A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Caseiro é indiciado por morte de Grazielly Menina de três anos morreu no início do ano passado ao ser atropelada por uma moto aquática; caso aconteceu em Bertioga


O TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) indiciou um caseiro por lesão corporal, homicídio culposo e omissão de socorro no caso Grazielly. A menina, de três anos, morreu há um ano quando foi atropelada por uma moto aquática pilotada por dois adolescentes em Bertioga, no litoral de São Paulo. 


De acordo com o advogado José Beraldo, o caseiro Erivaldo Francisco de Moura teria levado com um quadriciclo, juntamente com os dois adolescentes, o veículo para o mar. Portanto, ele responderá também a processo criminal.


O homem havia sido excluído do processo pelo juiz de Bertioga, por entender que ele era apenas um empregado e seguiu ordens. Entretanto, depois de um recurso em sentido estrito do Ministério Público, acompanhado pelos assistentes de acusação, o Tribunal de Justiça determinou que ele também respondesse pelo crime.

O caso

Grazielly Almeida Lames, de três anos, morreu em 2012, após ser atingida por uma moto aquática pilotada por dois adolescentes na Praia de Guaratuba, em Bertioga. A menina brincava na areia com a mãe quando foi atingida pelo veículo desgovernado.

Embora tenha sido resgatada por um helicóptero da PM (Polícia Militar), a criança chegou sem vida ao hospital. 

O veículo era pilotado por um adolescente, na época com 13 anos. A mãe do menino, a madrinha, o padrinho foram acusados de imprudência. O dono da marina e o mecânico foram responsabilizados por imperícia.  

Veja só o desespero de uma senhora que é moradora do bairro de Massaguaçu em Caraguatatuba e o seu desabafo..


Eu espero que o secretário municipal de serviços públicos Sr. Sergio Arnaldo Braz faça uma visita neste bairro e de solução aos problemas aqui mostrados pela moradora.

Bom dia, estou enviando as fotos da minha Rua: Tetsuo Watanabe, bairro: Massaguaçu meu nome é Luzineide Alves Barbosa, tenho 40 anos, moro aqui há 07 (sete) meses meu telefone é 3884-4549 e estou assustada com essa falta de respeito por moradores dessa rua, buracos, matos em terrenos baldios, fora isso vem bichos p/dentro de nossas casas como aranha, cobra,do lado da minha casa é só mato,enfrente também, apesar a rua inteira esta assim. 
Aguardo retorno e espero que nos ajude.

























Gente que faz....


Hoje o Deputado Federal Romário foi procurado por um grupo de interpretes de libras que trabalhavam no Senado. Me informaram que há 5 meses o contrato deles havia sido cancelado, e os deficientes auditivos perderam a possibilidade de acompanhar os trabalhos da Casa. 
Imediatamente procurei o presidente Renan Calheiros, que prometeu restabelecer e ampliar o serviço. Vamos aguardar!
Hoje fui procurado por um grupo de interpretes de libras que trabalhavam no Senado. Me informaram que há 5 meses o contrato deles havia sido cancelado, e os deficientes auditivos perderam a possibilidade de acompanhar os trabalhos da Casa. 
Imediatamente procurei o presidente Renan Calheiros, que prometeu restabelecer e ampliar o serviço. Vamos aguardar!

http://bit.ly/Y9r7Ip

Resultado da 3ª Sessão Ordinária de 2013‏


RESULTADO DA 03ª SESSÃO ORDINÁRIA DE 2013 DISCUSSÃO E VOTAÇÃO ÚNICA:

 VETO TOTAL AO PROJETO DE LEI Nº 69/11 – Ver Omar Kazon – Dispõe sobre o reajuste das tarifas do transporte coletivo e de táxi e dá outras providências. (MANTIDO)
VETO TOTAL AO PROJETO DE LEI Nº 01/12 – Ver Omar Kazon – Acrescenta parágrafo único, no artigo 237, da Lei Municipal nº 1.144/1980, que institui o Código de Postura do Município de Caraguatatuba. (MANTIDO)
VETO TOTAL AO PROJETO DE LEI Nº 17/12 – Ver Silmara Selma Mattiazzo – Dá nova redação aos incisos I, II e III do artigo 44 da Lei Municipal nº 991/02, que institui o Plano de Carreira e de Remuneração do Magistério Público Municipal e dá outras providências. (MANTIDO)
VETO TOTAL AO PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 06/12 – VER Pedro Ivo de Souza Tau – Dá nova redação ao § 2º, do artigo 21, da Lei Complementar nº 25/07 – Estatuto dos Servidores Públicos Municipais – alterado pela Lei Complementar nº 38/11. (ADIADO)

Plano é somar ética com antipobreza Bastidores: Vera Rosa A largada da corrida pela reeleição de Dilma Rousseff foi dada ontem com o discurso do fim...


A largada da corrida pela reeleição de Dilma Rousseff foi dada ontem com o discurso do fim da miséria, mas a estratégia de comunicação para construir mais marcas de governo engatinha. Com a bandeira ética do PT maculada após as condenações do mensalão, Dilma vai apostar na "faxina" feita no início de seu governo. Quer, com isso, emplacar a imagem de um governo que não deixa roubar. Não é à toa que, embora os condenados do mensalão sejam esperados no ato político de hoje, não há desagravo programado. "Não dá para a gente fingir que não viu o erro, mas também não dá para ficar se martirizando nem ajoelhando no milho em praça pública", diz o governador da Bahia, o petista Jaques Wagner.
Foi para "vender" uma agenda positiva na véspera do ato petista que o marqueteiro João Santana acertou com Dilma a data da cerimônia para anunciar a retirada de 22 milhões de brasileiros da miséria. Trata-se de um discurso que renderá aplausos a ela e ao ex-presidente Lula na noite de hoje.
Na campanha de 2002, Lula usava todos os encontros com petistas para bater na tecla do acerto. "Não podemos errar", insistia. Após as condenações do mensalão, ele calibrou o tom para dizer que, no governo do PT, as instituições funcionam. "Ninguém é mais ético do que nós", costuma afirmar o ex-presidente. "No nosso governo, as pessoas são julgadas. No deles, se escondiam."
Ao falar "deles", Lula se refere aos tucanos. Na cartilha intitulada O decênio que mudou o Brasil, o PT compara, mais uma vez, os projetos de Lula e Dilma, chamados de "desenvolvimentistas", com a gestão de Fernando Henrique Cardoso (1995 a 2002), carimbada como "neoliberal". É com o PSDB, e não com o PSB, que os petistas preveem o mais duro confronto, em 2014.

Garotinho reclama de 'interferência' no PR


Candidato a líder do PR na Câmara, o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho disse ontem que tem apoio de 26 dos 35 deputados do partido e que "qualquer coisa diferente disso (ser escolhido o novo líder) pode ser considerada uma interferência externa na vontade da bancada". O deputado vai formalizar a candidatura no dia 28 e a eleição acontece em 1º de fevereiro.
Pré-candidato ao governo do Rio e ferrenho adversário do governador Sérgio Cabral (PMDB), Garotinho disse ter identificado "interesses particulares" de políticos próximos à presidente Dilma Rousseff contra a sua candidatura. Garotinho, porém, não enxerga nenhuma ação direta de Dilma. "São questões regionais, particulares, não acho que a presidente Dilma possa ver em mim qualquer empecilho para o projeto de poder dela", afirmou.
Aliados da presidente têm dito que Garotinho na liderança do PR enfraquece o apoio do partido à reeleição de Dilma em 2014. Para o deputado, no entanto, o que está em jogo é um esforço para evitar que seu nome ganhe visibilidade para a futura disputa estadual. "Só pode ser medo do pessoal ligado a Lindbergh Farias". O senador Lindbergh é pré-candidato do PT ao governo do Estado e deverá enfrentar, além de Garotinho, o vice-governador, Luiz Fernando Pezão (PMDB), candidato de Cabral.
O deputado do PR disse ter sido informado de que a chefe da Casa Civil, a petista Gleisi Hoffmann, pré-candidata ao governo do Paraná, quer o deputado Fernando Giacobo (PR-PR) na liderança. Segundo Garotinho, Giacobo, presidente do PR paranaense, poderia, como líder, facilitar uma aliança do partido com o PT no Paraná. "A liderança não deve ser de um Estado, tem que refletir o espírito da bancada. Nenhum dos deputados que assinaram minha indicação telefonou para retirar o apoio", afirmou.
Independente. O ex-governador tem agido de forma independente no Congresso e em várias ocasiões fez críticas ao governo Dilma e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Garotinho negou que, se assumir a liderança, vá trabalhar contra uma possível reaproximação do PR com a presidente, mas disse que a volta do partido à base depende de um gesto do governo.
"Eu não seria motivo de dificuldade para uma reaproximação com a presidente Dilma Rousseff. Não vamos fazer oposição nem ser situação. A resposta virá de acordo com a maneira como o governo tratar o partido."
Garotinho afirmou que sua candidatura a governador "continua firme", mas negou qualquer negociação com o PSDB. O presidente do PSDB-RJ, Luiz Paulo Corrêa da Rocha, também negou.

PT e PMDB prometem que disputa no RJ não afetará chapa de Dilma e Temer


Ao mesmo tempo que avançam na construção de candidaturas próprias para o governo do Estado, o PMDB e o PT do Rio de Janeiro se apressaram, nos últimos dias, em garantir que não causarão problemas para a chapa de reeleição Dilma Rousseff-Michel Temer. Oficialmente, líderes dos dois partidos dizem que trabalharão pela manutenção da aliança local, que reelegeu o governador peemedebista Sérgio Cabral em 2010, mas nenhum dos dois pré-candidatos, o vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e o senador Lindbergh Farias (PT), aceita abrir mão da disputa. Pezão e Lindbergh consideram fundamental a presença de Dilma em suas campanhas.
O senador petista diz que "é a vez de o PT liderar uma chapa no Rio de Janeiro" e oferece a vaga de vice-governador para o PMDB. Mas, no caso de ruptura da aliança local, garante que não se oporia a dividir a atenção de Dilma com o candidato do PMDB. "O cenário ideal é a manutenção da aliança PT-PMDB no Rio e queremos o PMDB na vice com a gente. Tenho o maior respeito pelo Pezão. Se não der para manter a aliança, não é o fim do mundo. Não é nenhum problema a presidenta Dilma ter dois palanques no Rio. Problema é não ter palanque", disse Lindbergh.
Em 2010, Lindbergh lançou a pré-candidatura ao governo do Rio, mas foi convencido pelo então presidente Lula a desistir da candidatura em favor de Cabral e disputou o Senado na chapa do governador. A partir desta quarta, o senador será a estrela do programa eleitoral do PT do Rio, dirigido pelo marqueteiro de Dilma, João Santana. Serão 40 inserções de trinta segundos, veiculadas durante quatro dias. O envolvimento de João Santana no programa é apontado pelos aliados de Lindbergh como um sinal de que Lula e Dilma não voltarão a trabalhar contra a candidatura do petista. No dia 1º de março, o senador começa uma "caravana" pela região metropolitana e interior.
Do lado do PMDB, é o presidente do partido no Rio, Jorge Picciani, quem prega o apoio à reeleição de Dilma Rousseff, mesmo que Lindbergh leve adiante sua candidatura. "Não concordo com esse caminho de pôr em dúvida o apoio à reeleição da presidente por causa da eleição no Rio de Janeiro. O País está no caminho certo com a aliança nacional PT-PMDB", afirma Picciani.
O dirigente peemedebista desaprova a estratégia defendida por alguns companheiros do PMDB de oferecer ao PT a única candidatura ao Senado, na chapa de Pezão, a fim de enfraquecer a candidatura Lindbergh. "Nosso candidato ao Senado é Francisco Dornelles (senador do PP que encerra o mandato em 2014)", diz Picciani. Lindbergh também oferece a vaga de senador em sua chapa para Dornelles. O PMDB reserva a vaga de candidato a vice-governador ao secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, responsável pela implementação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). Beltrame tem resistido. "Temos que usar nossos ativos. Cabe ao governador Sérgio Cabral convencê-lo", diz Picciani.
Na hipótese de não conseguir levar adiante a candidatura ao governo pelo PT, Lindbergh teria a opção de ingressar no PSB e criar um palanque forte para uma possível candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, à Presidência da República. Aliados de Campos, presidente nacional do PSB, dizem que as portas do partido estão abertas para Lindbergh, mas que depende do senador. Lindbergh diz que não trabalha com a hipótese de deixar o PT.

Greve dos vigilantes fecha os bancos em Sorocaba-SP


A greve dos vigilantes impediu o funcionamento das agências bancárias e causou um princípio de tumulto nesta quarta-feira em Sorocaba (SP). Durante passeata pelo centro da cidade, seguranças de um carro-forte que descarregava malotes com dinheiro numa agência foram obrigados a parar o trabalho e reagiram com provocações. O carro-forte teve o vidro e o espelho retrovisor quebrados pelos manifestantes. Um dos seguranças teria apontado uma arma para os grevistas.
A categoria cobra o pagamento do adicional de periculosidade aprovado por lei em dezembro do ano passado. Em razão da falta de segurança, as agências bancárias suspenderam o atendimento. Durante a manhã, alguns bancos já exibiam cartazes informando que não haveria atendimento ao público. Filas imensas formaram-se nos caixas eletrônicos. Como a reposição do dinheiro não era feita, a maioria dos equipamentos estava indisponível para saque no meio da tarde.
O Sindicato dos Vigilantes de Sorocaba, que aderiu à paralisação nacional da categoria, reúne dois mil trabalhadores na região. De acordo com o presidente Sérgio Ricardo dos Santos, a greve foi programada por um dia para alertar os empresários sobre o descumprimento da lei federal que garante um adicional de 30% nos salários a título de periculosidade. Os vigilantes voltam ao trabalho na quinta-feira (21).

MP do Rio investiga relação do presidente da Mangueira com o tráfico


MP do Rio investiga relação do presidente da Mangueira com o tráfico

O Ministério Público do Rio (MP-RJ) pediu na terça-feira, 19, à Justiça a quebra do sigilo bancário do presidente da Estação Primeira de Mangueira, Ivo Rene Meirelles, no período entre abril de 2009 - um mês antes da posse dele no cargo - até dezembro de 2012. O MP também requereu as declarações de imposto de renda do músico, bem como a quebra do sigilo bancário da escola de samba. Em outubro de 2011, Ivo foi indiciado no inquérito 017/1045/2011, da 17ª Delegacia de Polícia (São Cristóvão), pelo crime de associação para o tráfico de drogas no Morro da Mangueira, zona norte.
O inquérito foi instaurado em março daquele ano, após a Ouvidoria do MP-RJ receber uma denúncia anônima de que Meirelles teria sido imposto na presidência da Mangueira pelos traficantes Alexander Mendes da Silva, o Polegar, que está preso, e Vinicius de Lima Pereira, o Chevette. Em troca, Meirelles pagaria R$ 150 mil mensais ao tráfico - o dinheiro seria desviado da escola de samba.
Após o indiciamento pela Polícia Civil, o inquérito foi remetido ao MP, que requereu novas investigações. Em novembro de 2012, o MP solicitou ao juízo da 39ª Vara Criminal a quebra do sigilo fiscal de Meirelles e da Mangueira. No início deste mês, o Banco Central informou ao MP-RJ que em nome de Meirelles há 6 contas correntes. Já a escola de samba possui 54 contas.
Caso a Justiça concorde com a quebra do sigilo bancário de Meirelles e da escola de samba, o MP-RJ vai procurar alguma transação financeira que comprove a suposta ligação do músico com os traficantes da Mangueira.
Em depoimento, Meirelles admitiu que conhece Polegar e seu tio Francisco Paulo Testas Monteiro, o Tuchinha, que já cumpriu pena pela acusação de ter chefiado o tráfico na Mangueira. O músico alegou que os conhece de infância, já que todos são nascidos e criados na favela.
Meirelles negou conhecer o traficante Lucio Mauro Carneiro dos Passos,o Biscoito, apesar de aparecer numa foto, anexada ao inquérito, bebendo cerveja com ele e Tuchinha. A foto foi publicada ontem pelo jornal "Extra". Biscoito atualmente está preso.
"Ivo não nega que conhece Tuchinha desde a infância. Naquela ocasião,eles estavam numa churrascaria, que é um local público, celebrando a saída de Tuchinha da cadeia depois de 16 anos e a sua decisão de não retornar ao tráfico. E não vão achar nada na quebra de sigilo dele: apenas a movimentação do dinheiro que ele ganha como músico", afirmou o advogado de Meirelles, Sergio Riera.
Comércio fechado. Pelo segundo dia consecutivo, o comércio no Morro da Mangueira permaneceu fechado ontem por ordem do tráfico. O luto foi imposto após o traficante Acir Ronaldo Monteiro da Silva, o 2K, ter sido assassinado, na noite de domingo, na zona oeste. Outros dois homens ligados à escola de samba foram executados na madrugada de segunda. A polícia ainda investiga se os crimes estão relacionados à eleição para a presidência da Mangueira.
O traficante 2K foi acusado por Ivo Meirelles de ter invadido a quadra da Mangueira durante a eleição para a presidência da agremiação, em março do ano passado. O pleito foi parar na Justiça, que marcou a data da votação para o próximo dia 28 de abril.

Infelizmente os grandes sites da mídia não estão divulgando a notícia, então compartilhem!!!

Encomenda para o Senado, e dessa vez não é pizza! 
Ativistas entregaram agora há pouco aos senadores, a petição com 1,6 milhões de assinaturas que pede a saída de Renan Calheiros da presidência do Senado.

Médicos são condenados por tráfico de órgãos


A Justiça mineira condenou quatro médicos do sul do Estado por tráfico ilegal de órgãos e tecidos humanos. O juiz Narciso Alvarenga Monteiro de Castro, da 1ª Vara Criminal de Poços de Caldas, afirmou que os acusados cometeram ao menos um homicídio para a retirada de rins, fígado e córneas e constatou que houve outras mortes suspeitas relacionadas ao grupo.
A denúncia do Ministério Público Estadual (MPE) partiu de investigações que deram origem à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Tráfico de Órgãos que tramitou na Câmara dos Deputados em 2004. Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), Alexandre Crispino Zincone foi condenado a 11 anos e seis meses de prisão, enquanto Cláudio Rogério Carneiro Fernandes, João Alberto Goes Brandão e Celso Roberto Frasson Scafi foram condenados a oito anos de prisão cada, todos em regime fechado. Eles poderão recorrer da sentença, mas o magistrado determinou a apreensão dos passaportes dos acusados, o descredenciamento deles do Sistema Único de Saúde (SUS) e proibiu os réus de deixarem a comarca sem autorização.
O MPE denunciou outras duas pessoas, mas o juiz declarou a extinção da punibilidade dos acusados porque já completaram 70 anos, idade em que a prescrição ocorre na metade do tempo. Mas o magistrado determinou que o caso seja encaminhado aos conselhos Regional e Federal de Medicina para apuração administrativa que pode resultar até na cassação dos registros.
Segundo o processo, os acusados trabalhavam em uma central clandestina chamada MG-Sul Transplantes, que operaria uma lista própria de receptores de órgãos e tecidos. De acordo com a denúncia, em abril de 2001, um dos médicos "praticou homicídio doloso" contra um paciente do SUS, outros dois retiraram os órgãos e um quarto vendeu o material, com intermediação de um quinto acusado. Os suspeitos ainda teriam cobrado por transplantes custeados pelo SUS.
Auditoria
No processo, o juiz Narciso de Castro relatou ainda que auditorias feitas em instituições de Saúde da cidade revelaram outras irregularidades, inclusive suspeitas de outras mortes que podem ter sido provocadas para a retirada de tecidos e órgãos. Segundo o magistrado, as mortes eram de pacientes "jovens, pobres, aptos a se candidatarem a doadores" e que ficavam dias sem tratamento ou com tratamento errado e eram mantidos sedados "para que os familiares, também na maior parte dos casos semianalfabetos, não desconfiassem de nada".
O juiz salientou o caso de um paciente que foi atendido inicialmente em "bom estado neurológico e consciente", mas que, depois de ficar sem assistência ou monitoração por vários dias em uma enfermaria - quando deveria ter sido levado para o Centro de Terapia Intensiva (CTI) -, teve a morte confirmada. O mesmo médico que atendeu e que "não assistiu adequadamente o paciente" foi o que declarou sua morte encefálica, procedimento vedado pela lei.
A reportagem tentou falar com os acusados, mas eles não foram encontrados. Nos escritórios dos advogados Roberto Maya Castellari e Frederico Gomes de Almeida Horta, que representaram os médicos no processo, ninguém atendeu na tarde desta quarta. O telefone que consta como sendo da MG-Sul Transplantes não existe.

Lei Seca flagra motoristas no interior de São Paulo O feriadão de Carnaval ainda nem terminou, mas muitos motoristas já foram pegos no interior de São Paulo por dirigirem...


O feriadão de Carnaval ainda nem terminou, mas muitos motoristas já foram pegos no interior de São Paulo por dirigirem alcoolizados. Em Ribeirão Preto, no final da tarde de sábado, um motorista foi flagrado ao ser parado numa blitz da Polícia Militar na avenida Pio XII. Ele aceitou passar pelo teste do bafômetro que constatou 0,49 miligramas de álcool por litro de ar expelido.
Policiais contaram que o motorista foi convidado a fazer o teste porque tinha os olhos vermelhos e exalava cheiro de álcool. Como o resultado deu positivo, ele foi autuado por crime de trânsito com base na nova legislação que não prevê tolerância para quem bebe e dirige.
Levado à delegacia, o acusado confirmou ter tomado três latinhas de cerveja, sendo ouvido e liberado para responder em liberdade. No seu caso, como o bafômetro acusou mais de 0,34 miligramas, além de responder a processo, a multa é de R$ 1.915,40 e vem acompanhada de sete pontos na carteira e suspensão do direito de dirigir por um ano.
Anhanguera
Já na rodovia Anhanguera, entre as cidades de Leme e Santa Cruz da Conceição, na madrugada deste domingo, cinco motoristas foram autuados pela Polícia Rodoviária e dois ficaram detidos após também serem pegos embriagados ao volante. Na região, policiais intensificaram a fiscalização para tentar reduzir os acidentes de trânsito. O número de mortos nas estradas aumento 160% no ano passado. Foram 13 vítimas em 2012 contra apenas 5 no ano anterior.

Padre embriagado sobe na calçada e bate em moto O padre Paulo Afonso Alves Sobrinho, de 39 anos, foi detido anteontem, acusado de dirigir embriagado e provocar...

O padre Paulo Afonso Alves Sobrinho, de 39 anos, foi detido anteontem, acusado de dirigir embriagado e provocar um acidente em Guarulhos. Segundo a polícia, ele foi flagrado com 0,75 miligrama de álcool por litro de ar expelido, mais que o dobro do suficiente para colocá-lo na prisão (0,3 miligrama). O padre pagou fiança de R$ 3 mil e foi posto em liberdade. Ele dirigia um CrossFox pela Avenida Doutor Timóteo Penteado, no bairro Picanço, às 15h45, quando subiu na calçada e atingiu a moto de um guarda municipal, de 31 anos. A Cúria Diocesana de Guarulhos considerou "grave e lamentável" o incidente.

Renan anuncia cortes de gastos para conter protestos Presidente do Senado comunicou reforma administrativa na Casa um dia antes de ato que pede seu impeachment


Sob pressão pública desde que voltou ao comando do Congresso, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou ontem uma reforma administrativa na Casa que prevê uma economia anual de R$ 262 milhões. Em pronunciamento no plenário, Renan comunicou mudanças na administração do Senado que, segundo ele, "vão ao encontro dos desejos da sociedade". Em 2012, o orçamento da Casa foi de 3,3 bilhões.
A apresentação da reforma por Renan Calheiros ocorre um dia antes do ato no qual uma entidade não-governamental do Rio de Janeiro, Avaaz, entregará nesta tarde a senadores uma petição com cerca de 1,6 milhões de assinaturas virtuais em que pede o impeachment do presidente do Senado. A petição online, contudo, não tem valor jurídico - somente os próprios senadores podem apeá-lo do poder.
Renan voltou ao cargo máximo do Legislativo pouco mais de cinco anos depois de renunciar do posto para escapar da cassação. Na época, foi alvo de processos de quebra de decoro parlamentar de ter despesas pessoais pagas por um lobista de uma empreiteira e de usar documentos forjados para justificar seu patrimônio. Às vésperas de ser eleito, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, denunciou-o por uso de documento falso, falsidade ideológica e peculato.
Jornada. A mudança que deve acarretar a maior economia de recursos é a ampliação de seis para sete horas da jornada de trabalho dos funcionários do Senado. A medida diminui o gasto com horas extras. A redução, segundo Renan, será de R$ 160 milhões por ano. A não renovação de contratos de mão de obra com vencimento até o meio do ano e a redução do número de funcionários levaria a um corte de R$ 66 milhões/ano. O presidente do Senado, contudo, não especificou quais das alterações já passam a valer e quais precisam do aval do plenário da Casa para vigorar.

Proteste diz ter encontrado pelos em ketchup da Heinz A Proteste - Associação Brasileira de Defesa do Consumidor informou nesta terça-feira que pediu à Agência Nacional...


Associação Brasileira de Defesa do Consumidor informou nesta terça-feira que pediu à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a retirada preventiva do mercado do lote 2C30 do Tomato Ketchup Heinz, de 397 gramas, após ter encontrado pelos de roedor no produto. Segundo a entidade, as amostras foram compradas em supermercado de São Bernardo (SP) no fim do ano passado. A empresa negou as irregularidade e questionou os testes.
Em nota, a Anvisa informou que no último dia 15 foi notificada do fato pela Proteste, porém invocou o Parecer nº 127/2007/Anvisa/MS para concluir que, "na seara de exercício do poder de polícia sanitária, não se mostra legítima a transferência a laboratórios não oficiais das atividades de análises probatórias para subsidiar decisão de polícia administrativa", ou seja, que não vai tomar uma decisão de retirada de um produto do mercado em razão de teste feito por órgão não oficial. Além disso, considerou os laudos da avaliação do produto insatisfatórios.
A Anvisa também informou que acionou o Órgão de Vigilância Sanitária do Estado de Goiás "para verificar o cumprimento da legislação sanitária vigente, uma vez que as ações na área de alimentos são descentralizadas". Contatado, o Órgão de Vigilância Sanitária ainda estava apurando os fatos para tomar uma posição. A Heinz é dona da marca Quero Alimentos no Brasil, cujo parque industrial se localiza em Goiás.
Em nota enviada à imprensa, a Heinz Brasil informou que não teve a oportunidade de avaliar o produto em questão ou de validar a precisão do teste do produto. "Com base em nossos rigorosos programas de qualidade e segurança temos razões para questionar o teste e não temos nenhuma evidência de problemas de segurança com o produto", segundo a nota.
Na semana passada, a marca de alimentos Heinz entrou para a lista de negócios capitaneados pelo fundo 3G, dos brasileiros Jorge Paulo Lemann, Beto Sicupira e Marcel Telles, fundadores da Ambev. Eles se uniram ao megainvestidor Warren Buffett e pagaram US$ 28 bilhões pela empresa fundada em 1869. O objetivo é tornar a Heinz uma potência global de alimentos comparável à AB Inbev em bebidas.

Médica de UTI é presa por suspeita de ajudar pacientes terminais a morrer Investigada há um ano, Virgínia Soares de Souza trabalha no Hospital Evangélico, em Curitiba (PR), e polícia analisa prontuário de 18 pacientes mortos no período


A médica Virgínia Soares de Souza, que trabalha na UTI do Hospital Evangélico, em Curitiba (PR), foi presa na manhã de terça-feira, 19, durante operação do Núcleo de Repressão aos Crimes Contra a Saúde (Nucrisa), da Polícia Civil. Ela é suspeita, segundo fontes ligadas à polícia, de ter praticado eutanásia (indução à morte de pacientes com consentimento, mas que é crime no Brasil) e vinha sendo investigada havia um ano, juntamente com outros profissionais. Pelo menos 18 casos estão sob investigação.
Logo após seu depoimento, a médica foi levada ao Centro de Triagem na capital. Cerca de 20 pessoas que atuam ou trabalharam na UTI estão sendo ouvidas.
A Polícia Civil não revelou quantos casos de eutanásia teriam sido praticados pela médica, pois a investigação corre sob sigilo de Justiça. Mas, além da prisão da profissional de saúde, a polícia levou 18 prontuários de pacientes que estiveram na UTI nos últimos meses e se colocou à disposição de pessoas que perderam familiares na UTI e queiram prestar algum tipo de queixa.
A delegada Paula Brisola concederia uma entrevista coletiva no final da tarde. Mas, 30 minutos depois do horário previsto, a Secretaria de Segurança Pública informou que somente o secretário Cid Vasquez falaria sobre as investigações, hoje. Antes, a delegada havia dito a uma emissora de TV que não poderia dar detalhes da operação. "Uma palavra mal interpretada pode provocar algum transtorno. É um processo que está em andamento e não há como passar algo."
O advogado de defesa de Virgínia, Elias Mattar Assad, falou que sua cliente trabalha desde 1988 no hospital e não há sentido em sua prisão. "Não há nada que desabone o trabalho dela. Pode ter ocorrido um erro de interpretação em alguns termos por meio de pessoas não familiarizadas com a linguagem de uma UTI", disse. "Ela sempre agiu preservando vidas dentro da ética médica e dos critérios nacionais de terapia intensiva, com criteriosas discussões dos casos com médicos assistentes e famílias dos pacientes".
Segundo o secretário estadual de Saúde, Michele Caputo Neto, "o Estado terá participação na comissão de sindicância que vai investigar as mortes na UTI".
Em nota, o Hospital Evangélico informou que abrirá sindicância interna. Também declarou que, por se tratar de processo que corre sob segredo de Justiça, não teria "conhecimento adequado dos fatos para emitir qualquer juízo". Sobre Virgínia, disse reconhecer a "competência profissional" e afirma que "até o momento desconhece qualquer ato técnico da mesma que tenha ferido a ética médica."
Outros problemas. Uma morte ocorrida na UTI do Evangélico em agosto passado chamou a atenção da imprensa na época. A qual a direção do hospital admitiu o erro de uma enfermeira, que desligou a máquina que mantinha vivo um paciente.
O paciente, João Carlos Rodrigues, de 33 anos, sofria de uma rara doença neuromuscular degenerativa e estava internado ali havia quatro anos e quatro meses. Rodrigues escreveu um livro, Caçador de Lembranças, no qual relata desde os sintomas da doença até a internação. Ao saber da morte do filho, a mãe de Rodrigues teve um infarto fulminante e também morreu.
Além da morte de Rodrigues, outra atribulação pela qual o Hospital Evangélico foi a acusação de ter dívidas de até R$ 260 milhões. A unidade também foi obrigada a devolver R$ 3,1 milhões ao Ministério do Esporte por conta de recursos recebidos para treinamento de médicos para a Copa do Mundo, o que não ocorreu. Neste mês, o hospital enfrentou greve de médicos.

Dengue leva Sorocaba-SP a decretar emergência De acordo com prefeito, a medida visa permitir a compra de medicamentos sem a necessidade de licitação


 A prefeitura de Sorocaba (SP) decretou situação de emergência na cidade, no final da tarde desta segunda-feira, em razão do surto epidêmico de dengue que, na semana passada, causou a morte de um garoto de 13 anos.
De acordo com o prefeito Antonio Carlos Pannunzio (PSDB), a medida visa a permitir a compra de materiais e medicamentos sem a necessidade de licitação. "Estamos num surto de dengue, com forte probabilidade de termos uma epidemia de grandes proporções entre o final de março e início de abril", previu.
Até o último dia 15, tinham sido confirmados 132 casos este ano na cidade - no mesmo período do ano passado foram apenas três. Também ocorreu a primeira morte por dengue hemorrágica - a do menino de 13 anos. A prefeitura anunciou um plano de contingência contra a doença e pôs em prontidão a estrutura de suporte à Defesa Civil, que inclui Corpo de Bombeiros, Guarda Municipal, Polícia Militar e Tiro de Guerra. A estrutura hospitalar terá de seguir um protocolo para atendimento a pessoas com suspeita da doença. Uma lei municipal permite a entrada das equipes de controle em imóveis fechados, mediante arrombamento.

Médico esquece faca no peito do paciente Jovem de Araxá (MG) diz que sente o objeto mexer quando está caminhando


A Secretaria Municipal de Saúde de Araxá (MG) investiga os motivos que levaram um médico a deixar uma faca dentro do peito do paciente. Claudinei Geraldo da Silva, de 25 anos, diz que quando está caminhando chega a sentir o objeto, detectado em raio X, se movendo. Ele foi esfaqueado no final de novembro durante uma tentativa de assalto, ocasião em que foi medicado em uma unidade do PAM (Pronto Atendimento Municipal).
Silva conta que estava na avenida Washington Barcelos quando uma quadrilha o rendeu e tentou levar sua caminhonete. Ele reagiu e foi atingido com uma facada nas costas. Socorrido até o PAM, o médico não teria solicitado nenhum exame, apenas providenciado alguns pontos no corte e depois liberado o paciente.
Com dores, Silva alega ter voltado várias vezes ao Pronto Atendimento Municipal, mas sempre ouvia que isso era normal e recebido apenas a prescrição de analgésicos. O rapaz afirma que foi somente neste mês que conseguiu encaminhamento para uma ultrassonografia que constatou a presença da faca com 11 centímetros de lâmina no seu peito.
A partir daí ele passou a lutar para conseguir autorização para fazer a cirurgia de retirada do objeto. Ele teme que a faca esteja se mexendo e possa até levá-lo à morte. "Quando mexo o braço esquerdo sinto uma ferroada muito forte", afirmou o paciente que deixou de trabalhar como pedreiro por conta das dores. A cirurgia ainda nem teria sido marcada e talvez tenha de ser realizada em outra cidade devido a sua complexidade. No raio X é possível ver que a lâmina da faca chega a passar entre os ossos da costela.
A Agência Estado tentou falar com o secretário de Saúde de Araxá (MG), Luis Fernando Alves de Castro, mas ele não foi localizado nesta terça-feira (19). Mas na secretaria foi informado que o paciente será mesmo encaminhado para realizar a operação de retirada da lâmina, ainda sem data definida. Também foi aberto um processo interno para apurar responsabilidades no caso. O médico que fez o atendimento e que não teve o nome revelado seria ouvido na tarde desta terça (19).

Médico esquece faca no peito do paciente

Protesto contra Renan reúne 30 pessoas em frente ao Congresso Simbolicamente, ato representa total de 1,6 milhão de assinaturas obtidas em uma petição aberta na internet


O movimento que pede a saída de Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado reuniu menos de 30 pessoas no gramado em frente ao Congresso Nacional na manhã desta quarta-feira, 20.
Simbolicamente, no entanto, o ato representa um total de 1,6 milhão de assinaturas obtidas em uma petição online. As adesões, promovidas pelo site da ONG Avaaz, pedem que Calheiros deixe a presidência do Senado. Uma das argumentações é a de que as acusações de corrupção contra o senador no STF não são compatíveis com cargo de presidente do Congresso. Os manifestantes também colocaram uma bandeira gigante do Brasil no gramado do Congresso. Na bandeira estava escrito: "Será que o Senado vai ouvir?".
O diretor de campanhas da Avaaz, Pedro Abramovay, que é também professor de Direito da Fundação Getúlio Vargas(FGV), vai encaminhar nesta quarta uma representação na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) federal.
Ele quer que a OAB encaminhe uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) ao STF pedindo o fim do voto secreto na escolha do presidente do Senado. Neste momento, os manifestantes estão ingressando no Congresso, onde haverá uma reunião para a entrega das assinaturas para parlamentares da oposição.
Na internet, a Avaaz informa que "é uma comunidade de mobilização online que leva a voz da sociedade civil para a política global".

Protesto contra Renan reúne 30 pessoas em frente ao Congresso

Aécio diz que Dilma está longe de cumprir promessas feitas em 2010 Pré-candidato do PSDB à Presidência disse que Dilma gasta recursos apenas com propaganda


O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves (MG), afirmou nesta quarta-feira, 20, que a presidente Dilma Rousseff "chega à metade do trabalho longe de cumprir suas promessas da campanha de 2010". Aécio Neves disse que o País está estagnado e que os recursos do governo têm sido gastos somente com propaganda, como é, na opinião dele, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), uma das vedetes do governo federal.
No discurso, o tucano enumerou o que considera 13 fracassos dos 10 anos do governo petista, no dia em que um ato vai comemorar em São Paulo as gestões Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva. Entre eles, destacou que o País foi salvo do apagão de energia pelo "péssimo desempenho da economia" no ano passado.
O senador disse que o governo foi poupado porque a economia cresceu menos e, segundo ele, a infraestrutura do setor foi construída pelo governo Fernando Henrique Cardoso. "Esse risco (do apagão) só não é maior porque o parque termoelétrico da gestão Fernando Henrique Cardoso, tão combatido pelo PT, opera com a capacidade máxima", disse.
"Hoje seria um ótimo dia para que o PT revisitasse a sua história", criticou. "O Brasil não foi descoberto pelo ano de 2003", afirmou o senador tucano em discurso no plenário do Senado.

Com o pé lesionado, Dilma tenta acordos com primeiro-ministro da Rússia Presidente e Medvedev trataram sobre cooperação nas áreas de gás, petróleo e energia nuclear


Com o pé lesionado, a presidente Dilma Rousseff recebeu nesta quarta-feira, 20, o primeiro-ministro da Rússia, Dmitri Medvedev, no Palácio do Planalto para costurar novos acordos de cooperação entre os países. A ideia é que os negócios sejam fechados com menos burocracia.
A discussão sobre a retirada do embargo pela Rússia à carne brasileira será tratada na reunião técnica entre Medvedev e o vice-presidente Michel Temer, no Itamaraty. Segundo a Secretaria de Imprensa do Planalto, Dilma e Medvedev também conversaram sobre cooperação nas áreas de energia, gás, petróleo, hidrelétricas, energia nuclear, área especial e defesa.
A presidente Dilma aproveitou a oportunidade para convidar empresas russas a participarem dos vários processos de licitação que o governo está fazendo na área de infraestrutura.
Lesão. Dilma sofreu uma fissura no dedão do pé direito assim que chegou à Base Naval de Aratu, em Salvador (BA), onde passou o feriado de carnaval. Dilma tropeçou na escada da casa da base naval e precisou imobilizar o pé com uma bota ortopédica, da qual fez uso por duas semanas.

Com o pé lesionado, Dilma tenta acordos com primeiro-ministro da Rússia