A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Piso salarial dos professores deve subir 13%, estima CNM

O piso salarial dos professores, definido em lei de 2008, deve ser reajustado em 13%, segundo estimativa da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). De acordo com a projeção, o valor aumentará de R$ 1.697,39 para R$ 1.918.16 em 2015.

O Ministério da Educação (MEC) deve anunciar ainda nesta semana o novo valor. De acordo com a chamada Lei do Piso (11.738/2008), o critério para reajuste é a variação entre o valor aluno/ano dos ciclo inicial do ensino fundamental urbano do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) nos dois anos anteriores. Esse reajuste deve ser concedido em janeiro. Os cálculos levam em conta a variação entre as estimativas dos custo aluno por ano do Fundeb de R$ 2.022,51 para 2013 e de R$ 2.285,57 para 2014.
A CNM reivindica alterações no cálculo e protocolou nesta segunda-feira, dia 5, audiência com o ministro da Educação, Cid Gomes. A entidade argumenta que o aumento tem sido muito superior à inflação e ao crescimento das receitas municipais, provocando impacto nas contas das Prefeituras.
O Plano Nacional de Educação (PNE) prevê equiparar o rendimento médio dos professores ao dos demais profissionais com escolaridade equivalente até o final do sexto ano de vigência do plano. Pesquisas apontam que o ganho médio dos professores é 40% mais baixo do que de profissionais com a mesma titulação.

Novo ministro da Educação quer fazer Enem online, diz jornal

Cid Gomes, novo ministro da Educação (MEC),  pretende propor um novo formato para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A nova prova seria online e aconteceria mais de uma vez por ano, segundo ele afirmou. 
De acordo com o novo projeto, os estudantes fariam o exame em terminais de computadores. Segundo a publiação, a ideia é adotar um sistema semelhante ao SAT  (Scholastic Aptitude Test)  americano, que define um conjunto de questões aleatórias para cada candidato. Dessa forma, cada aluno faria uma prova diferente.  
O novo ministro pretende também retomar uma antiga ideia de Fernando Haddad, quando estava no comando da pasta, e acabar com a aplicação da prova em um único fim de semana para os candidatos de todo o país.
Assim, os alunos teriam à disposição uma janela de dias para fazer a prova em locais credenciados. Os candidatos poderiam também fazer quantas edições desejasse. Ficaria a cargo das universidades determinar quais versões seriam aceitas.
Estudante durante a prova do Enem: de acordo com proposta de Cid Gomes, cada candidatos faria uma prova diferente e poderia fazer o exame mais de uma vez ao longo do ano
 Estudante durante a prova do Enem: de acordo com proposta de Cid Gomes, cada candidatos faria uma prova diferente e poderia fazer o exame mais de uma vez ao longo do ano

O Enem é hoje o maior vestibular do país. A edição de 2014 bateu recorde de 8,7 milhões de candidatos inscritos. Destes 6,3 milhões realizaram o exame.
A prova é a porta de entrada para pelo menos 170 mil vagas em cursos superiores de instituições públicas. O resultado do Enem 2014 será divulgado na próxima terça-feira.

Cai rendimento dos alunos do Enem em matemática e redação

A nota média em matemática e redação dos alunos concluintes do ensino médio que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) caiu nesta última edição do exame, informou nesta terça-feira o Ministério da Educação (MEC). O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) prometeu disponibilizar ainda nesta terça-feira os resultados individuais de desempenho no Enem 2014 no site do instituto.
No Enem 2014, a média desses alunos na prova de matemática foi de 476,6 pontos, uma queda de 7,3% em relação ao desempenho dos alunos concluintes do ensino médio que fizeram o Enem 2013 - naquele exame, a média foi de 514,1 pontos. 
Em redação, também houve queda. A nota média da redação dos estudantes concluintes de ensino médio foi de 470,8 pontos em 2014, uma queda de 9,7% em relação a 2013, quando a nota foi de 521,1 pontos.
Em 2013, a redação do Enem enfocou a lei seca; em 2014, o aluno tinha de escrever sobre questões éticas associadas à publicidade infantil.
"O tema de 2013 foi Lei Seca, essa questão foi muito debatida, muito discutida. O tema de agora não é um tema que se ouve. Não diria (um tema) mais difícil, isso é relativo, é, sem dúvida, um tema que não teve o grau de discussão nacional que aconteceu com o tema de 2013", observou o ministro da Educação, Cid Gomes.
Em ciências humanas, ciências da natureza e linguagens e códigos, o desempenho dos estudantes concluintes em 2014 foi melhor que em 2013 - as variações positivas foram de 2,3%, 5,4% e 3,9%, respectivamente. 
Comparando o quadro geral, considerando todas as seções, a média global de 2014 dos estudantes concluintes do ensino médio no Enem foi de 499 pontos, ante 504,3 pontos em 2013 (uma queda de 1%).
"Na média, ficamos estável, não houve grande evolução. Caímos em matemática, redação, melhoramos em ciências naturais", avaliou Cid, observando que considerava dentro da margem de erro variações inferiores a 5%.
"(Se estou) Satisfeito? Claro que não. O que importa disso tudo é a média, a média é o que é importante, a (queda) na média, de menos 1%, tá na margem de erro. Em matemática houve queda. Em redação sim (houve queda)", observou o ministro.
Para Cid Gomes, cabe à comunidade acadêmica se debruçar sobre os dados disponibilizados pelo MEC e fazer um juízo de valor sobre as variações de desempenho e suas causas. 

Aluno de particular pode ter passe livre

Técnicos da São Paulo Transporte (SPTrans), empresa da Prefeitura que gerencia a rede de ônibus da capital paulista, estão fazendo contas para tentar estender o passe livre estudantil a alunos da rede privada, incluindo estudantes universitários.
A medida é reivindicação de cinco entidades representativas do movimento estudantil, incluindo a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Estadual dos Estudantes (UEE), que apresentaram nesta quinta-feira, 15, uma carta com dez propostas para o transporte ao prefeito Fernando Haddad (PT). Essas entidades apoiaram o ato do Movimento Passe Livre (MPL) contra o aumento da tarifa de ônibus para R$ 3,50, ocorrido na semana passada. E estarão no protesto marcado para hoje, a partir das 17 horas, no segundo protesto contra a tarifa, com concentração na Praça do Ciclista, na Avenida Paulista, perto da Rua da Consolação.
A expectativa é de que o aumento do benefício possa desidratar as passeatas do MPL. Na semana passada, o ato terminou com forte repressão policial e atos de vandalismo. O encontro de Haddad ocorreu depois de um grupo de estudantes acampar na porta da Prefeitura, na manhã desta quinta-feira - e não estava na agenda oficial do prefeito. 
Em nota oficial, a Prefeitura limitou-se a confirmar a ocorrência do encontro e o recebimento da carta de reivindicações. Na reunião, estavam também os secretários municipais de Transportes, Jilmar Tatto, e de Relações Internacionais e Federativas, Leonardo Barchini. 
“A gente concorda, em perspectiva, com a redução da tarifa (bandeira do MPL), mas optou em construir uma jornada de luta própria, pelo passe livre estudantil. Somos uma entidade representativa dos estudantes”, disse a estudante de Economia da PUC Carina Vitral, de 26 anos, presidente da UEE.
Irrestrito. Além de estender o benefício do passe livre estudantil para a rede privada, as propostas em análise incluem também suspender a regra que restringe o passe livre a estudantes que moram a até um quilômetro da escola e aumentar para 31 cotas de viagens por mês - pelas regras da Prefeitura, são 28 cotas. Mas os alunos querem que o passe livre seja irrestrito para estudantes.
As propostas estudantis também serão encaminhadas para o governo do Estado, responsável pelo gerenciamento do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Um acampamento, como o que foi montado nesta quinta na frente da Prefeitura, também deverá ser montado no Palácio dos Bandeirantes.
Estado procurou, na noite desta quinta, os representantes do Movimento Passe Livre para repercutir os novos estudos e as ações do movimento estudantil, mas ninguém foi localizado. 

O que os países ricos estão fazendo para melhorar a educação?

Estudo analisou 450 iniciativas de 34 países para melhorar educação
Um estudo inédito divulgado nesta segunda-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) analisa mais de 450 iniciativas implementadas por 34 países com o objetivo de aperfeiçoar seus sistemas educacionais.
A mudança mais popular no grupo, que reúne majoritariamente países ricos e não inclui o Brasil, diz respeito à preparação dos estudantes para o mercado de trabalho, voltado principalmente para o ensino profissional e técnico.
Este tipo de mudança tem forte impacto, segundo especialistas, na produtividade dos trabalhadores - o que colabora para fortalecer a economia dos países.
A segunda reforma mais popular envolveu melhorias no ambiente escolar, com foco principalmente na preparação de professores.
A OCDE analisou iniciativas adotadas nos últimos sete anos. Segundo a organização, ainda é preciso analisar os resultados da maior parte destas políticas.
Embora os pesquisadores ressaltem que as soluções dizem respeito a cada país e não podem ser simplesmente copiadas para outras realidades, algumas ideias podem fornecer material para o debate geral de como melhorar a educação.
Eis algumas delas compiladas pela BBC Brasil.
1) Mercado de trabalho ou continuidade dos estudos
Quase um terço (29%) das reformas implementadas tiveram como objetivo preparar os estudantes tanto para o mercado de trabalho como para continuar seus estudos. O foco principal foram reformas nos sistemas nacionais de ensino profissional ou técnico.
Portugal, por exemplo, criou uma estratégia com o objetivo de aumentar o número de jovens matriculados no ensino profissional. Os cursos oferecidos são compatíveis com a demanda do mercado de trabalho.
Outra inovação: estão em teste programas de ensino profissional que começam mais cedo, a partir dos 13 anos.
Já a Dinamarca reformou seu sistema de ensino profissional com foco na redução da desistência.
2) Melhorias no ambiente das escolas
Reduzir o número dos alunos por turma, implementar reformas curriculares e, principalmente, capacitar professores foram o objetivo de 24% das reformas analisadas.
A Austrália criou um instituto dedicado apenas ao aprendizado de professores, e a Holanda desenvolveu um programa que visa a atrair os melhores estudantes para faculdades de educação.
Já a França reformulou o conteúdo e a estrutura de seus programas de treinamento de educadores, criando escolas que aliam treinamento prático ao teórico.
3) Garantir qualidade e equidade na educação
As reformas implementadas pelos países da OCDE também tiveram como objetivo implementar políticas para garantir que todos os cidadãos tenham acesso a um nível mínimo de educação, independentemente de circustâncias pessoais ou sociais. Ações deste tipo foram 16% das implementadas.
O Chile, por exemplo, introduziu um sistema que proíbe que a seleção para escolas de ensino fundamental tenha como critério renda ou performance. A regra também limita a possibilidade de as escolas expulsarem alunos com resultados ruins.
Na Nova Zelândia, foram implementadas estratégias para melhorar a educação dos maoris, população nativa que representa cerca de um quarto dos habitantes do país. Entre as iniciativas está um programa para engajar adolescentes com idades entre 14 e 18 anos na área de educação.
Na Inglaterra, um programa concede fundos adicionais às escolas para que elas consigam manter nas classes crianças em risco social. A ideia teve um impacto positivo.
4) Sistemas de avaliação
Sistemas de avaliação são considerados importantes pela OCDE porque apontam áreas em que é preciso melhorar. Implementar essas políticas, que visam a medir os resultados tanto dos alunos quantos das escolas, responderam por 14% das reformas.
No México, um instituto nacional de avaliação ganhou, em 2013, autonomia para desenvolver uma estratégia de acompanhamento válida para todo o país. Padronizar as avaliações facilita a comparação de resultados.
Na Itália, um projeto piloto acabou sendo expandido devido a seu sucesso. O projeto permite que as escolas decidam se serão avaliadas ou não. O processo envolve uma auto-avaliação da escola e uma avaliação externa, que é usada para estabelecer metas. Essas informações são divulgadas publicamente.
5) Reformas de financiamento
Conseguir melhorar as formas de financiar os sistemas de educação é um dos grandes desafios das escolas. Incrementar o financiamento foi o objetivo principal de 12% das medidas avaliadas.
Nos EUA, teve início em 2009 o programa Race to the Top, que atrela o financiamento das escolas à implementação de reformas e inovações na área de educação. Os Estados recebem fundos com base em seus planos para o futuro e também na qualidade dos professores, alunos e escolas. Eles precisam também ter competência para processar dados e informações estatísticas de educação.
Na Alemanha, dentro de um projeto criado para estimular a atividade econômica durante a crise financeira, o governo federal deu apoio a investimentos de Estados e comunidades em educação. Foram destinados 8,7 bilhões de euros (cerca de R$ 26,5 bilhões) a áreas como educação infantil, estrutura escolar e universitária e pesquisa.
6) Governança
A organização do sistema educacional e a definição de uma política nacional de educação foram foco das ações de 9% das reformas.
Ter uma estratégia nacional é importante, de acordo com estudiosos, porque proporciona parâmetros que devem ser seguidos nacionalmente.
Na Dinamarca, uma reforma nas escolas públicas, possibilitada por um acordo que envolveu todos os partidos políticos, foi feita para elevar expectativas, simplificar objetivos curriculares e abrir escolas para as comunidades.
Já a Estônia estabeleceu cinco metas para a educação no país. Entre elas está o uso de tecnologia digital no processo de aprendizado e uma maior correspondência entre o que é ensinado e as necessidades do mercado de trabalho.

Redes sociais para aprender idiomas

Uma internauta aprende inglês na plataforma Italki.
O austríaco Bernhard Niesner e o suíço Adrian Hilti se conheceram em 2007 quando faziam MBA no Instituto de Empresa de Madri. Juntos redigiram um projeto de final de mestrado que, anos mais tarde, converteu-se na maior rede social de aprendizagem de idiomas do mundo, com 50 milhões de usuários registrados em mais de 200 países. A obsessão de Niesner era simplificar a forma de aprender uma língua. O resultado ganhou o nome de Busuu.com.
Seu conhecimento das técnicas de marketing e o princípio básico de diferenciar-se da concorrência talvez tenha sido o que os levou a escolher esse nome para seu site. O busuu é uma língua africana falada por apenas oito pessoas e em perigo de extinção. Aos 12 idiomas que podem ser aprendidos gratuitamente (inglês, alemão, espanhol, francês, italiano, português, russo, mandarim, japonês, árabe, polonês e turco) soma-se o busuu. Tirando o aspecto exótico de seu nome, essa plataforma, lançada em 2008, funciona de maneira muito semelhante ao Facebook: o usuário se registra, envia convites de amizade e cria grupos para trocar correções de textos, traduções ou simplesmente para praticar uma língua com pessoas que a falam como seu idioma materno.
O Busuu.com tem por volta de 40.000 usuários únicos por dia. “As vantagens de aprender online são infinitas: está disponível 24 horas por dia e pode ser usado de casa ou dentro do ônibus. Não existe horário de abertura”. Outro dos benefícios, explica Niesner, é a aprendizagem colaborativa. Os usuários também corrigem textos de outros alunos e por isso não são só estudantes, mas tutores de seu próprio idioma. “Ao ajudar outra pessoa, perde-se a vergonha e o medo de aprender”. A conversação poder ser via webcam, áudio ou somente por texto através de um chat.
Nesta página da Internet, aproximadamente 30.000 textos são corrigidos diariamente por usuários de diferentes partes do mundo. “Acontece como na Wikipédia, existem pessoas que corrigiram centenas de textos somente por paixão”. O Busuu.com está crescendo em países emergentes como o Brasil, a Rússia ou a China.
Uma pessoa gasta 3.044 reais em média por mês ao longo de sua vida para aprender um idioma, de acordo com uma pesquisa que Niesner e seu sócio Hilti realizaram durante seus anos na Espanha. “A vantagem dessa rede social é que pode-se ir subindo de nível sem pagar. Só é preciso predisposição e tempo”, ressalta o empreendedor austríaco por telefone, de Londres, onde se encontra sua sede na qual trabalham 30 funcionários. Tanto através da web como do aplicativo (disponível para Android e Apple), é possível acessar lições interativas gratuitas, exames ou testes de compreensão de leitura que abrangem desde o nível A1 até o B2 (segundo o Marco Comum Europeu de Referência para as Línguas).
Além dos conteúdos gratuitos, a inscrição em uma conta Premium oferece unidades temáticas específicas (de gramática ou vocabulário), vídeos e um acesso a um software de inteligência artificial que detecta os erros e pontos frágeis do usuário e propõe exercícios personalizados. O preço por uma inscrição de dois anos está por volta de 6 euros (18 reais) por mês.
O Busuu.com está crescendo em países emergentes como o Brasil, a Rússia ou a China
Como toda a rede social, o Busuu.com também tem alguns inconvenientes. Para Marta Pàmies, catalã de 49 anos, alguns só a utilizam para paquerar. “É preciso ser crítico ao escolher seus amigos e, se perceber que eles não corrigem textos ou que não se preocupam com sua forma de falar, é melhor retirá-los de sua lista”. Essa trabalhadora social utiliza o site há mais de dois anos para melhorar seu inglês e começar a aprender francês.
Uma das grandes dificuldades para aprender um idioma é a fluidez, aprender a falar de maneira espontânea. Christine Appel, diretora do eLearn Center da Universidade Oberta da Catalunha (UOC), defende que um dos benefícios das plataformas online que dispõem de ferramentas que permitem ao usuário gravar as conversações é conseguir identificar os próprios erros. “O poder de escutar a si mesmo é enorme; o impacto para não repeti-los”. Outra virtude é que permite a cada um estudar no seu ritmo e parar os vídeos ou os áudios quantas vezes quiser.

O Airbnb dos professores de idiomas

Kevin Chen, co-fundador do Italki, define sua plataforma como o Airbnb dos professores de idiomas. Lançada em 2007 e com sede em Xangai, esse site coloca os usuários em contato com cerca de 5.000 docentes de 100 línguas diferente tanto com graduação universitária como sem ela (estes são chamados de community teachers). Como no Busuu.com, a registro é gratuito, mas cada professor fixa um preço, que está por volta de 27 reais por hora. “Depende do idioma, o francês geralmente é mais caro que o chinês”, diz Chen, norte-americano que abandonou Washington DC para montar esse site com um sócio chinês. O Italki não disponibiliza unidades didáticas, mas uma rede de mais de um milhão e meio de usuários para praticar idiomas gratuitamente, através do Skype.
Chen também é um apaixonado pelo aprendizado de línguas. “Estudei francês durante dez anos nos Estados Unidos e não era capaz de falá-lo. Em todo esse tempo nunca tive uma conversação com um francês. Quando cheguei na China, em dois anos já era capaz de me comunicar. A chave para aprender é manter diálogos reais com nativos”, explica.
Além dos contatos, o Italki oferece artigos disponibilizados pelos professores, como os erros típicos cometidos pelas diferentes nacionalidades. É possível também trocar textos com outros perfis para sua correção ou tradução.

Livemocha

Com 16 milhões de usuários registrados, essa rede social permite entrar em contato com nativos e praticar 35 idiomas. Nesse site, os usuários falam entre eles, corrigem exercícios ou criam mini lições. Tudo gratuitamente. Diferentemente de outros lugares, o Livemocha aposta na gamificação (aprender brincando). É possível ganhar pontos corrigindo os exercícios de outros ou ajudando com revisões de textos e traduções. Esses pontos podem ser trocados pelo acesso às lições pagas. É tão simples como criar um perfil, especificar que idioma fala e quais quer aprender.

Casa Taiguara oferece nove cursos técnicos gratuitos para estudantes da rede pública de São Paulo

Oportunidade para você que terminou ou está prestes a concluir o Ensino Médio. A Casa Taiguara, um projeto social que atua na formação técnica digital de adolescentes estudantes de escolas públicas, está oferecendo nove cursos presenciais relacionados à tecnologia para estudantes de escolas públicas de São Paulo. Veja os detalhes.
Os cursos são: Web Design, Arte Digital, Programação Básica, Office Avançado, Audiovisual, Modelagem 3D, Google Adwords, Game Design, Game Tester, Python e Facebook para negócios. Eles duram quatro meses e têm carga horária que varia de 40 a 84 horas. E, o melhor de tudo, são gratuitos e os alunos ainda recebem uma força para ingressarem no mercado de trabalho.
Para concorrer a uma vaga, os requisitos são ser estudante (ou ter concluído o Ensino Médio) da rede pública de SP e ter entre 15 e 21 anos. Se você se encaixar, tem que fazer o cadastro no site www.casataiguara.org.br até o dia 6 de fevereiro. No e-mail de confirmação virá a data para comparecer ao CTC Digital e concluir o cadastro. Fique atento aos documentos necessários: cópia do RG, cópia do Comprovante de Escolaridade (declaração da Escola Pública onde estuda) ou Certificado de Conclusão do 2º. Grau e também do Número de Inscrição.


Calma que ainda não acabou. Como são apenas 16 vagas por curso e a demanda é sempre maior que a oferta, os candidatos farão um teste seletivo composto por quatro provas (português, matemática, lógica e específica do curso que escolheu) com dez questões de múltipla escolha cada. Os melhores entram. As aulas começam no dia 6 de março e vão até 3 de julho.
Os cursos, totalmente gratuitos, são financiados pelo FUMCAD (Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente). Se você cumpre os requisitos ou conhece alguém assim, é uma oportunidade e tanto de dar um gás na sua formação e, de quebra, sair do curso com grandes chances de descolar um bom emprego.

PM suspeito de matar Ricardo dos Santos é acusado de torturar homem


Principal suspeito da morte do surfista Ricardo dos Santos, o policial militar Luis Paulo Mota Brentano é acusado de outro crime. Segundo o Fantástico, ele também responde a um processo por torturar e ameaçar de morte um outro homem.
Na reportagem exibida neste domingo, a mãe do rapaz torturado relata as agressões de Brentano ao seu filho.
- Ele (o filho) chegou em casa todo machucado, ele disse: 'mãe, me socorre – disse a mulher.
O caso aconteceu em uma partida de futebol em Joinville. O rapaz teria ido ver a partida, e ao gravar imagens com o seu celular do lado de fora do estádio, foi abordado pelo policial. Segundo a mãe do rapaz, o garoto tentou fugir, mas foi jogado dentro de uma viatura e levado para a delegacia. No local, ele teria sido torturado no fundo da unidade sem mesmo ter sido ouvido pelo delegado.
- Pegava o revólver e colocava na cabeça dele e disse: "tu sabe, né? Se eu quiser te matar eu te mato e ninguém vai saber – contou a mãe.
O caso foi levado ao Ministério Público de Santa Catarina. Na época, o órgão enviou um documento ao batalhão da PM de Joinville pedindo o afastamento do policial. Porém, a promotoria diz que nunca recebeu uma resposta.
A Justiça de Santa Catarina decretou neste sábado que o policial Luis Paulo Mota Bretano seguirá preso preventivamente por ser o principal suspeito de atirar e matar o surfista Ricardo dos Santos. O PM, que foi preso em flagrante após o crime, seguirá detido, a princípio, até o dia de seu julgamento.

Defesa de Cerveró retira Dilma do rol de testemunhas

Menos de três horas após pedir a intimação de Dilma Rousseff como testemunha, a defesa do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró apresentou uma nova petição à Justiça Federal em que pede a substituição da presidente por uma outra testemunha Ishiro Inagaki, de Tóquio.
A alegação do advogado Edison Ribeiro para a súbita mudança está na petição entregue nesta segunda feira, 26. Ele justifica a troca "uma vez que a decisão sobre a aquisição das sondas foi privativa da Diretoria da Petrobrás, não passando pelo Conselho de Administração, onde a testemunha ora substituída (Dilma Rousseff) exercia a Presidência".
Na ação penal, Cerveró e o lobista Fernando Antônio Falcão Soares, conhecido como Fernando Baiano, são acusados de receberem propina de cerca de US$ 30 milhões para viabilizar contratos de navios-sonda para a Petrobrás. Os pagamentos teriam sido feitos por Júlio Camargo, representante da empresa Toyo Setal, a Baiano, que atuaria diretamente na Diretoria Internacional, na época dos fatos comandada por Cerveró.
Ao Estado, Ribeiro minimizou o episódio e disse que a troca foi motivada após uma conversa com Cerveró na carceragem da PF em Curitiba, onde o ex-diretor está preso. "Não foi nada demais, eu havia colocado a presidente (Dilma) e o (Sérgio) Gabrielli porque um foi presidente da Diretoria Executiva e outro do Conselho de Administração (da Petrobrás). Mas, ao conversar  com Nestor Cerveró ele me disse que neste neste caso (pagamento de propina em compra de navios-sonda pela estatal) a decisão foi exclusiva da Diretoria, não passou pelo Conselho", explicou.
Questionado se há perspectiva de elencar a presidente como testemunha em outros episódios investigados pela Lava Jato, o advogado afirmou que ainda não pode adiantar nada. "Cada caso é um caso, eu examino e vejo quais são as melhores testemunhas, como aconteceu hoje", assinalou.
Mudança
 O documento inicial citando a presidente entrou no sistema da Justiça Federal às 13h45 desta segunda-feira, 26, a petição solicitando a substituição de Dilma entrou às 16h27. Na defesa preliminar de 18 páginas em que cita Dilma, encaminhada mais cedo, Ribeiro alega inicialmente a incompetência do juiz Sérgio Moro para julgar a ação. "A denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal narra fatos e condutas pretensamente ocorridos na Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, evidenciando-se a manifesta incompetência desse MM. Juízo para processar e julgar a presente demanda", afirma o defensor no documento.
Além disso, ele afirma que houve cerceamento da defesa, pois até hoje não teve acesso à íntegra da delação premiada de Paulo Roberto Costa, e pede a absolvição sumária do réu e a rejeição da denúncia "em razão da inexistência de suporte probatório mínimo com consequente extinção do processo sem resolução do mérito", continua. Por fim, o defensor afirma que "caso não se entenda pela extinção do processo, com ou sem resolução do mérito, requer sejam intimadas as testemunhas indicadas no rol em anexo".
Dentre o rol de oito testemunhas estão a presidente, os ex-presidentes da Petrobrás José Sergio Gabrielli e José Carlos de Lucca que dirigiu a estatal na década de 1990 e atualmente é presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP).
A reportagem entrou em contato via e-mail com as assessorias de José Sergio Gabrielli e de José Carlos de Lucca, mas ainda não obteve retorno.
COM A PALAVRA, O PALÁCIO DO PLANALTO:
Procurado tão logo a defesa de Cerveró protocolou a defesa preliminar na Justiça Federal em que pedia a intimação de Dilma, o Palácio do Planalto respondeu às 17h40 desta segunda – pouco mais de uma hora após a desistência dos advogados do ex-diretor – que não irá se manifestar sobre o assunto.

Asteroide passa raspando pela Terra, mas cientistas descartam risco

Um asteroide do tamanho de uma montanha passa raspando pela Terra segunda e terça-feira, em um sobrevoo que não voltará a ocorrer em uma década, anunciaram astrônomos

Um asteroide do tamanho de uma montanha passa raspando pela Terra segunda e terça-feira, em um sobrevoo que não voltará a ocorrer em uma década, anunciaram astrônomos, descartando risco de colisão.
Não há nenhuma chance de que o asteroide, conhecido como 2004 BL86, caia na Terra. Em sua máxima aproximação do nosso planeta, por volta das 14H00 de Brasília (16H00 GMT), esteve a uma distância três vezes maior do que a Lua.
De qualquer forma, em termos espaciais, trata-se de uma distância muito curta. "No momento em que alcançar seu ponto mais próximo, em 26 de janeiro, estará a aproximadamente 1,2 bilhão de quilômetros da Terra", informou, em um comunicado, o Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa.
Esta foi a primeira vez em 200 anos que este asteroide em particular passa tão perto da Terra.
O asteroide 2004 BL86 é especial porque é uma rocha espacial muito maior do que a maioria: mede cerca de 0,5 Km, enquanto no no geral os objetos que se aproximam da Terra costumam ter entre 15 e 30 metros de diâmetro.
"É a maior rocha espacial que deve passar tão perto da Terra até 2027", ano em que o planeta receberá a visita do asteroide 1999 AN10, destacou a revista especializada Sky and Telescope.
Infelizmente, o asteroide 2004 BL86 não ficou visível a olho nu.
A aparição do cometa não será especial "porque na Terra só uma parte de seu lado iluminado ficará visível", detalhou a revista.
Pouco a pouco, o asteroide irá ganhando brilho e o melhor momento para visualizá-lo nas Américas do Norte e do Sul, na Europa e na África será entre a 23H00 desta segunda e as 04H00 de terça, horário de Brasília (entre 01H00 e 06H00 GMT de terça-feira).
"Durante este período, o 2004 BL86 se dirigirá para o norte, através da constelação de Câncer", prosseguiu a revista.

Prima de brasileiro condenado à morte na Indonésia diz que ele está enlouquecendo na prisão

A prima do brasileiro Rodrigo Gularte, condenado à morte na Indonésia por tráfico de drogas, disse ao "Fantástico" da TV Globo, por e-mail, que o primo está enlouquecendo na prisão em Cilacap, a 400 km da capital Jacarta, onde recebe a visita constante de médicos e religiosos. Angelita Gularte visitou o primo três vezes na prisão na última semana. Ela tenta um laudo de autoridades da Indonésia constatando que o primo sofre de esquizofrenia, que o livraria do fuzilamento. Rodrigo foi preso em 2004 no aeroporto de Jacarta tentando entrar no país com 6 quilos de cocaína em pranchas de surfe. Em 2005, ele foi condenado à morte.
"Ele me conta histórias sem pé nem cabeça, delírios sobre guerras no planeta, pessoas que invadem a prisão à noite por ondas eletromagnéticas. Fala de um passado que nunca existiu e de um futuro surreal que vai acontecer", disse Angelita, por e-mail.
"Estive com os médicos sexta-feira na prisão, ele aceitou conversar e ficamos juntos uma hora e meia. Não entendi o que diziam. Falavam na língua da Indonésia! Mas se sentia no ar a gentileza no tom de suas palavras. Cooperou respondendo todas as perguntas. O padre Carolus tem sido incansável, sabe de sua doença mental e sabe o coração bom que ele tem!", complementa a prima de Gularte, em e-mail enviado ao "Fantástico".
Fabiana Mesquita, uma brasileira que morou em 2007 na Indonésia e fez trabalho voluntário com presos, conta que Rodrigo tentou se matar na prisão após uma discussão com Marco Archer, brasileiro fuzilado no fim de semana passado na Indonésia, pelo mesmo crime.
- O Rodrigo entrou em depressão profunda. Ele teve um desentendimento sério com o Marco. A gente não sabe exatamente o que foi. A gente sabe que eles brigaram e ele tentou o suicídio, colocando fogo na própria cela com outros detentos dentro - disse Fabiana à TV Globo.
A brasileira acrescentou que Rodrigo tinha muitas alterações de humor. O brasileiro, segundo a prima Angelita, resiste às tentativas de tratamento médico.
"Ele não quer ir ao hospital, não aceita tratamento, muito menos tomar remédios! "Estar numa prisão de segurança máxima é seguro, ir a um hospital seria perigoso", segundo ele. Diz que ouve vozes que logo o avisam que ele vai voltar para casa", escreve Angelita Gularte por e-mail.
A prima de Rodrigo conta que ele adoeceu em certa altura da vida e que o divórcio dos pais e a doença do irmão podem ter contribuído. "Acredito que isso adoeceu seu coração. E com o passar do tempo e o uso das drogas, essa doença se somatizou", escreveu Angelita.
- Era uma pessoa que nas reuniões de família era muito alegre. Trazia essa alegria. E hoje a gente está nessa situação - diz Juliana Gularte, outra prima do brasileiro.

Redução da pobreza está estagnada na América Latina, diz Cepal

Lesli Rupay, 14 anos, carrega a filha nos braços no caminho de casa, nos arredores de Lima, Peru, em 20 de novembro de 2003

A redução da pobreza e a indigência na América Latina ficaram estagnadas em 2014, em um contexto de desaceleração econômica na região, conforme indicou nesta segunda-feira um relatório da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal).
"A pobreza afetou em 2014 a 28% da população da América Latina, o que revela que seu processo de redução ficou estagnado em torno desse patamar desde 2012", afirmou o relatório 'Panorama social da América Latina 2014' apresentado na sede da Cepal em Santiago.
O percentual de pobreza do ano passado se traduz em 167 milhões de pessoas que vivem nessa condição, o que significam cinco milhões de pobres a mais em comparação a 2012.
As projeções da Cepal indicam que em 2014, 71 milhões de pessoas se encontravam na extrema pobreza ou indigência, o que significa cerca de 12% da população em relação a 11,7% de 2013, aponta o documento.
A pobreza na região se produz em meio à desaceleração econômica da América Latina, afetada pela queda das exportações principalmente a China, somado ao modesto crescimento econômico para 2014, de 2,2%.
"A recuperação da crise financeira internacional não parece ter sido aproveitada suficientemente para o fortalecimento de políticas de proteção social que diminuam a vulnerabilidade em relação aos ciclos econômicos", disse Alicia Bárcena, secretária executiva da Cepal.
O relatório indica que cinco dos 12 países com informação disponível em 2013 registraram redução da pobreza.
Entre os países que registraram significativas reduções na pobreza estão Paraguai (de 49,6% para 40,7%), Colômbia (de 32,9% para 30,7%), Peru (de 25,8% para 23,9%) e Chile (de 10,9% a 7,8%). O Brasil recuou de 18,6% para 18%, o Uruguai, de 6,1% para 5,7%), o Panamá (de 24% para 23,2%) e a Costa Rica (de 17,8% para 17%).
A Venezuela registrou um aumento da pobreza, de 25,4% para 32,1% entre 2012 e 2013, enquanto a Argentina registrou 4,3%, e o México 37,1%, com dados até 2012.

Travesti passista da Beija-Flor é morta em Nilópolis

Claudio da Silva, de 25 anos, travesti conhecida como Piu que era passista da escola de samba Beija-Flor, foi encontrada morta com sinais de espancamento e seis perfurações de tiros. Piu desapareceu na última quinta-feira, 22, após sair de casa para ir ao ensaio da agremiação. A família só conseguiu notícias dele no sábado, quando localizou seu corpo no Instituto Médico Legal (IML) de Duque de Caxias, outra cidade da Baixada.
Na internet foram postadas imagens da tortura a que Claudio foi submetido, supostamente no Morro da Mina, em Nilópolis. Usando perfis falsos, pessoas afirmaram em rede social que Piu havia ido até o morro a mando de milicianos. Familiares negam que ele tivesse qualquer ligação com criminosos.
O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense, que vai ouvir familiares.

Pegada de Deus: fotos aéreas incríveis na Austrália



O que você faz em voos longos? Vê um filminho?
O inglês Paul Williams, 34 anos, tira as mais incríveis fotos da paisagem do solo. 
Ele escolhe sempre os lugares no avião próximos à janela especialmente para fazer seu trabalho. Você pode conferir todo o trabalho dele aqui:http://www.ironammonite.com

Boeing será primeira empresa comercial a levar astronautas à ISS

O pôr do sol no Golfo do México e dos EUA visto da Estação Espacial Internacional, em 14 de dezembro de 2014. Imagem da NASA obtida em 17 de dezembro de 2014.

Boeing será a primeira empresa privada a levar astronautas à Estação espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), no âmbito de um contrato comercial com a Nasa, informou nesta segunda-feira um funcionário da agência espacial americana.
Em setembro passado, a Nasa elegeu Boeing e SpaceX para construir as duas primeiras naves espaciais privadas capazes de transportar astronautas à ISS, com a ideia de pôr um fim à dependência que os Estados Unidos têm dos Soyuz russos.
"A primeira missão (comercial) tripulada à ISS será uma missão da Boeing", afirmou Kathy Lueders, que chefia o programa de voos tripulados comerciais da Nasa, em coletiva de imprensa.
Lueders citou as diferenças no desenvolvimento dos programas espaciais das duas empresas e a necessidade de começar a enviar estas missões no fim de 2017 ou no começo de 2018.
O contrato com a Nasa, de US$ 6,8 bilhões, cobre no total seis missões tripuladas para a ISS para cada uma das empresas.
"A Boeing já venceu duas etapas chaves de seu contrato, enquanto a SpaceX superou uma", disse a funcionária.
John Elbon, encarregado da Boeing Space Exploration, filial das atividades espaciais do grupo aeroespacial americano, afirmou na mesma coletiva, esta segunda-feira, que o primeiro voo de testes não tripulado da cápsula CST-100 está programado para abril de 2017, seguido, em julho de uma missão com dois passageiros.
O primeiro voo no âmbito do contrato com a Nasa com astronautas a bordo deve ocorrer em dezembro de 2017, acrescentou.
Elbon também afirmou que o primeiro voo tripulado de testes será feito por um piloto da Boeing e um astronauta da Nasa.

MEC divulga resultado do Sisu

O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta segunda-feira (26) o resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) na página do programa. Confira aqui a relação dos aprovados. Os candidatos selecionados devem procurar a instituição de ensino para fazer a matrícula nos dias 30 de janeiro, 2 e 3 de fevereiro.
Nesta ano, haverá apenas uma chamada. Os candidatos que não foram selecionados poderão participar da lista de espera, também a partir de hoje, na página do Sisu. O prazo para que isso seja feito é até o dia 6 de fevereiro. O estudante somente poderá manifestar interesse na lista de espera para o curso correspondente à sua primeira opção.
Os candidatos em lista de espera deverão procurar as instituições de ensino a partir do dia 11 de fevereiro para acompanhar o processo de seleção.
O Sisu oferece vagas em instituições públicas de ensino superior. Para concorrer, é preciso ter feito o Enem em 2014 e não ter tirado 0 na redação. Nesta primeira edição de 2015, o Sisu oferece 205.514 vagas em 5.631 cursos em 128 instituições.
Até as 21h de quinta-feira (22) - as inscrições terminaram às 23h59 -, 2.772.175 haviam se inscrito no processo seletivo. Em 2014, mais de 6,1 milhões fizeram o Enem.
Estudantes

'FANTÁSTICO': LAUDO DIZ QUE MORTE DO IRMÃO DE MC GUI FOI POR OVERDOSE DE COCAÍNA

O mistério envolvendo a morte do irmão do MC Gui teve fim esta semana. O laudo oficial da perícia paulista revelou que o óbito foi causado por overdose de cocaína. Gustavo Castanheira acompanhava o irmão famoso, sucesso do funk paulista atualmente, durante os shows. Apesar do pouco tempo de carreira, o MC é convidado para festas de famosos, e é amigo de alguns.

Depois de 9 meses da morte de Gustavo, o pai, a mãe e MC Gui deram uma entrevista ao "Fantástico ", em que alertaram os jovens quanto ao perigo do uso de drogas. "Eu já vi ele usando maconha. Só que eu brigava com ele e ele me obedecia. Tipo, ele jogava fora", declarou o MC, completando que nunca havia visto o irmão consumindo cocaína.
Suspeitas giravam em torno de abuso de energéticos ou doença
Antes da confirmação, as suspeitas em torno da morte de Gustavo eram por excesso de energéticos ou alguma doença misteriosa. Mas o laudo afirma: "Gustavo fez uso prévio de cocaína e teve morte súbita em decorrência de insuficiência respiratória aguda". No exame não consta ingestão de substância alcoólica.
Cláudia Castanheira, mãe de MC Gui e Gustavo, mostrou-se surpreendida pelo resultado. "Quando eu vi escrito no laudo a cocaína, eu sinceramente, entrei em choque. Não dá para acreditar, não", conta ela. "Eu daria tudo, tudo o que a gente ganhou, tudo o que eu conquistei, a carreira do Gui, tudo para ter ele aqui", lamentou.
Comportamento alterado de Gustavo gerava desconfiança
Segundo Cláudia, o comportamento de Gustavo andava mudado nos últimos tempos. "Chegava em casa meio alterado. Tava meio agressivo nas palavras. O pai já chegou até falar para ele: 'Se eu descobrir que você está usando droga, se eu pegar, Gustavo, eu vou te amarrar dentro de casa'. Ele chegou a comprar uma corrente e falou que ia amarrar", declarou. E completou, dizendo que, mesmo desconfiados, não imaginavam que o adolescente estivesse envolvido com esse tipo de droga.
MC Gui falou sobre sua relação com o irmão. "Fazia tudo junto, ele viajava com a gente. Não tem como. Até hoje, são todos os dias pensando nele", disse o cantor. A namorada, Giulia, revelou os últimos momentos que teve com Gustavo. "Ele começou a vomitar. A gente disse: 'Nossa, Gu. Você está vomitando bastante'. Ele: 'É, meu, precisa marcar um médico. Vamos marcar um médico'. Giulia também não desconfiava que o namorado usava cocaína. "Ele tinha, às vezes, uns comportamentos estranhos mas tipo, de ver assim, nunca vi. Mas a gente meio que desconfiava", assumiu.
Laudo aponta que overdose de cocaína foi a causa da morte de Gustavo, irmão de MC Gui, 'Fantástico ', 25 de janeiro de 2015