A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

sábado, 7 de novembro de 2015

'Cidade fantasma' de US$ 1 bi é criada para não ter nenhum habitante

Pegasus Holdings: Especialistas estão céticos em relação ao sucesso da empreitada

Cite City começará, literalmente, do zero. Em meio ao deserto do Estado americano do Novo México, a cidade com capacidade para 35 mil pessoas será construída ao custo de R$ 3,8 bilhões.
No entanto, não terá um único habitante.
Essa "cidade fantasma" de 40 quilômetros quadrados, um pouco menos que o município pernambucano de Olinda, tem um único objetivo: servir como um imenso laboratório de testes para novas tecnologias urbanas.
Algo expressado em seu próprio nome: 'Cite' é a sigla em inglês para Centro para Inovação, Teste e Avaliação.

Infraestrutura

Sistemas de transporte inteligente, fontes alternativas de energia e telecomunicações são algumas áreas que poderão ter Cite City como campo de provas.
O projeto está sendo desenvolvido pela empresa Pegasus Global Holdings, que busca captar o equivalente a mais de R$ 2 bilhões como investimento inicial. Toda a verba virá da iniciativa privada, segundo contou à BBC Mundo Robert Brumley, diretor-executivo da Pegasus.
No coração do projeto está City Lab, uma cidade em escala real construída à semelhança de um município de médio porte americano.
Terá áreas urbanas, suburbanas e rurais, incluindo parques, shopping centers e igrejas.
Mas uma parte essencial da cidade não estará à vista: um centro subterrâneo de operações e manutenção, conectado à toda infraestrutura da cidade.
Brumley espera que o trabalho de construção tenha início ainda em 2015. As obras devem durar cerca de três ou quatro anos.
Cite City foi idealizada em 2011, mas a construção foi postergada diversas vezes por causa de uma série de contratempos, incluindo uma decisão do presidente Barack Obama de tombar os terrenos inicialmente escolhidos para a construção.
De acordo com a Pegasus, Cite City gerará 350 empregos diretos e 3.500 indiretos no Novo México. Cite City estará a aberta para que empresas testem em suas ruas e prédios tecnologias e produtos sem as restrições oferecidas por uma cidade "real". Incluindo testes em larga escala.
Porém, alguns especialistas mostram ceticismo. Richard E. Hanley, professor do New York City College of Technology, é um deles.
"Eles (os idealizadores de Cite City) dizem ter um bom lugar, por exemplo, para testar carros com piloto automático, pois se houver uma falha não teríamos os mesmos riscos de um ambiente urbano. Mas até que isso seja testado em uma cidade real nós não poderemos saber o quão segura tal tecnologia é", afirma Hanley.
O especialista afirma que um dos problemas com novas tecnologias é o fator humano. "Sem pessoas, um teste pode funcionar bem, mas o que acontecerá, por exemplo, quando uma tecnologia estiver ao alcance de adolescentes, por exemplo, buscando novos usos?".
Hanley até defende Cite City como campo de provas útil para estudos de infraestrutura, mas duvida que possa servir como um verdadeiro "simulador urbano". Mas Brumley argumenta que a cidade será um importante passo intermediário.
"Ao final de seu ciclo de testes, novas tecnologias precisam de qualquer maneira serem testadas em áreas habitadas antes de ser aprovadas pelas autoridades. Somos um passo intermediário que não oferece riscos de segurança", afirma.

O Blog do Guilherme Araújo fala sobre o escândalo de corrupção na Fifa derruba homem forte do esporte na Globo

marcelocampos

O dia 27 de maio de 2015 foi determinante para o futuro do esporte na TV Globo. Nessa data, em operação liderada pelo FBI (polícia federal dos Estados Unidos), sete executivos ligados à Fifa, incluindo o brasileiro José Maria Marin, então vice-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), foram presos em Zurique (Suíça), onde estavam hospedados para um evento da entidade que comanda o futebol mundial. A investigação que deflagrou as detenções prosseguiu e se tornou mais abrangente. E, conforme apurou a reportagem do Blog do Guilherme Araújo com um diretor das Organizações Globo, dois funcionários da TV Globo e três pessoas ligadas ao comando do Sportv, a principal detentora de direitos de transmissão do futebol brasileiro, ainda que não tenha sido citada, acelerou um processo interno de mudança de comando.
O principal alvo dessa reformulação na Globo é Marcelo Campos Pinto, diretor da Globo Esporte e principal dirigente da emissora no segmento. Na quinta-feira (05), um comunicado assinado por Roberto Irineu Marinho, presidente do Grupo Globo, foi distribuído a diretores e oficializou aposentadoria do executivo para o fim de 2015. Procurado pela reportagem, o Grupo Globo confirmou a saída de Marcelo Campos Pinto e disse que as alterações já foram explicadas no comunicado interno.

Campos Pinto era uma figura extremamente próxima do comando da CBF, a ponto de dar expediente regularmente na sede da entidade. Em 2011, no processo de implosão do Clube dos 13, conduziu negociações individuais com clubes e foi nevrálgico para manutenção do controle da Globo sobre direitos de mídia no futebol brasileiro. A aposentadoria do executivo foi antecipada por causa do escândalo Fifa, e a decisão oficializada na quinta-feira é fruto de um acordo com ele – a despeito de deixar o cargo, Campos Pinto seguirá recebendo da emissora.
A prisão dos executivos ligados à Fifa também fez a Globo intensificar a preparação de Pedro Garcia, diretor de negócios dos canais SportvPremiere e Combate. Com cursos e reuniões em âmbito internacional, ele tem sido burilado há meses para assumir o cargo de Campos Pinto.
Garcia, contudo, não será “o novo” Campos Pinto. O novo diretor terá menos poder e responderá a um comitê formado por Alberto Pecegueiro (diretor-geral da Globosat), Carlos Henrique Schroder (diretor-geral da Globo) e Jorge Nóbrega (membro do conselho administrativo do Grupo Globo).
De acordo com fontes ouvidas pelo Blog do Guilherme Araújo, o comitê é uma espécie de transição para o esporte da Globo, que deve passar a ser comandado posteriormente por Roberto Marinho Neto, 31, filho de Roberto Irineu Marinho e herdeiro do grupo. Ele vem aumentando paulatinamente a participação no departamento, mas ainda não há uma data para o processo ser concluído. A emissora não comenta esse processo e afirma se tratar apenas de um boato, mas o Blog do Guilherme Araújo sustenta as informações publicadas.
A presença de Marinho Neto já tem mudado o comportamento do esporte da Globo e limitado o espaço de Campos Pinto, mas a emissora não pretendia fazer uma alteração drástica no comando da área a tão pouco tempo do início dos Jogos Olímpicos de 2016, que serão realizados no Rio de Janeiro – além de ser parceira de transmissão do evento, a TV tem cota de patrocínio.
Veja abaixo o comunicado enviado a diretores da Globo na última quinta-feira (05):
“Comunico que, a partir de 9 de novembro, a Globo Esportes passa a se subordinar ao Comitê de Direitos Esportivos, formado por Carlos Henrique Schroder, Alberto Pecegueiro e Jorge Nóbrega. A estrutura da nova Globo Esportes englobará as equipes e atividades de TV Globo e Globosat já envolvidas hoje nos processos de aquisição de direitos esportivos. Pedro Garcia, atualmente diretor dos canais e produtos de esporte da Globosat, será responsável por liderar essa equipe conjunta, respondendo por toda estratégia de aquisição de direitos esportivos do Grupo Globo. Além disso, Pedro continuará supervisionando os canais Sportv e os serviços de pay per view PFC e Combate.
Marcelo de Campos Pinto, que durante vários anos liderou as negociações de direitos de futebol e Olimpíadas, deverá se aposentar no final do ano, apoiando a organização da nova estrutura durante novembro e dezembro.
Esta mudança representa mais uma etapa na busca de sinergias e integração entre as operações do Grupo Globo. Desejo ao Pedro muito sucesso em suas novas atribuições. Ao Marcelo, meu agradecimento pelo importante trabalho realizado durante mais de vinte anos de atuação no Grupo Globo.

Volta à elite e promessa de Maitê Proença motivam Botafogo contra Criciúma

Maitê Proença movimentou os bastidores do Alvinegro ao prometer ficar nua em caso de acesso

O Botafogo está a apenas uma vitória sobre o Criciúma, às 17h30 deste sábado, de voltar à elite do Campeonato Brasileiro. Mas o resultado do jogo disputado no Heriberto Hulse pela 34ª rodada da Série B e o possível retorno à primeira divisão trazem outra grande "motivação" ao Alvinegro: o cumprimento da promessa de Maitê Proença, que jurou tirar a roupa em caso de acesso do time de General Severiano.
A brincadeira é constantemente lembrada nos bastidores do Botafogo, com direito a cobranças públicas por antecipação. Até mesmo o técnico Ricardo Gomes entrou na onda ao prometer fazer o possível para que Maitê tenha que pagar a jura já nos próximos dias.
"Maitê, acho que você vai ter que cumprir a promessa. Estamos aqui trabalhando para que isso aconteça o mais breve possível", disse o treinador em vídeo postado na página do programa Extraordinários, do SporTV, do qual Maitê participa. Outro a cobrar a promessa foi o meia Daniel Carvalho, ainda no meio do campeonato.
"Com certeza, quem não quer ver? Esse assunto não circula só no Botafogo, circula com a família, com os amigos no Whatsapp, já foi até tema de discussão nos grupos. Tomara que no final a gente consiga o objetivo e ela cumpra com a palavra dela", brincou Daniel, também em participação no programa.
O Botafogo soma 65 pontos na Série B e já não poderá ser ultrapassado por times de fora do G4 em caso de uma vitória sobre o Criciúma. O título também ficaria bastante próximo, uma vez que o segundo lugar, América-MG, ficaria oito pontos atrás.
O Criciúma, por sua vez, luta para não ser rebaixado para a Série C. O time é o 15º colocado da competição, com 39 pontos, apenas quatro a mais que o primeiro integrante da zona da degola, o Ceará. Uma derrota pode deixar os catarinenses à beira da zona de rebaixamento.
CRICIUMA x BOTAFOGO
Data e horário: 7/11/2015, às 17h30 (horário de Brasília)
Local: Heriberto Hulse, em Criciúma (Santa Catarina)
Árbitro: Marcos Andre Gomes da Penha (ES)
Auxiliares: Vanderson Antonio Zanotti (ES) e Ramires Santos Candido (ES)

Criciuma
Luiz; Ezequiel, Wanderson, Ianson Acosta e Marlon; Barreto, Dodi, Natan e Dudu; Bruno Lopes e Hugo
Técnico: Roberto Cavalo.

Botafogo
Jefferson; Luis Ricardo, Renan Fonseca, Roger Carvalho e Thiago Carleto; Lindoso, Willian Arão, Camacho e Daniel Carvalho; Neilton e Ronaldo
Técnico: Ricardo Gomes.