
Baduca Filho
Chiquinho Conceição
Baduca Filho
Guilherme Araújo
Baduca Filho
Rodolfo do PT
Baduca Filho
Marquinhos do PT

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Guilherme Araújo
Dr. Rodrigo Fernandes
Guilherme Araújo
Gobetti
Guilherme Araújo
Aguilar
Guilherme Araújo
Aurimar Mansano
Guilherme Araújo
Edu Gama
Guilherme Araújo
Aguilar
Guilherme Araújo
Baduca Filho
Guilherme Araújo
Silmara Mattiazzo
Guilherme Araújo
Chiquinho Conceição
Guilherme Araújo
Profa. Mariana
Guilherme Araújo
Dr. Jader Queiroz
Guilherme Araújo
Rodolfo do PT
Guilherme Araújo
Marquinhos do PT

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Silmara Mattiazzo
Gobetti
Silmara Mattiazzo
Aguilar
Silmara Mattiazzo
Aurimar Mansano
Silmara Mattiazzo
Edu Gama
Silmara Mattiazzo
Aguilar
Silmara Mattiazzo
Baduca Filho
Silmara Mattiazzo
Chiquinho Conceição
Silmara Mattiazzo
Rodolfo do PT
Silmara Mattiazzo
Marquinhos do PT

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Antônio Carlos
Dr. Marcelo Ugatti
Antônio Carlos
Heloisa Antunes
Antônio Carlos
Profa. Olímpia
Antônio Carlos
Junior
Antônio Carlos
Gilson Mendes
Antônio Carlos
Nivaldo Alves
Antônio Carlos
Cristina Bota
Antônio Carlos
Aurimar Mansano

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Antônio Carlos Jr.
Dr. Marcelo Ugatti
Antônio Carlos Jr.
Heloisa Antunes
Antônio Carlos Jr.
Profa. Olímpia
Antônio Carlos Jr.
Aurimar Mansano
Antônio Carlos Jr.
Gilson Mendes
Antônio Carlos Jr.
Nivaldo Alves
Antônio Carlos Jr.
Cristina Bota

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Dr. Marcelo Ugatti  
?

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Heloisa Antunes 
?

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Profa. Olimpia
?

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Nivaldo Alves  
?

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Aurimar Mansano  
?

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Rodolfo do PT  
?

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Marquinhos do PT  
?

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Jerffinho da Biz PT
?

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Edu Gama
?

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Chiquinho Conceição 
?

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Nestor
?

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Prof. Sidney
?

Pré-candidato - Prefeito
Pré-candidato (a) - Vice-prefeito
Dr. João Lucio
?

A revista ABSOLLUT TOP homenageia os destaques nas áreas empresariais e políticas


Este prêmio faz referencia ao TRIBUTO A OUSADIA E DETERMINAÇÃO.

Conheça os 15 (quinzes) homenageados com o PRÊMIO ABSOLLUT TOP (Prêmio Absollut Evidência ao talento e solidariedade):

1ª MAESTRO Renato Musiuk – DESTAQUE NACIONAL.

2º EMPRESARIOS Bruno e Luiz Gustavo

3º EMPRESARIA Eliane Ramalho

4º EMPRESARIO Flavio Franceschini

5º EMPRESARIO Flavio Garcia

6º EMPRESARIOS Guilherme e Juliano Teixeira

7º EMPRESARIAS Jamille e Janaina dias Costa

8º EMPRESARIO Lauro Benedito Hanna

9º EMPRESARIA Maria Luiza Porto Mello

10º EMPRESARIO Mauricio Nogueira Braga

11º EMPRESARIOS Tânia e Marcos Carvalho

12º EMPRESARIA Viviane Reno

13º PREFEITA DE CRUZEIRO Ana karin Dias de Almeida Andrade

14º EMPRESARIO E PREFEITO DE CARAGUATATUBA Antonio Carlos da Silva

15º SECRETARIA DE GOVERNO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS Claude Mary de Moura


Conheça toda essa matéria na integra na no site da revista:

Agora eu quero fazer um pedido aos amigos e leitores

 

 
Eu, Guilherme Araújo e um grupo de amigos estiveram na região serrana esta semana e constatamos a realidade desses municípios È DRAMATICA.

Após essa visita resolvemos ir à luta e fazer uma AÇÃO SOCIAL / CAMPANHA entre amigos, blogueiros e empresários para ajudar as famílias vitimas das chuvas da região serrana do Rio de Janeiro.

O nosso objetivo é compra 25 mil dúzias de garrafas de água para doar as famílias e enviá-las até o dia 30/04/2011.


Para a minha felicidade já atingimos 20 mil duzias mas o nosso objetivo é as 25 mil duzias... Venha participe....


Banco: Itaú
Agencia: 8159
Conta corrente: 02845-8


As doações acima de R$ 30,00 o doador ganha um CD universitário sertanejo. Após a sua doação, envie o numero do seu deposito para este e-mail: guilhermemanorj@hotmail.com seguido de seus contatos para que você possa receber o CD sertanejo universitário.

A sua doação deve ser de coração e espontânea...

O JIPE

Um jovem cumpria o seu dever cívico prestando serviço ao exército, mas era ridicularizado por ser cristão.
Um dia o seu superior hierárquico, na intenção de humilhá-lo na frente do pelotão, pregou-lhe uma peça...
- Soldado Coelho, venha até aqui!
- Pois não Senhor.
- Segure essa chave. Agora vá até aquele jipe e o estacione ali na frente.
- Mas senhor, o senhor sabe perfeitamente que eu não sei dirigir.
- Soldado Coelho, eu não lhe perguntei nada. Vá até o jipe e faça o que eu lhe ordenei...
- Mas senhor, eu não sei dirigir!
- Então peça ajuda ao seu Deus. Mostre-nos que Ele existe.
O soldado não temendo, pegou a chave das mãos do seu superior e foi até o veículo.
Entrou, sentou-se no banco do motorista e imediatamente começou sua oração.
"Senhor, tu sabes que eu não sei dirigir. Guie as minhas mãos e mostre a essas pessoas a sua fidelidade.
Eu confio em Ti e sei que podes me ajudar. Amém."
O garoto, manobrou o veículo e estacionou perfeitamente como queria o seu superior.
Ao sair do veículo, viu todo o pelotão chorando e alguns de joelhos...
- O que houve gente? - perguntou o soldado.
- Nós queremos o teu Deus, Coelho. Como fazemos para tê-lo? Perguntou o seu superior.
- Basta aceitá-lo como seu Senhor e Salvador. Mas porquê todos decidiram aceitar o meu Deus?
O superior pegou o soldado pela gola da camisa, caminhou com ele até o jipe enxugando suas
lágrimas.

Chegando lá, levantou o capô do veículo e o mesmo estava sem o motor!

Espere...
No tempo de Deus (que não é o seu) aquilo que você tanto almeja ser-lhe-à dado.
Se você está passando por provas, não se desespere.
O Senhor está formando seu caráter e no tempo certo Ele lhe dará a vitória.
Deus tem visto suas lutas!
Deus diz que elas estão chegando ao fim.
Uma bênção está vindo em sua direção.

Câmeras não flagraram execução em posto de gasolina

O delegado Felipe Ettore, da Divisão de Homicídios (DH), disse ontem, que as imagens do circuito interno de um posto de gasolina, onde o empresário Carlos Roberto Monteiro, de 52 anos, foi assassinado a tiros, não ajudaram a polícia no trabalho de identificação dos criminosos. Segundo o policial, o crime não teria sido flagrado pelas câmaras do estabelecimento. O assassinato ocorreu quando bandidos invadiram o posto, localizado no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste, no último sábado..
Carlos Roberto era um dos quatro sócios do posto. Ele foi executado com dois tiros, dentro do escritório . Segundo a polícia, a principal linha de investigação é a de roubo seguido de morte.

Vereadores de Duque de Caxias são transferidos para presídio federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul

 


O vereador Chiquinho Grandão, de Duque de Caxias, foi transferido para Campo Grande


Dois vereadores de Duque de Caxias e outros dois supostos milicianos presos durante a Operação Capa Preta foram transferidos, nesta quarta-feira (23/02), para o Presídio Federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. O pedido de transferência foi feito pelo subprocurador-Geral de Justiça de Atribuição Originária Institucional e Judicial do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, Antônio José Campos Moreira, diante da suspeita de participação deles em uma série de crimes, inclusive dois homicídios, cometidos desde a operação, realizada em dezembro de 2010.
Até então custodiados no Batalhão Especial Prisional (BEP) da Polícia Militar, o vereador Jonas Gonçalves da Silva (o Jonas É Nós) e o soldado PM Ângelo Sávio Lima de Castro (o Castro) seguiram do Aeroporto Santos Dumont, no Rio, para a penitenciária de segurança máxima às 7h30m. A transferência contou com o auxílio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). O mesmo destino tiveram o vereador Sebastião Ferreira da Silva (o Chiquinho Grandão) e Éder Fábio Gonçalves da Silva (o Fabinho É Nós) – ex-PM e filho de Jonas, que estavam no Complexo Penitenciário de Gericinó. A permanência em Campo Grande, conforme decisão da Seção Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, ocorrerá durante prazo inicial de 360 dias.
De acordo com a investigação que deflagrou, em 21 de dezembro, a operação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPRJ (Gaeco), a milícia Família É Nós era a mais bem estruturada de Caxias, na Baixada Fluminense. Mesmo presos e respondendo à ação penal pelo crime de quadrilha armada, os líderes do bando continuaram agindo para cooptar, coagir e matar autoridades e testemunhas que prestaram declarações contra eles. O subprocurador-Geral de Justiça ressaltou o êxito da parceria com a Draco e os delegados Cláudio Ferraz e Alexandre Capote.
— A medida foi a resposta necessária aos atos atentatórios à vida humana e à dignidade da Justiça, colocando a cúpula da perigosa quadrilha longe de sua base territorial e área de influência — acrescentou Campos Moreira.
Crimes em série na Baixada
O sargento reformado da Polícia Militar Nelson Franco Coutinho foi morto a tiros em 27 de janeiro, por volta das 10h, quando dirigia seu veículo na Avenida Pelotas, em Jardim Gramacho, área de atuação da milícia. Ele havia atuado como informante no curso das investigações e, pouco antes de ser assassinado, revelara que os quatro milicianos planejavam matar todos que contribuíram para a prisão deles.
Em 5 de fevereiro, por volta das 20h, Lucas José Antônio, que figurava como testemunha, foi assassinado a tiros de grosso calibre em frente ao seu estabelecimento comercial, no bairro São Bento, outra área de atuação da quadrilha. Pouco antes do homicídio, a Draco obteve a informação de que ele vinha sendo coagido pelos integrantes da cúpula da milícia a negar o teor das declarações que prestou no Inquérito Policial.
No mesmo dia em que a operação foi deflagrada (21/12), a polícia obteve a informação de que os integrantes da Família É Nós planejavam um atentado contra o delegado Substituto da Draco, Alexandre Capote. Em 25 de janeiro, uma testemunha foi à sede da delegacia e informou ter sofrido ameaças de morte, além de ter sido perguntada se aceitaria mudar seu depoimento em troca de R$ 200 mil. Em 4 de fevereiro, outra testemunha prestou declarações na sede do MP e informou que foi abordada por Jonas É Nós, que lhe perguntou se aceitaria dinheiro para negar o conteúdo das declarações.
Venda de armas para traficantes do Alemão
A Operação Capa Preta cumpriu 34 mandados de prisão contra pessoas denunciadas pelo MPRJ pelo crime de quadrilha armada, resultando na captura de 30 milicianos. Buscas e apreensões foram realizadas em 57 endereços, inclusive na Câmara Municipal de Duque de Caxias. Armas e munições foram encontradas.
De acordo com a denúncia do MPRJ, Jonas – soldado reformado da Polícia Militar, seu filho Éder Fábio Gonçalves da Silva – ex-PM – e Chiquinho comandavam o bando fundado há cerca de três anos, que atuava nas localidades de Gramacho, São Bento, Lote XV, São José, Parque Fluminense, Parque Muisa, Pantanal, Jardim Leal, Guaíra, Sarapuí, Vila Rosário e Parque Suécia, dividindo as regiões de Caxias em áreas de influência. Nos outros escalões, havia 13 PMs, outros três ex-PMs, um policial civil, um fuzileiro naval e um terceiro-sargento do Exército.
A milícia é investigada por cerca de 50 homicídios, cometidos desde 2007. O grupo paramilitar movimentava cerca de R$ 300 mil por mês, por meio de atividades ilegais como cobrança de “taxas de proteção” de moradores e comerciantes, monopólio da venda de cestas básicas, comércio de armas de fogo com traficantes do Complexo do Alemão e outros criminosos, tráfico de influência, agiotagem, esbulho de propriedades e parcelamento irregular do solo urbano, exploração da distribuição de sinal de TV a cabo (“gatonet”) e internet (“gatovelox”), venda de combustíveis de origem espúria, transporte coletivo alternativo (vans e moto-táxis), venda de botijões de gás de cozinha (GLP) e uso de caça-níqueis e outros jogos de azar.
De acordo com o MPRJ, o “quartel-general” da milícia fica em Gramacho, onde Jonas possui um centro social. As ações da quadrilha envolvem a prática de homicídios coletivos, ocultação e destruição de cadáveres, torturas, lesões corporais graves, extorsões, ameaças, constrangimentos ilegais e injúrias. Os réus respondem à ação penal pelo crime de quadrilha armada. Jonas, Éder e Castro são processados ainda pelo crime de extorsão.

MP quer afastamento de vereadores de Caxias acusados de ligação com milícia

 

Sebastião Ferreira da Silva, o Chiquinho Grandão