domingo, 23 de novembro de 2014

Veja 2 pessoas fazendo sexo enquanto seus corpos são escaneados

Ressonância magnética é esse método quase mágico de enxergar o corpo humano por dentro, de um jeito bem diferente do que estamos acostumados. Esse mapeamento é possível graças às nossas moléculas de água, que estão espalhadas em nosso corpo em densidades diferentes. A máquina de ressonância funciona por meio da criação de um campo magnético no corpo humano, em que os núcleos dos átomos de hidrogênio funcionam como pequenos ímãs.
As ondas de rádio emitidas pelo aparelho produzem uma vibração no corpo que, uma vez detectada, chega ao computador, que transforma os sinais recebidos em imagem. Dessa forma, é possível ver claramente o interior do corpo humano sem a necessidade de expô-lo à radiação. Você já imaginou como seria, então, ver duas pessoas fazendo sexo enquanto seus corpos são “escaneados” por um aparelho de ressonância magnética?
O vídeo abaixo mostra exatamente isso. As imagens flagram desde a excitação sexual, que acelera o coração, até o movimento das línguas durante o beijo, a saída de ar e, claro, o movimento dos órgãos sexuais em si. Confira as imagens a seguir e depois nos conte o que achou desse ponto de vista diferente do ato sexual:



Mulher usou batata como contraceptivo e raízes nasceram dentro de seu corpo

Pois é, existem diversos costumes populares um tanto suspeitos que as mães passam aos filhos, porém às vezes eles realmente deviam ser abolidos por completo. Esse é o caso de uma jovem colombiana de 22 anos que aceitou o conselho de sua mãe de utilizar batatas (sim, isso mesmo) como modo contraceptivo. A jovem mulher colocou o vegetal dentro da própria vagina, pois, segundo sua mãe (e sabe-se lá de onde ela tirou isso), esse é um método eficaz para não ficar grávida.
O resultado? A jovem foi internada em um hospital da região com fortes dores estomacais. Quando os médicos realizaram exames, constataram que uma batata estava dentro do corpo da mulher e que, aparentemente, estava germinando e criando raízes no organismo dela. Essa história bizarra foi contada pelo website Colombia Reports, um dos grandes portais de informação do país.
Quando questionada pelos médicos, a jovem disse o seguinte: “Minha mãe disse que se eu não quisesse ficar grávida, deveria colocar uma batata lá embaixo, e eu acreditei”. A enfermeira que analisou o corpo da jovem primeiro disse que ficou claro que raízes estavam nascendo dentro da garota. É provável que o ambiente úmido e quente tenha favorecido tal crescimento.
O importante é que os médicos confirmaram que danos maiores não ocorreram no organismo da moça. A equipe do hospital repreendeu os conselhos da mãe, o que só revela como determinadas comunidades não possuem um mínimo de educação sexual. Maria Eugenia Rosselli, socióloga do Ministério Colombiano de Educação, disse que a falta de conversas esclarecidas sobre sexo entre pais e filhos faz com que exista um espaço vazio de informação.

Mãe espera que professora seja espancada após recusar “cookies de vagina”

Uma professora do segundo ano do ensino primário, nos Estados Unidos, recebeu uma bronca e tanto da mãe de uma das crianças que estuda na sua sala de aula. A responsável por um dos alunos disse à educadora que esperava que ela apanhasse todas as noites nas mãos de um marido agressivo. O motivo? A professora se recusou a distribuir cookies em forma de vagina para seus pequenos alunos.
Com medo de se identificar, a professora pediu que um amigo escrevesse a história incomum no site Reddit, um grande fórum de discussão online com milhares de tópico sobre os mais variados assuntos. De acordo com a postagem, a professora pedia a colaboração de alguns pais para preparar algumas guloseimas para os alunos às sextas-feiras, caso a classe tivesse se comportado bem durante a semana.
O problema foi quando a mãe em questão chegou à escola entregando uma travessa coberta, cheia de doces, e disse: “Eu acho que você pode usar isso para ensinar às crianças sobre a vagina das mulheres na aula de hoje”. A professora conta que ao remover o alumínio que cobria a travessa se deparou com cookies simulando vaginas de todos os tipos.
A educadora tentou recusar a oferta educadamente, mas a mulher começou a gritar com ela, a plenos pulmões, na frente de seus alunos de apenas sete anos. Mais tarde a professora recebeu emails da mãe mal-educada, que em textos extensos criticou a “postura conservadora” da docente e desejou que ela sofresse de abuso doméstico para sempre.

Vídeo de brasileiro com peixe vivo no ânus roda o mundo 2 anos depois

Você ter ficado sabendo do caso do brasileiro que, em abril de 2012, conseguiu colocar um peixe com formato de cobra no ânus, mas não teve tanto sucesso assim na hora de tirá-lo. Sim, é verdade: um homem, provavelmente morador da região de Londrina, no Paraná, realizou a façanha de introduzir o animal VIVO em suas entranhas. 
O problema foi que a piramboia – de “apenas” 70 centímetros – simplesmente se recusou a sair de seu novo habitat, obrigando seu “hospedeiro” a se submeter a uma cirurgia de remoção pelo abdome. 
Com certeza este não foi o primeiro e não será o último caso de objetos – ou seres vivos – introduzidos no ânus, então até aí tudo bem (menos para o peixe, é claro). Só que o caso tomou proporções maiores, pois, em meio a muitas risadas e com celulares em punho, a equipe do Hospital Universitário de Londrina filmou a cirurgia, que obviamente foi parar na internet. Alerta: como você pode imaginar, as cenas são fortes.
Reprodução
Curiosamente, vários sites internacionais tomaram conhecimento desse fato somente agora, com dois anos e meio de atraso, e resolveram ressuscitar o caso. Entre os jornais que noticiaram a bizarrice, estão nomes como Daily Mail,MetroHuffington Post e International Business Times – e nenhum deles parece saber que a história é velha.
Como a gravação foi feita sem autorização do paciente e a divulgação dessas cenas certamente trouxe constrangimento a ele, a Universidade Estadual de Londrina e o Conselho Regional de Medicina abriram uma sindicância para apurar o vazamento das imagens. O resultado da investigação não é conhecido, mas sabe-se que o homem se recuperou, enquanto o peixe infelizmente veio a falecer.

Trabalho, casamento e menopausa podem melhorar apetite sexual das mulheres

Esqueça chocolate, ostras ou qualquer outro tipo de alimento afrodisíaco, já que, aparentemente, estávamos errados sobre como as mulheres podem aumentar o apetite sexual. A professora Beth Montemurro, da Universidade Estadual da Pennsylvania (EUA), entrevistou 95 mulheres entre 20 e 68 anos como parte de um estudo sobre a evolução sexual. A nova pesquisa feita por ela mostra que ter um bom trabalho, se casar, dar à luz e pasmem até se divorciar podem ser fatores que dão uma boa ajuda na cama.
Trabalho, casamento e menopausa podem melhorar apetite sexual das mulheres
Beth descobriu que, conforme as mulheres vão amadurecendo, suas atitudes em relação a coisas como sexo, relacionamento e autoestima vão se modificando. As experiências passadas, desde a maternidade até a menopausa, fazem a vida amorosa ser valorizada. “Estudar a sexualidade e o amadurecimento sexual das mulheres é importante porque isso sempre esteve ligado à saúde física e ao bem-estar. Sexualidade é um recurso primário de identificação”, conta a professora.
Ela também se deu conta de que a separação ou o término de um relacionamento longo têm sido vistos pelas mulheres não como o fim de algo, mas sim como um novo começo – o que faz com que tenham um pico de confiança e se descubram sexualmente. Algo semelhante acontece com as moças mais jovens que acabam se casando e encontram no matrimônio uma certa segurança embaixo das cobertas. O casamento dá uma chance para que elas possam se reinventar e se sentir mais confortáveis com o sexo.
A pesquisa mostrou que acontecimentos como ter um filho, ao contrário do que se acredita, faz com que a mulher também ganhe confiança após entender a força do seu corpo durante a gestação e a maternidade – melhorando a aceitação de si mesma. Esse mesmo tipo de sentimento ocorre quando as mulheres estão realizadas no ambiente de trabalho, algo que se reflete diretamente na satisfação com a vida sexual delas. Além disso, todas essas sensações de autoconfiança não diminuem conforme a idade aumenta, já que, segundo a pesquisa, a idade e a menopausa levam a uma aceitação ainda maior.

Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"

A fotojornalista dinamarquesa Benita Marcussen realizou um trabalho recentemente que vem chamando a atenção de todo o mundo. Basicamente o que ela fez foi reunir várias pessoas que aceitassem posar ao lado de suas bonecas. No caso, não estamos falando de quaisquer bonecas, mas das mais realistas, que se parecem com mulheres adultas e são utilizadas, muitas vezes, como companheiras sexuais, digamos assim.
Benita usou a internet para descobrir essas pessoas e, por meio de um fórum, conseguiu encontrar vários entusiastas que vivem com suas bonecas. Em alguns casos, essas bonecas fazem parte de uma família inteira.
Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"
Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"
Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"
Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"
Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"
Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"
Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"
Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"
Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"
Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"
Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"
Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"
Série de fotos expõe a relação de alguns homens com suas "bonecas sexuais"
Em entrevista ao Huffington Post, Benita disse que os donos das bonecas têm uma característica em comum: todos as tratam com carinho e atenção, sabendo que elas são coisas e não pessoas, mas agindo como se elas tivessem algum tipo de personalidade. Ficou curioso? Nós também ficamos. A seguir, confira o resultado desse ensaio fotográfico super inusitado: A fotógrafa explicou que as pessoas aceitaram participar do ensaio justamente por defender a ideia de que as “sex dolls” não servem apenas para “aquilo”, mas são também uma parte de suas vidas.
Quando vão comprar as bonecas, os clientes podem escolher tudo: da cor do cabelo à estatura da moça. Elas são feitas de silicone e ficam prontas depois de 80 horas de trabalho. Os preços são altos e tem gente que paga US$ 6 mil por uma boneca, mas há quem desembolse até US$ 50 mil para ter uma dessas em casa. De acordo com a fotógrafa, a sensação é a de que as bonecas representam conforto e segurança aos seus donos.
Se você tem alguma curiosidade a respeito da relação que algumas pessoas têm com suas bonecas, nós indicamos o filme “Lars and the Real Girl” – “A Garota Ideal”, no título em português. O enredo conta a história de Lars, um homem que acredita que Bianca, uma sex doll, é sua namorada de verdade. Essa crença, que geralmente não é o que se passa com quem tem uma sex doll, acaba fazendo com que a família e os amigos de Lars passem a agir como se também achassem que a boneca é uma pessoa. Vale a pena assistir.

Como uma fruta: bebida promete fazer vagina cheirar como pêssegos maduros

Mulheres Maçã, Melancia, Moranguinho e tantas outras. As chamadas mulheres-fruta têm se popularizado e todos sabem a qual parte do corpo a legenda “Mulher Melão”, por exemplo, se refere. Fato é que frutas são usadas corriqueiramente para fazer referência a bumbuns, pernas ou a decotes generosos.
E pesquisadores dos EUA apresentaram uma proposta que promete fazer jus às constantes referências: a ideia de Austen Heinz e de Gilad Gome consiste em perfumar a parte mais íntima do corpo das mulheres. Sob o nome de “Sweet Peach”, uma bebida probiótica se diz capaz de fazer com que vaginas cheirem como pêssegos maduros.
O drink seria um composto farmacêutico que contém micro-organismos vivos capazes de “sintetizar” o doce cheiro da fruta justamente “nos países baixos” das mulheres. “Todos os nossos odores não são humanos. Eles são produzidor por criaturas que vivem dentro de nós”, comenta Heinz.
A dupla de inventores não está presa à produção de aromas de frutas pelo corpo. De acordo com reportagem do Metro, Heinz e Gome pretendem desenvolver um produto que vai fazer fezes de cachorros cheirarem como bananas. Mais detalhes sobre a forma de atuação da bebida que promete o cheiro de pêssego à “fruta” das mulheres não foram revelados.

Delegacia Virtual do Estado de São Paulo

Delegacia Virtual do Estado do Rio de Janeiro