A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Candidato que 'vomitou por cheiro de pobre' vai para 2º turno em Curitiba

RAFAEL GRECACuritiba terá segundo turno na eleição para prefeito. Disputarão o comando da cidade o ex-prefeito da capital Rafael Greca (PMN) e o deputado estadual Ney Leprevost (PSD).
Greca teve 38,38% dos votos válidos no primeiro turno. Leprevost, 23,67%.
O atual prefeito Gustavo Fruet (PDT) ficou de fora, com 20,03% dos votos.
Publicidade
Rafael Greca foi alvo de críticas no fim do mês passado após afirmar que "vomitou ao sentir o cheiro de um pobre".
No dia 22, ele disse em sabatina na PUC do Paraná que nunca cuidou dos pobres.
"Eu coordenei o albergue Casa dos Pobres São João Batista, aqui do lado da Rua Piquiri, para a igreja católica durante 20 anos. E no convívio com as irmãs de caridade, eu nunca cuidei dos pobres. Eu não sou São Francisco de Assis. Até porque a primeira vez que eu tentei carregar um pobre no meu carro eu vomitei por causa do cheiro."
Após a gafe, ele acabou pedindo desculpas.

Rede Sustentabilidade tem se estruturado sobre um vazio de posicionamentos políticos, diz ex-membros



MARINA SILVAEm carta aberta publicada nesta segunda-feira (3), um dia após o primeiro das eleições, partidários da Rede Sustentabilidade anunciam a saída da legenda e criticam o que classificam como "um vazio de posicionamentos políticos" e afirmam que a Rede "tem se construído como uma legião de pessoas de boa vontade e nenhum rumo".
Para os signatários do documento (Luiz Eduardo Soares, Miriam Krenzinger, Marcos Rolim, Liszt Vieira, Tite Borges, Carla Rodrigues Duarte e Sonia Bernardes), o pressuposto de buscar novas alternativas e abandonar a tal "velha política" foi trocado por um certo pragmatismo político.
Os ex-membros da Rede também fazem críticas à Marina Silva, que, segundo eles," se constituiu em um fenômeno que, ao invés de ter se tornado menor ao longo do processo de construção partidária, se acentuou ao longo do tempo".
Publicidade
"Na verdade, as decisões estratégicas que foram conformando o perfil da Rede partiram todas de Marina e apenas dela, desde a decisão de entrar no PSB até a decisão favorável ao impeachment da presidente Dilma. Em cada um desses momentos cruciais, a maioria da direção nacional simplesmente se inclinou em apoio às posições sustentadas por Marina", afirmam no texto.
marina silva aecioA carta aberta cita também as posições tomadas pela legenda quando fundada - redução das desigualdades, enfrentamento do racismo estrutural, luta pelos direitos das sociedades originárias e das minorias, sustentabilidade e aprofundando a democracia - para criticar a posição do partido frente o processo de impeachment de Dilma Rousseff.
"Cabe destacar a decisão favorável ao impeachment, em que o partido aliou-se ao movimento que entregou o poder ao PMDB e a um grupo político envolvido nas investigações da Lava Jato e comprometido em aplicar políticas radicalmente contrárias ao que sempre supomos fossem os valores e os objetivos da Rede", afirmam, os ex-Rede.
Para eles, houve um erro de cálculo ao apoiar a saída de Dilma e fala em ingenuidade. "A hipótese TSE (cassação da chapa Dilma-Temer) só haveria se o impeachment não passasse; só não via essa realidade quem não quisesse – e não faltaram os alertas".

Com 74% dos votos, ACM é reeleito em Salvador e já mira governo da BA em 2018

Atual prefeito de Salvador (BA), ACM Neto (DEM) foi reeleito na capital baiana. Ele alcançou 74% dos votos.
Em segundo lugar, ficou Alice Portugal (PC do B), com 15%. Ela disputou as eleições com o apoio do governador Rui Costa e do ex-governador e ex-ministro do governo de Dilma Rousseff, Jaques Wagner (PT).
Em terceiro lugar ficou o Pastor Sargento Isidório (PDT) com 8%, seguido Cláudio Silva (PP) com 1,5%, Fábio Nogueira (PSOL) com 1%. Célia Sacramento (PPL) e Da Luz (PRTB) não chegaram a 1%.
Pesquisa Ibope divulgada neste sábado (1º) mostrava um cenário semelhante. ACM aparecia com 73% dos votos válidos, que excluem os brancos, nulos e de eleitores indecisos.
Na segunda posição, aparecia Alice Portugal, com 16%, seguida por Pastor Sargento Isidório (PDT), com 9%. Cláudio Silva (PP) e Da Luz (PRTB) aparecem ambos com 1%. Fábio Nogueira (PSOL) e Célia Sacramento (PPL) não pontuaram.
O sucesso nas urnas abre a oportunidade para que o prefeito dispute o governo da Bahia em 2018.
Movimento de eleitores em durante a votação para o primeiro turno das eleições municipais 2016 em São Paulo.Ao votar neste domingo (2), contudo, ACM negou a intenção e disse tratar-se de "especulação". "Não estou pensando em 2018. Essa preocupação pertence apenas aos meus adversários", afirmou.
Além de uma gestão bem avaliada, o prefeito foi beneficiado pela crise do PT e pelas indefinições da base do governador Rui Costa. A candidata apoiada pela leganda só foi definida faltando pouco menos de um mês para o início do horário eleitoral.

Dinheiro para compra de votos é retirado da lama em quintal

Uma ação em conjunto do Ministério Público Eleitoral (MPE), da Polícia Militar (PM) e do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap) apreendeu R$ 5 mil em meio a lama no quintal de um candidato a vereador de Cutias, a 135 quilômetros de Macapá.
Foi feita uma denúncia anônima sobre a compra de votos pelo candidato.

O promotor eleitoral Fabiano Castanho conta que o candidato negou o crime.
"Lá encontramos aproximadamente R$5 mil reais em notas de 20, 50 e 100 reais jogadas no quintal da residência. O candidato negou ser o dono do dinheiro. O Ministério Público Eleitoral que vai continuar o trabalho para garantir que as irregularidades sejam sanadas."

Presidiário acusado de assassinato e tráfico é eleito vereador na Paraíba

Um presidiário acusado de participar de um grupo de extermínio e de chefiar uma rede de tráfico de drogas foi eleito vereador de Catolé do Rocha, cidade a 410 km de distância de João Pessoa (PB). Ubiraci Rocha, mais conhecido como Bira, se candidatou pelo PPS e recebeu 948 votos, ganhando a sexta das 13 vagas do legislativo catoleense.
Cumprindo prisão preventiva na cadeia pública da cidade, Rocha pode concorrer nestas eleições por ainda não haver uma condenação em última instância contra ele. A Justiça Eleitoral da região ainda não sabe como ocorrerá a diplomação de Rocha em 2017.
O jingle da campanha do candidato era uma versão do hit do carnaval deste ano "Metralhadora", da banda baiana Vingadora.
Após ser autorizado a votar em uma escola do centro da cidade, o vereador-presidiário e sua família foram ovacionados por simpatizantes. Algemado e escoltado, fez um "V" de vitória e seguiu direto para o presídio.
O detento, quando assumir a vaga, irá compor a base aliada do prefeito reeleito de Catolé do Rocha, Leomar Benício Maia (PTB).

Novo prefeito de SP, Doria anuncia que venderá Interlagos e Pacaembu


O candidato João Dória Júnior (PSDB/SP) durante o Debate da TV Gazeta, visando as Eleições 2016 para a prefeitura de São Paulo, realizado nos estúdios da emissora, no Edifício Gazeta, na capital paulista.Prefeito eleito de São Paulo no último domingo, João Doria (PSDB), reafirmou nesta segunda-feira que venderá os complexos esportivos do Autódromo de Interlagos e do Estádio do Pacaembu, ícones da capital paulista. A intenção é colocá-los a venda, junto do Sambódromo do Anhembi, no início de sua gestão, que irá de 2017 a 2020.
De acordo com o administrador de empresas, em entrevista à TV Globo, o parque de Interlagos será preservado e continuará aberto ao público. “O complexo deverá passar por uma reforma, que o colocará em condições seguras e acessíveis. Porém, ele deverá ser vendido, para que a arrecadação municipal seja destinada a saúde e educação”, afirmou Doria.
O tucano ainda explicou que os complexos administrados pela prefeitura são hoje fontes de prejuízo para os cofres municipais. Ele acredita que com a venda do Autódromo, cerca de R$ 5 bilhões podem ser destinados ao governo da cidade de São Paulo.
A declaração do prefeito eleito gera ainda mais instabilidade sobre o Grande Prêmio do Brasil. O Circuito de Interlagos recebe a prova da Fórmula 1 há 26 anos, e consta como ‘a confirmar’, no calendário da temporada de 2017, divulgado na última semana. Entretanto, Doria garantiu que o evento irá continuar.
“A Fórmula 1 seguirá acontecendo normalmente, assim como outros eventos que são realizados no José Carlos Pace. Outras provas poderão ser trazidas para cá, mas não serão mais administradas pelo setor público, assim como investimento também virá do campo privado”, declarou.
Quanto ao Pacaembu, o tucano disse que não pretende privatizá-lo por completo, mas sim colocá-lo à disposição em uma concessão. “Teria duração entre 10 a 15 anos, para melhorias no estádio, como acessibilidade e banheiros”, contou, em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Obama é eleito a maior referência de liderança por jovens da periferia do Rio

GALPO APLAUSO
Pode ter sido a cor da pele, a trajetória ou os discursos inspiradores.
O fato é que nenhum outro nome se tornou uma referência tão grande de liderança quanto o de Barack Obama para os jovens da periferia da zona portuária do Rio de Janeiro que participam do projeto social Galpão Aplauso.
Escolhido em uma votação entre os mais de 11 mil jovens atendidos na instituição, Obama foi homenageado no vídeo Obrigado, Obama, que deve ser entregue à ele até o fim de seu mandato, conforme combinado com a Embaixada Americana no Brasil.

Esta professora ensina o que é poesia e esperança para internos da Fundação Casa

MARIA DA PENHA FUNDAO CASA
O tom de voz era baixo e praticamente não se alterava durante essa conversa, feita em 2014, quando ela narrou sua história como educadora. Sorriso delicado, fala firme, mas dita de forma suave e pausada. Até hoje, 2016, - e isso já faz quatorze anos - a professora de língua portuguesa Maria da Penha Silva trabalha com leitura e produção de textos entre adolescentes que cumprem medidas socioeducativas na Fundação Casa, em São Paulo (SP). Mais que isso, ela ensina seus alunos a produzir poemas. Um deles, orientado por ela, foi vencedor da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, um concurso nacional de textos para escolas públicas (as inscrições estão abertas no site).

Penha foi trabalhar com esses estudantes por um capricho da história. Ela cuidava da edição de apostilas educacionais do Senai e, antes de completar 48 anos, se aposentou. Por insistência de uma amiga, foi dar aulas numa escola estadual. Num curso de aprimoramento para professores da rede conheceu colega que lecionava para adolescentes da Fundação e, curiosa para entender uma realidade tão diferente da escola em que estava, aceitou o convite para dar aulas. O detalhe é que Penha era "revoltada com a violência urbana", como ela mesma afirma. Motivos não faltavam, seu carro fora roubado cinco vezes por adolescentes.
vida em transiçãoEm sua primeira aula sentiu frio na barriga ao passar pelos corredores com portões de ferro e grades. Numa sala de seis metros quadrados e quatro alunos que haviam cometido infrações graves, apresentou a crônica de Rubem Braga, Meu ideal seria escrever, com uma roda de conversa sobre o texto. Teste para ela mesma. No fim da aula, um dos alunos - o mais inquieto - quis saber se ela ia voltar no dia seguinte. Sentiu que a estratégia dera certo.
s experiências foram se sucedendo e ao longo dos anos sentiu que vivia uma grande transformação pessoal, sempre se perguntando se ia sair de lá:
"Dizia para mim mesma: 'Ainda não está no momento'. Não conseguia deixar meu trabalho. Cada vez mais fui percebendo que precisava fazer diferente, fui me modificando como professora, até fora da instituição". Não que Penha aprovasse o rumo que aqueles meninos tinham tomado em algum momento da vida: "Não está correto, mas, conhecendo a história deles, dá para pensar na situação. É como se você jogasse uma planta na terra, sem dar água e alimento. Ela cresce conforme o vento que bate".
Ela ainda viveu um drama familiar nesse tempo: o sobrinho foi morto num assalto por causa de um celular. A história assustou seus estudantes. "É preciso uma transformação sua para conseguir transformar o outro, para conseguir transformá-lo numa pessoa reflexiva".
Quando a notícia de que um de seus alunos, ali da Fundação Casa, era semifinalista do concurso nacional, foi um alvoroço. Todos os outros queriam aprender a produzir textos. "É comum eles acreditarem que não terão nova oportunidade", disse.
Nas oficinas de Poema e de Crônica contava com a ajuda das professoras de matemática e de filosofia. "O que a gente sente quando está sensível?", "Como saber quando é amor?", estavam entre as perguntas mais frequentes dos estudantes. O desejo e a necessidade de expressão de adolescentes confinados afloravam pela ação da professora. Um sonho de liberdade possível pela palavra.
O maior presente que Penha ganhou veio de um aluno que estava de saída da Fundação. "Quero que a senhora tenha muita sorte, porque a senhora não desistiu da gente, a senhora é severa, estava sempre 'ali', mas não desistiu da gente. Eu quero agradecer muito".
Ela explica:
"Eu planejo todas as minhas aulas. Aviso a eles tudo o que vai ser feito e eles sabem que dou atividades todos os dias. Sou disciplinada. Eles veem que eu estudo para dar minhas aulas. Eles precisam acreditar que você sabe, que você pode passar conhecimento. Eles vêm descrentes, autoestima lá embaixo, precisam de estímulo sempre."
A professora se orgulha da profissão. Não titubeia quando fala da educação como ação transformadora:
"Todo tempo queremos que os alunos vejam que trabalhamos com seriedade. O segredo é ser sincera. É preciso mostrar que ninguém está com eles porque tem dó. É preciso transformá-los em pessoas que reflitam sobre os próprios atos, que sabem ser responsáveis pelas escolhas. É preciso mostrar que o estudo é o único caminho que poderá mudar o futuro deles".
Maria da Penha Silva não parece com vontade de parar. Continua percorrendo corredores e salas de unidades da Fundação Casa, espalhando poesiatextos e esperanças.

No Programa do Porchat, Amaury Jr. revela ter ganhado 30 relógios de Faustão


Na noite da última quinta-feira, dia 29, Fábio Porchat recebeu o apresentador Amaury Jr. Além de relembrar o início de sua carreira na televisão como colunista social, Amaury Jr. também falou sobre a noite paulistana e quem a frequentava, comparando a noite de antigamente, marcada pela ostentação e a presença de playboys endinheirados, com a atual, onde as pessoas são mais contidas e não ostentam como antigamente. - No Brasil, parece que ganhar dinheiro é pecado, afirmou.Fábio Porchat recebeu o apresentador Amaury Jr. Além de relembrar o início de sua carreira na televisão como colunista social, Amaury Jr. também falou sobre a noite paulistana e quem a frequentava, comparando a noite de antigamente, marcada pela ostentação e a presença de playboys endinheirados, com a atual, onde as pessoas são mais contidas e não ostentam como antigamente.
- No Brasil, parece que ganhar dinheiro é pecado, afirmou.

PGR pede urgência em decisão sobre denúncia contra Renan


alx_brasil-senado-votacao-impeachment-20160511-0013_original.jpegHá três anos, o Supremo Tribunal Federal (STF) analisa se o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) deve sentar no banco dos réus. Alvo de uma denúncia apresentada em 2013 pela Procuradoria-Geral da República (PGR), o parlamentar é acusado de ter praticado os crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso. A investigação foi instaurada em 2007 após VEJA revelar que o senador utilizava um lobista de uma empreiteira para bancar despesas pessoais da jornalista Mônica Veloso, com quem tem uma filha. Até agora, porém, as acusações feitas pela PGR ainda não foram analisadas pelo STF. Diante da letargia do caso, em meados de junho, o procurador-geral da República Rodrigo Janot requisitou “urgente inclusão do feito na pauta de julgamentos do Plenário do Supremo Tribunal Federal para deliberação acerca do juízo de admissibilidade da acusação”, segundo documento obtido por VEJA.
A manifestação enviada ao ministro Luiz Edson Fachin, relator do caso no STF, evidencia que Janot tem pressa. Afinal, o tempo é o grande aliado de Renan nesse inquérito. Ao longo do período da investigação, uma parte da documentação privada utilizada para comprovar a acusação da prática de falsidade ideológica prescreveu. No material constam, por exemplo, notas fiscais de vendas de gados emitidas por empresas inativas para justificar o patrimônio do presidente do Senado. Além disso, o parlamentar pode se safar também da acusação de prática de peculato, o crime mais grave que consta da denúncia apresentada contra o peemedebista. A pena por essa infração varia de dois a 12 anos. Em via de regra, o judiciário tem aplicado punições mais próximas da condenação mínima, ainda mais quando se trata de réu primário. No caso de Renan, o suposto desvio de dinheiro público ocorreu em julho de 2005, conforme sustenta a PGR. Se o peemedebista for condenado pela pena mínima por essa irregularidade, a prescrição, na verdade, já ocorreu em 2009.
“A conclusão lógica, portanto, é de que a presente causa está pronta para deliberação, pelo Pleno dessa Corte, acerca da admissibilidade da acusação formulada pelo Ministério Público. Por tais razões, vale destacar que não é necessária a reabertura de novo prazo para defesa se manifestar, uma vez que esta já teve oportunidade de apresentar todos os seus argumentos de que dispunha”, escreveu Janot em sua manifestação, que foi acolhida pelo ministro Edson Fachin como aditamento da denúncia apresentada contra o presidente do Senado. O inquérito tem 45 volumes e soma quase 9 000 folhas de documentos, petições e despachos empilhados desde agosto de 2007.
No dia 2 de agosto, o ministro Edson Fachin decidiu conceder mais prazo para a defesa de Renan Calheiros se manifestar sobre a denúncia apresentada pela PGR, porque tem dúvidas sobre quem é o atual advogado do senador. Ao longo do inquérito, o parlamentar já teve 17 representantes legais. Em fevereiro deste ano, o caso quase teve um desfecho. Quando o ministro Teori Zavascki, relator da Lava-Jato no STF, sinalizou que poderia colocar em votação uma denúncia contra o então presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), feita pela PGR no fim do ano passado, Fachin resolveu liberar o processo envolvendo o presidente do Senado para a análise do plenário da corte. O ministro relator assumiu o caso no ano passado, quando foi empossado no STF. Antes dele, o procedimento estava sob a responsabilidade do ministro Ricardo Lewandowski, atual presidente da corte, que o manteve em seu gabinete até ser substituído por Fachin. Alguns dias depois de decidir colocar o caso de Renan em pauta, Fachin voltou atrás e o retirou.
O presidente do Senado Renan Calheiros está entre os políticos recordistas de inquéritos da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). A lista de investigações envolvendo o parlamentar está acima da média: até o momento, há ao menos oito procedimentos em curso, que apuram de corrupção à lavagem de dinheiro. Em junho, a PGR pediu a prisão de Renan e outros integrantes da alta cúpula do PMDB por tramarem contra a Lava-Jato, baseada em gravações feitas por Sérgio Machado, apaniguado do parlamentar alagoano na presidência da estatal Transpetro. Em sua última edição, VEJA revelou que o empresário e advogado cearense, Felipe Rocha Parente, apontado por Machado como a pessoa responsável por entregar dinheiro vivo a integrantes do PMDB, fechou um acordo de delação premiada. Em sua colaboração, o “homem da mala” confirmou que distribuía propinas destinadas ao presidente do Congresso Renan Calheiros e ao senador Jader Barbalho (PMDB-PA). Os dois parlamentares negam as acusações.

Aécio diz que PT está sendo ‘dizimado’ em algumas regiões


O senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, afirmou na tarde deste domingo que o PT está sendo dizimado em algumas regiões do país e que seu partido está se tornando o grande vencedor desse pleito. 
Senador votou em Belo Horizonte, ao lado de João Leite e de militantes que faziam sua segurança.Aécio votou no Colégio Estadual Central, na região Centro-Sul da capital, e estava acompanhado de seu candidato à Prefeitura, João Leite (PSDB), e de dezenas de militantes tucanos. Alguns deles faziam a segurança do parlamentar até a seção onde votou.
O PT em várias regiões está sendo dizimado, inclusive onde historicamente teve desempenho positivo no passado. Essa é a resposta da sociedade ao grupo político que se organizou para ocupar o estado nacional em busca de um projeto de poder. E deixaram como saldo doze milhões de desempregados, 60 milhões e endividados e temos 10 milhões de famílias retornando as classes D e E. Além da baixa qualidade da saúde, da educação. Esse é o legado perverso dos anos de governo do PT, disse Aécio Neves, antes de votar.
O senador fez um balanço do desempenho de seu partido e afirmou que o PSDB lidera em cinco capitais e que irá ao segundo turno em outras quatro:
O PSDB será o grande vitorioso dessas eleições. É o resultado da coerência de suas ideias, do combate ao desgoverno do PT nos últimos anos.
E disse que o quadro político que sairá das urnas reforçará o projeto do partido para eleição presidencial em 2018.
O PSDB nunca abdicou desse projeto, e chegar pela via eleitoral. Se tem um partido que sai fortalecido dessas eleições, esse partido é o PSDB.
Houve um pequeno tumulto na saída de Aécio. Já na rua, para ir embora, o passageiro de um carro gritou "golpista". Os militantes tucanos retrucaram e começaram a gritar o nome de Aécio.

Candidado tem maioria dos votos, mas não pode ser prefeito


A cidade de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, vive um impasse eleitoral após a votação deste domingo (2). O candidato Paulo Mac Donald Ghisi (PDT) teve a maioria dos votos, mas está com a candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral. Por isso, o sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) considerou que todos os votos atribuídos a ele são nulos. Sendo assim, o segundo colocado, Chico Brasileiro (PSD), assumiu a liderança.
No entanto, os juízes eleitorais de Foz do Iguaçu decidiram não homologar a vitória de Chico, pelo menos até que o recurso seja avaliado no TSE, em Brasília.
Segundo informações do portal G1, Mac Donald recebeu 58.163 votos, enquanto Chico Brasileiro (PSD) teve 54.488 votos, ou seja, 67,88% dos votos válidos, já que os votos de Mac Donald foram contabilizados como nulos.
“Se o TSE julgar o recurso dele procedente, ele tem os votos dele válidos. Se não, [teremos] novas eleições", explicou o juiz eleitoral Marcos Antônio Frason.
Os magistrados também explicaram que a Justiça Eleitoral tem até o dia 1º de novembro para proclamar o resultado, mas que os prazos do TSE podem ser diferentes. Eles esperam que o TSE julgue o recurso até o dia 18 de dezembro, um dia antes da diplomação dos eleitos.
Na eventualidade de o julgamento não ocorrer neste ano, a cidade também não ficará sem prefeito a partir de 1º de janeiro de 2017. “Na hipótese de isso acontecer, teria a eleição do presidente da Câmara, que assumiria como prefeito da cidade", disse o também juiz eleitoral Geraldo Dutra.
Improbidade administrativa: A candidatura de Paulo Mac Donald Ghisi foi indeferida no dia 3 de setembro. Na ocasião, a Justiça Eleitoral de Foz do Iguaçu considerou que ele era inelegível por responder a acusações de improbidade administrativa da época em que foi prefeito da cidade. As condenações cassavam os direitos políticos do ex-prefeito.
O caso voltou a ser analisado no TRE-PR, em 20 de setembro. Por unanimidade, os desembargadores mantiveram a decisão de primeira instância. Foi então que o ex-prefeito recorreu ao TSE.

Filho de Lula está fora da Câmara Municipal de São Bernardo do Campo

O vereador Marcos Lula, filho do ex-presidente Lula, não conseguiu se reeleger em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, neste domingo (2).

Segundo o Extra, Marcos teve apenas 1.504 votos e foi o 58º na disputa por 28 vagas.
Tarcisio Secoli, o candidato petista à prefeitura da cidade, também ficou de fora do segunda turno. Ele obteve 22,57% dos votos válidos. A disputa será entre Orlando Morando (PSDB), que teve 45,07% dos votos, e Alex Manente (PPS) que ficou com 28,41%.

Após polêmica, Fausto Silva fala sobre telefonema de Michel Temer durante “Domingão do Faustão”


ABRE04O apresentador Fausto Silva fez um desabafo ao vivo contra o governo do Michel Temer (PMDB) durante o “Domingão do Faustão”. Após a mensagem, no entanto, o político entrou em contato com o apresentador da Rede Globo. Neste domingo (2), Faustão comentou o assunto: “No domingo anterior, falei sobre a reforma do governo Temer e isso causou confusão“, explicou.
Eles explicam que há sete anos vários grupos fazem estudos para um projeto de reforma do ensino no Brasil, e isso está parado no Congresso. E, diante da qualidade de ensino no Brasil, eles reconhecem que é preciso agilizar o processo. De maneira alguma, eles dizem que a coisa será realizada às pressas“, explicou o apresentador. Assista: 



Valesca Popozuda arranca microfone das mãos de Faustão para deixar Leona Cavalli cantar

Valesca Popozuda arrancou o microfone das mão de Faustão nesse domingo, 02, durante a exibição do quadro 'Dança dos Famosos'.
Valesca Popozuda: Valesca arranca microfone de Faustão - Rep Rede GloboA cantora tentava convencer o apresentador a passar o microfone para Leona Cavalli cantar a letra de uma música.
"Ela [Leona Cavalli] fez um funk pra gente, em todos os ensaios ela cantou, ela representou", disse Valesca Popozuda.
Sem sucesso, Valesca não pensou duas vezes e puxou o microfone das mãos de Faustão e deu pra Leona: "Espera aí, Faustão, dá pra ela, dá pra ela".
Na competição, Leona Cavalli, Letícia Lima, Solange Couto, Valesca Popozuda e Sophia Abrahão dançaram ao som do funk carioca acompanhadas por bailarinos profissionais.
Na pontuação geral, Sophia Abrahão lidera com 89,3 pontos, seguida por Letícia Lima e Valesca Popozuda, ambas empatadas com 85,3 pontos. Leona Cavalli é a última da lista com 83,3 pontos.

Fátima Bernardes e William Bonner votam na mesma seção nas eleições 2016.


Fátima Bernardes e William Bonner votam na mesma seção das eleições 2016Fátima Bernardes e o ex-marido, William Bonner, quase se encontraram na tarde deste domingo (2), no Rio de Janeiro. Assim como o apresentador Luciano Huck e a atriz Camila Rodrigues, o ex-casal, que se separou no fim de agosto após 26 anos de casados, também foi até sua zona eleitoral para votar no seu candidato para vereador e prefeito da cidade.

Em setembro, o filho dos jornalistas, Vinícius, de 18 anos, foi internado para retirar as amígdalas e os dois também evitaram de se encontrar. A apresentadora do "Encontro" acompanhou de perto a operação do adolescente, mas o âncora do "Jornal Nacional",atualmente morando na Zona Sul do Rio, não foi visto na unidade pelo menos enquanto a ex-mulher estava no local.

Partilha de bens de William Bonner e Fátima Bernardes envolve 4 imóveis de luxo
Os globais entraram em uma nova etapa comum aos casais que se divorciam: a partilha dos bens. De acordo com a revista "Veja", eles são proprietários de uma casa na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, uma propriedade em Secretário, localizada na região serrana, um apartamento na Lagoa, Zona Sul, avaliado em R$ 5 milhões, e um imóvel de 500 metros quadrados e cinco suítes no condomínio Portobello, em Mangaratiba.
William Bonner foi até sua zona eleitoral para votar no seu candidato para vereador e prefeito da cidade
Em setembro, filho dos jornalistas, Vinícius, de 18 anos, foi internado para retirar as amígdalas, e os dois também evitaram de se encontrar



Letícia Colin comenta romance gay com Bruna Marquezine: 'Beijão com paixão'


Bruna Marquezine e Letícia Colin serão Beatriz e Julia, respectivamenteDepois de cogitarem não exibir o beijo gay entre as personagens Beatriz e Julia, vividas por Bruna Marquezine e Letícia Colin, respectivamente, agora está confirmado que a cena quente vai ao ar no terceiro capítulo de "Nada Será como Antes", nova minissérie da TV Globo. E de acordo com Letícia, a sequência promete tirar o fôlego: "A gente fez um beijão, com paixão", contou ao colunista Bruno Astuto da revista "Época" deste sábado (1º).
Ainda segundo a artista, apesar de não ter muita intimidade com Bruna, elas não tiveram dificuldade para gravar a passagem. "Fizemos uns dois takes só. O (José Luiz) Villamarim (diretor) não é muito de repetir. Nunca tínhamos trabalho juntas, mas, durante as gravações, conversamos muito e ficamos amigas. Essa empatia ajuda muito em cena", explicou. E garantiu que ficou feliz com o resultado: "Sou a favor da igualdade de direitos, da luta LGBT. É um trabalho do bem. Tenho orgulho de ajudar a reduzir o preconceito".
Bruna teve receio ao receber convite para o papel, mas contou com apoio dos pais
Por se tratar de uma personagem muito forte e madura, Bruna Marquezine chegou a ficar receosa quando recebeu o convite para substituir Sophie Charlotte na pele de Beatriz. "Achava Beatriz muito mulher para mim, que não seria capaz de representá-la. Achava que não tinha maturidade para fazer uma mulher como ela e experiência de vida, mas algo me dizia para ir em frente", contou.
Outro ponto a favor para Bruna mergulhar de cabeça na nova produção é o apoio que sempre recebe de seus pais, Neide e Telmo. "Não terei problema em assistir as cenas quentes com meus pais. Eles sempre me deram o maior apoio. Minha mãe está ansiosa em ver a Beatriz e feliz por ver minha felicidade. Hoje em dia ela não me acompanha mais mas gravações, mas continua acompanhando tudo de perto", vibrou.

Candidatos famosos não se elegem para Câmara do RJ e SP; confira


Nenhum nome vindo da TV ou do esporte conseguiu emplacar uma vaga na Câmara paulistana na eleição de 2016.
MarquitoO ex-jogador do Corinthians Marcelinho Carioca (PRB), 45, foi o mais bem colocado desse grupo, com 12.602 votos. No entanto, foi apenas o 84º mais votado.Com votação parecida, o ator Thammy Miranda, 34, teve 12.408 votos e ficou na 86ª colocação.
O apresentador Leo Aquilla (PTN), 46, teve 5.146 votos, perto do total atingido pelo conde Chiquinho Scarpa (PRB), 65, que teve 5.140 votos.
Marquito (PTB), 56, que participava do programa do Ratinho e se tornou vereador em 2012, não conseguiu se reeleger. Ele somou apenas 5.114 votos.
Outro ex-jogador, Ademir da Guia (PHS), 74, também foi mal nas urnas e recebeu 3.166 votos. Ídolo palmeirense, Ademir foi eleito vereador em 2004, pelo PCdoB.
O ex-goleiro Waldir Peres, que fez parte da seleção brasileira em 1982, teve 1.341 votos.
SAÍDAS
Algumas figuras da atual legislatura não conseguiram se reeleger. Relator do Plano Diretor Estratégico e secretário municipal de Cultura entre 2015 e 2016, Nabil Bonduki (PT) ficou de fora da lista de eleitos para a Câmara Municipal de São Paulo. Ele e o também petista Paulo Fiorili ficaram para suplentes.
Dado a quantidade de votos recebidos, ele figura na segunda posição de suplente da coligação que reúne o PT, PDT, PR e PROS, logo atrás do também petista Paulo Fiorilo.
O médico Jamil Murad (PCdoB) e o advogado Wadih Mutran (PTD) também não se reelegeram. Aurélio Miguel (PR), que teve seu nome citado em suspeita de recebimento de propinas em 2012, não tentou a reeleição.
No Rio, os nomes famosos que ficaram de fora são:
Agnaldo Timoteo - 4821 votos
Sandra de Sá - 1993 votos
Dudu Nobre - 1625 votos
Theo Becker - 421 votos.
Leo Aquila
Chiquinho Scarpa
Ademir da Guia
Thammy Miranda
Waldir Peres
Netinho de Paula
Marcelinho Carioca
Agnaldo Timoteo
Sandra de Sá
Theo Becker
Dudu Nobre

'Não são burros de prender o Lula', diz Dilma


A ex-presidente Dilma Rousseff disse não acreditar na possibilidade de que Luiz Inácio Lula da Silva, seu antecessor, seja preso. A declaração foi feita em sua primeira entrevista exclusiva a uma TV brasileira após o impeachment. Na opinião dela, prender Lula seria uma "burrice", pois isso o transformaria em "herói".
“Não acredito que eles cometam este absurdo, não porque sejam bons, mas acredito que também não são burros. Acho que transformará a prisão de uma pessoa visivelmente injustiçada em um herói. Acho que eles não irão querer. Acho que a estratégia é inviabilizá-lo para 2018. O golpe só se completa com isto”, disse Dilma, em entrevista à TVE da Bahia.
As forças que deram o golpe têm muito interesse que ele seja julgado e condenado. Eles tiram o Lula do jogo e se livram da Lava Jato”, declarou.
Durante a conversa com o jornalista Bob Fernandes, a ex-presidente voltou a dizer que sofreu um golpe perlamentar. Dilma ressaltou que o programa de governo do PMDB retira direitos do trabalhadores e não foi aprovado pelos eleitores que a elegeram.
“As forças que deram o golpe têm muito interesse que ele seja julgado e condenado. Eles tiram o Lula do jogo e se livram da Lava Jato”, disse.
A presidente também falou sobre a prisão do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega. “Prender o Guido Mantega é expô-lo a uma condenação que não existe, é a condenação da mídia, e a distorção que essa publicidade dá. Lamento imensamente a prisão dele dentro de um hospital. A senhora dele está lutando contra um câncer desde o final de 2013", disse. “Por que prender o Mantega e deixar o Eduardo Cunha solto?", questionou.

Monica Iozzi desabafa sobre intolerância política: 'Chega de discurso surdo que ninguém ouve ninguém e só se odeia'

"Nossa capacidade de escuta está reduzida"
A frase acima é de Monica Iozzi e diz respeito ao cenário político brasileiro.
A atriz fez um longo desabafo em um vídeo postado no se Facebook nesta terça-feira (2) sobre a intolerância que tomou conta dos debates políticos no Brasil.
Iozzi se mostrou indignada com as agressões verbais sofridas pela atriz Letícia Sabatella durante a última manifestação contra a Dilma, em Curitiba, no dia 31 de julho.
"Episódios como o que aconteceu agora com a grande Letícia servem de alerta. Ela sofrer esse tipo de agressão é muito assustador. Logo ela, que é um ser humano incrível, uma profissional extremamente competente, sensível, que sempre defendeu as minorias, os negros, a população LGBT, os indígenas, uma pessoa tão coerente , tão boa"
A atriz também lembrou do episódio de intolerância contra o senador Aécio Neves(PSDB-MG), apontando que o respeito não pode ser deixado de lado mesmo que você seja contra a postura de algum político.
"Independente de eu gostar ou não da postura política dele, o Aécio Neves há pouco tempo estava passeando na praia com a família e foi agredido verbalmente. Ele estava com o bebê dele no colo. Acontecimentos como estes mostram o quanto nossa capacidade de escuta está reduzida"
O final do vídeo da apresentadora serve como uma ótima lição de autocrítica para todos. Ela pede que as pessoas se informem melhor e repensem suas visões de mundo para que possa existir, de fato, diálogo e respeito:
"Não adianta a gente ficar batendo boca e se odiando. A gente tem que cobrar, lembrar em quem votou, saber o que está acontecendo. Não se informar só por manchetes. Qual tipo de informação você está tendo? Acho que a gente tem que pensar em tudo isso."
E finaliza:
"É legal a gente olhar para os nossos erros, repensar nossa visão de mundo, nossa relação com as pessoas e tentar ser mais tolerante, tentar trocar ideia. E não ficar esse discurso surdo que ninguém ouve ninguém e só se odeia"

Condenada, Monica Iozzi terá que pagar indenização a Gilmar Mendes por 'abuso do direito de se manifestar'


A atriz Monica Iozzi foi condenada a pagar R$ 30 mil de indenização ao ministro do Superior Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE),Gilmar Mendes.
MONICA IOZZY
O ministro processou a atriz por causa de uma publicação no Instagram, na qual Iozzi criticou o hapeas corpus concedido ao médico Roger Abdelmassih, acusado de abusar sexualmente de pacientes.

“Se um ministro do STF faz isso… nem sei o que esperar”, afirmou a atriz. Iozzi publicou a legenda acompanhada de uma foto ministro transpassada na diagonal pelo questionamento "cúmplice?".
Para Mendes, a publicação ofendeu a sua honra e imagem, pois o acusou de ser cúmplice de crimes de violência sexual. Na decisão, o juiz do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) Giordano Costa afirmou que houve "abuso do direito à manifestação" e que a decisão tem caráter pedagógico.
Para o ele, "ao publicar o questionamento "cúmplice?" a requerida vinculou a pessoa e imagem do requerente a um crime gravíssimo, que gera repulsa e indignação por parte da sociedade".
“A requerida tem direito de manifestar a sua opinião através de redes sociais, desde que o faça licitamente, isto é, sem violar a dignidade, a honra e a imagem das pessoas. Até este ponto, atua legitimamente exercendo um direito.
Ocorre que o sistema civil também considera ato ilícito quando o titular do direito se excede ao exercê-lo, nos termos do art. 187 do Código Civil.
Vejamos: 'também comete ato ilícito o titular de um direito que, ao exercê-lo, excede manifestamente os limites impostos pelo seu fim econômico ou social, pela boa-fé ou pelos bons costumes'."
Além da indenização, a atriz teve que tirar a publicação do ar e deverá arcar com os encargos advocatícios. Mendes havia pedido R$ 100 mil de indenização.