A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Crivella inicia a campanha na Zona Oeste e na Baixada‏

Seguem algumas fotos do primeiro dia de campanha do nosso governador Marcelo Crivella.



O primeiro dia de campanha do candidato ao governo do estado, senador Marcelo Crivella, foi marcado por uma série de agendas na Zona Oeste e na Baixada Fluminense. Crivella caminhou na Feira Livre de Campo Grande; no Centro Comercial de Austin, Nova Iguaçu; e em Belford Roxo, percorreu a Feira de Areia Branca, onde recebeu o apoio dos comerciantes e as reivindicações da Baixada.

Na Zona Oeste, o candidato destacou a importância de investir naquela região que abriga 27% da população do Rio de Janeiro. “Realengo, Campo Grande, Santa Cruz, Bangu e Guaratiba são regiões que sofrem com a falta de empregos formais - aqui só temos 7% -, transporte público, saúde, cultura e turismo. Essas são nossas prioridades e eu como governador vou investir pesado aqui”, disse. 

Ao caminhar na Feira da Areia Branca, Crivella conversou com moradores da Baixada, recebeu reivindicações acerca do abandono da região pelo atual governo estadual e ressaltou a questão da falta d’água. 

"Nós precisamos colocar água na Baixada e isso eu vou fazer tirando a água que está hoje no caminhão-pipa e colocando nas adutoras de redistribuição. Hoje é um absurdo, a Baixada não tem rede de redistribui ção, mas tem água. E a água está dentro do caminhão-pipa explorando nosso povo que tem que pagar por um serviço que já tinha que ter na porta da sua casa - e encanado - há muito tempo. Quando a água não está na rede de redistribuição das adutoras e está no carro-pipa, quem entra pelo cano é o povo”, alertou Crivella.

Pauta da 02ª Sessão Extraordinária de 2014‏

02ª. SESSÃO EXTRAORDINÁRIA DE 11 JULHO DE 2014 – 16h


ORDEM DO DIA

DISCUSSÃO E VOTAÇÃO ÚNICA:

 PROJETO DE LEI Nº 43/14 – ÓRGÃO EXECUTIVO – Dispõe sobre a instituição do Serviço de Inspeção Municipal – SIM e os procedimentos de inspeção sanitária em estabelecimentos que produzam produtos de origem animal no município.
PROJETO DE LEI Nº 44/14 – ÓRGÃO EXECUTIVO – Acrescenta §3º, ao artigo 26, da Lei Municipal nº 1275/06, que dispõe sobre a composição, organização e competência do Conselho Municipal de Assistência Social – COMAS, bem como do fundo municipal de Assistencia Social – FMAS e dá outras providências.
PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº 03/14 – ÓRGÃO EXECUTIVO – Altera a redação do artigo 8º da Lei Complementar nº 46/12, que institui o sistema de estacionamento rotativo eletrônico pago de veículos em áreas especiais das vias e logradouros públicos do município, denominado de Zona Azul e dá outras providências.
 DISCUSSÃO E VOTAÇÃO EM 2º TURNO:
PROJETO DE EMENDA À LOM Nº 05/13 – ÓRGAO EXECUTIVO – Dá nova redação ao inciso VII, do artigo 49 da Lei Orgânica do Município de Caraguatatuba. (Prestação de Contas do Prefeito)

Palestra Gratuita: Segurança Pública Municipal - Participe!‏


Ex-deputado Plínio de Arruda Sampaio morre aos 83 anos

Aos 83 anos, morreu hoje (8), em São Paulo, o ex-deputado federal Plínio de Arruda Sampaio. Vítima de câncer ósseo, Plínio estava internado há cerca de um mês no Hospital Sírio-Libanês. Na eleição de 2010, o ex-deputado concorreu à Presidência da República pelo PSOL, ficando em quarto lugar na disputa.
Natural de São Paulo, formado em direito pela USP, Plínio de Arruda Sampaio foi promotor público e elegeu-se  deputado federal em 1962, pelo extinto Partido Democrata Cristão (PDC). Reeleito duas vezes deputado, teve o mandato cassado pelo Ato Institucional nº 1 (AI-1), exilou-se no Chile e nos Estados Unidos e voltou ao Brasil em 1976, no início do processo de reabertura política.
Um dos fundadores do PT, Plínio de Arruda Sampaio participou da campanha das Diretas Já. Elegeu-se deputado federal constituinte em 1986, quando defendeu uma reforma agrária que previa o fim dos latifúndios. Na Assembleia Nacional Constituinte, foi vice-líder do PT em 1987 e, em 1988, substituiu o então líder Luiz Inácio Lula da Silva no comando da bancada. Após 20 anos, Plínio deixou o partido m 2005, filiando-se ao PSOL.
A ex-deputada Luciana Genro (PSOL), que foi ao hospital na tarde de hoje para visitar seu colega de legenda, confirmou o falecimento dele e informou que quando chegou para a visita Plínio já havia falecido. Segundo ela, Plínio de Arruda Sampaio fará uma grande falta ao Brasil. "Uma triste coincidência fez com que eu chegasse ao hospital Sírio Libanês poucos minutos após o falecimento do nosso querido Plínio. Plínio partiu com a consciência do dever cumprido, após décadas de luta em defesa da igualdade e da justiça social. O PSOL tem muito orgulho de ter sido escolhido por Plínio como o seu partido nestes últimos anos da sua vida", afirmou.
A missa está prevista para ocorrer na manhã desta quarta-feira.

Ex-deputado Plínio de Arruda Sampaio morre em SP (© Evelson de Freitas Estadão)

A postagem sobre David Luiz, no facebook do nosso Governador, alcançou em menos de 1 hora, 3 milhões de views, 33 mil compartilhamentos e 120 mil likes.


'Estranho', Cafu é expulso do vestiário da seleção por Marin

'Eu não sou uma pessoa estranha, só estou aqui para dar um abraço nos meninos e dar um carinho e um conforto para eles', comentou o capitão do penta

Cafu foi expulso do vestiário da seleção brasileira por José Maria Marin (© Reprodução TV)

Capitão do pentacampeonato, Cafu afirmou que foi expulso do vestiário da seleção brasileira após a derrota contra a Alemanha por José Maria Marin, presidente da Confederação Brasileira de Futebol, que disse que não queria "pessoas estranhas" no local.
"O presidente José Maria Marin disse que não queria nenhuma pessoa estranha no vestiário. Eu coloquei que não sou uma pessoa estranha, só estou aqui para dar um abraço nos meninos e dar um carinho e um conforto para eles, não quero falar mais nada. Só vim aqui porque nesse momento os meninos precisam de apoio e foi isso que eu fui fazer no vestiário. Fiquei surpreso quando fui praticamente expulso do vestiário porque o Marin disse que não queria ninguém estranho lá. Eu, humildemente, me retirei do vestiário" declarou Cafu.
O ex-jogador ainda afirmou que não havia outros atletas ou pessoas importantes do futebol no local e que decidiu ir ao vestiário porque já havia sentido na pele o que era uma derrota em Copa do Mundo.
"Senti na pele em 1998 o que é uma derrota em Copa do Mundo. Eu sabia que os meninos precisavam naquele momento de um conforte e um carinho. Não fui lá para me promover porque não preciso disso. Fui para dar um abraço no Felipão e no Parreira, como eu fiz", disse Cafu.
O ex-lateral direito ainda afirmou que pediu permissão para o treinador Luiz Felipe Scolari para ir ao vestiário. O técnico apoiou o gesto do jogador e fez questão de que Cafu fosse ao local dar "uma palavra de incentivo aos menino".
Marin esteve no vestiário, consolou os jogadores demostrando calma e apoio no momento delicado e foi embora sem dar maiores explicações sobre o vexame.

Após derrota do Brasil, ônibus são incendiados em SP


Manifestantes realizam diversos ataques em vários pontos de São Paulo na noite desta terça-feira (8), após a seleção brasileira perder por 7 a 1 contra a Alemanha e ser eliminada da Copa do Mundo.

Ao menos 20 ônibus foram incendiados por volta das 19h na região da represa Guarapiranga, zona sul de São Paulo. Segundo a Polícia Militar, os veículos estavam na garagem de uma empresa chamada VIP.

Ainda na zona sul, outro ônibus foi incendiado na Avenida Yervant Kissajikian por volta das 18h50. Mais um coletivo foi incendiado na zona leste, em Sapopemba, cerca de 40 minutos antes.

Uma loja do grupo Ponto Frio também foi saqueada por vândalos. Ainda não há informações sobre detidos ou feridos em todas as ações.

Presidente da CBF expulsa ex-jogador da seleção brasileira Cafu do vestiário da seleção


O capitão do pentacampeonato Cafu  foi expulso do vestiário da seleção brasileira pelo presidente da Confederação Brasileira de FutebolJosé Maria Marin. De acordo com o capitão do pentacampeonato, ele queria cumprimentar os jogadores. "O presidente disse que não queria nenhuma pessoa estranha no vestiário. Fiquei surpreso quando fui praticamente expulso do vestiário porque o Marin disse que não queria ninguém estranho lá. Eu, humildemente, me retirei do vestiário" declarou Cafu.

O ex-jogador da seleção brasileira disse ainda que não havia assédio de outros atletas ou personalidades no local. "Só vim aqui porque nesse momento os meninos precisam de apoio e foi isso que eu fui fazer no vestiário", concluiu o ex-jogador, que sentiu na pele em 1998 o que é uma derrota da Copa do Mundo.

Antes de ser barrado, Cafu havia conseguido falar com Felipão e Parreira. Foi o técnico da seleção brasileira quem o autorizou a ir ao vestiário dar "uma palavra de incentivo aos meninos".