A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

sábado, 9 de julho de 2016

Zezé Di Camargo leva caso de ameaça na web à Polícia: 'Estamos chegando nele'

Zezé Di Camargo contou ter sido ameaçado na internet e levou o caso à polícia: 'Estamos chegando nele'Zezé Di Camargo revelou já ter sido ameaçado de morte, durante participação no "Encontro com Fátima Bernardes" desta quinta-feira (7). Segundo o cantor, a pessoa foi identificada e está prestes a ser localizada pela polícia. "Eu vou contar um fato que aconteceu. Eu lia no Youtube todas as postagens e tinha uma pessoa que me perseguia. Não nas postagens nas minhas redes sociais, porque eu apagava", iniciou o músico, recentemente alvo de polêmica ao ironizar Wesley Safadão.
"Eu fui até a polícia para denunciar por crime na internet para achar essa pessoa. Chegou ao ponto dele incentivar... Ele usou um termo assim que eu achei uma coisa absurda. É um cara de Goiânia, acho, a gente está pertinho de chegar nele", relatou o ex-marido de Zilu Godoi, para quem prestou uma declaração de amor, semanas atrás. "Ele começou a incentivar as pessoas: 'a gente deve se livrar desas gralhas do Brasil'. Olha o que o cara escreveu na internet? (Já pensou se) Um louco lê isso e leva a sério", acrescentou o sertanejo, homenageado no Carnaval do Rio deste ano.
E o irmão de Luciano seguiu no seu relato. "O cara escreveu assim: 'o que você acha? A gente mata, dá um tiro em um cara desses em cima do palco. Foge do flagrante, aparece com um advogado, fica três anos preso, escreve um livro e fica famoso e a gente se livra de uma gralha dessas'. Isso é absurdo!", disse o namorado de Graciele Lacerda, com quem foi à gravação do primeiro DVD do sobrinho. "O cara está incentivando alguém a fazer uma maldade comigo", finalizou Zezé, que culpou a ex-mulher pelas ofensas à irmã, Luciele Di Camargo.

Wesley Safadão sobre crítica de Zezé Di Camargo: 'Luciano me pediu desculpas'


O cantor garante que sua relação com a dupla sertaneja não mudou depois da polêmica nas redes sociais
Luciano Camargo ligou pedindo desculpas para ele após crítica de Zezé Di Camargo, conta Wesley Safadão em entrevista nesta terça-feira, dia 05 de julho de 2016Wesley Safadão foi chamado de "emergente" por Zezé Di Camargo nas redes sociais. Apesar das críticas do sertanejo, o cantor, que em breve vai oficializar sua relação com Thyane Dias, garante que sua admiração pela dupla não mudou e explicou que Luciano Camargo ligou para ele.
"O Marcos, da dupla com Belutti, me mandou uma mensagem falando que o Luciano queria falar comigo. Eu tinha acabado de acordar, bem no período de São João, e quando peguei o Whatsapp, Luciano me ligou, pediu desculpas. Aí ele falou: 'Quero pedir desculpas pelo meu irmão, ele falou isso, você tá sabendo?' Eu disse: 'Sim, tô sabendo, mas pode ficar tranquilo, cara. Não precisa ter ligado... Sou muito fã de vocês", contou Wesley Safadão em entrevista à blogueira Camila Coutinho em seu canal no Youtube.
No entanto, o cantor com faturamento mensal de R$ 12 milhões contou que teria tomado uma decisão diferente da escolhida por Zezé. "Acho que a gente tem que poupar certas coisas, que a gente tem muita vontade de falar, mas vai gerar mais polêmica. Continuo gostando do Zezé da mesma forma, até porque não ia deixar de gostar", esclareceu o pai de Yhudi, de 5 anos e novo youtuber da web.
O uso de um avião particular, criticado por Zezé, explicou o cantor, é uma questão de comodidade. "No mês de abril, eu rodei 41 mil quilômetros, no mês de maio, 47 mil. Como é que eu vou sair do Ceará para o Rio Grande do Sul, e outros lugares, em vôo comercial? Eu tô vivendo um momento maravilhoso, que sei que não vai ser pra sempre, mas para eu conseguir chegar nos lugares e montar o meu roteiro, eu preciso de um avião", explicou o artista, que adotou bigode e renovou o visual.

Ex atriz da Rede Globo entra em crise, abandona as novelas e vai morar em Los Angeles


Thalma de Freitas como Berenice em 7 Pecados - TV Globo / Zé Paulo CardealHá quatro anos, quando estava prestes a completar 40 anos, Thalma de Freitas entrou em crise e decidiu abandonar as novelas e se mudar para os Estados Unidos. Na época, a atriz estava grávida do namorado irlandês, o fotógrafo irlandês Brian Cross, e tinha em mente que deveria mudar de vida.
Após 18 anos trabalhando na Rede Globo - onde fez 14 novelas - Thalma foi para Los Angeles, onde vive até hoje sem nenhuma saudade das novelas.
"Não sou uma pessoa nostálgica. Trabalhei durante 18 anos na Globo, 14 como funcionária exclusiva, e sei que isso é um privilégio. Em Hollywood, as pessoas reconhecem e respeitam essa experiência. Tudo o que vivi na TV brasileira agrega muito valor à minha nova fase de vida, mas sem nostalgia", disse Thalma, que atualmente se dedica à música e em breve deve lançar seu primeiro álbum solo.
Compositora, a intérprete da empregada Zilda de 'Laços de Família' já teve suas músicas gravadas por artistas como Gal Costa (a canção Ecstasy) e Gabi Amarantos (Chuva). Seu primeiro show em território americano será não dia 4 de agosto, em Los Angeles, com músicas em português.
"Aqui, resolvi me dedicar a uma parte mais técnica [do trabalho], porque nunca tive chance de fazer isso no Brasil", explica.
Com a volta de 'Laços de Família' ao ar no canal Viva, Zilda, a empregada de Helena, personagem de Vera Fischer, voltou a ser motivo de discussão, principalmente pela suposta exploração de sua patroa.
"Helena era uma mulher honesta e generosa. Na verdade, ninguém sabe quanto Zilda ganhava, mas ela era feliz no trabalho, então concluímos que era bem remunerada. O traço principal da Zilda era justamente o fato de ela não ser uma serviçal, mas alguém que tinha voz própria. O [autor] Manoel Carlos deu muita fala para ela, uma coisa rara [para empregadas] até então nas novelas. Zilda é uma personagem que transgrediu o papel da empregada", afirma.
Atualmente, Thalma não pensa em voltar a fazer novelas e nem a voltar a morar no Brasil, no entanto, ela ainda guarda lembranças do seu tempo na Rede Globo. "Entre as minhas melhores lembranças estão os papos com Tony Ramos, que vivia contando suas histórias de vida, de viagens e até trocando receitas de jiló! Foi uma das melhores coisas em que já trabalhei no Projac", finalizou.

'Voltei a tomar anabolizantes, sim', diz marido de Léo Áquila


Em fevereiro deste ano o Brasil acompanhou o drama do marido de Léo Áquila, Chico Campadello, que passou por uma lipoaspiração nos flancos e acabou entre a vida e a morte após sofrer uma embolia pulmonar. Mesmo ficando em coma induzido por 10 dias e mais três na UTI, Chico não desistiu do culto ao corpo.
Em entrevista exclusiva ao programa TV Fama que vai ao ar hoje (6), o lutador revela que voltou a tomar anabolizantes para recuperar o físico que tinha antes da internação. "Voltei a tomar anabolizantes, sim, mas com acompanhamento médico", confirma ele, que complementa assegurando que todo o esforço vale a pena em prol de um corpo perfeito.
Chico fala também do caso da fisiculturista Fernanda Guttila, que morreu na semana passada, após complicações de um tromboembolismo pulmonar. "Eu não a conhecia, mas muita gente me procurou quando ela faleceu, por ter sido um caso semelhante", diz ele.

Aos 75 anos de idade, Pelé vai se casar pela terceira vez


Pelé e Márcia Cibele Aoki se casam nesta semana 
PeléA semana é especial para Pelé. O "Rei do Futebol" vai se casar com a empresária Marcia Cibele Aoki, 25 anos mais nova do que ele, no próximo sábado (9), em uma celebração reservada e restrita aos familiares. Aos 75 anos, o ex-jogador vai trocar alianças pela terceira vez e disse que finalmente encontrou o seu "amor definitivo".
O casal se conheceu na década de 80, durante uma festa em Nova York, nos Estados Unidos, e começou a namorar em 2010, após um reencontro inusitado dentro de um elevador do prédio onde moravam na Alameda Jaú, em São Paulo. Em 2012, Pelé apresentou Márcia como sua "namorada oficial" no Golden Foot, que ocorreu em Mônaco. Desde então, a leva a todas festas e eventos para os quais é convidado.
Antes de Márcia, o maior jogador da história do futebol foi casado duas vezes. A primeira foi com Rosimeri Cholbi, com quem teve três filhos - Edinho, Jennifer e Kelly - e com a cantora gospel Assíria Nascimento, mãe dos gêmeos Joshua e Celeste. Além disso, namorou algumas famosas, como a apresentadora Xuxa Meneghel na década de 80.

Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank posam com a filha pela primeira vez: 'Vaidosa'


Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank posam com a filha, Titi, pela 1ª vez em vídeo enviado para amigos de Fernando de Noronha nesta quinta-feira, dia 07 de julho de 2016Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank apareceram pela primeira vez ao lado da filha Chissomo, apelidada de Titi, adotada pelo casal no Malauí, em vídeo enviado pelo casal para amigos de Fernando de Noronha. 
De acordo com o blog "Viver Noronha", os atoresapaixonados pela ilha pernambucana - Gagliasso, inclusive, é um dos administradores de um portal sobre Noronha - fizeram questão de mostrar a herdeira para Zé Maria Sultanum, dono de uma famosa pousada local.
"Ela já falou papai, já falou mamãe, dinda, é supertranquila", explicou Giovanna Ewbank, feliz da vida. Já o pai contou que a menina - que já até ganhou fã-clube na web - é cheia de estilo, como a repórter do "Vídeo Show". "Chissomo é vaidosa, demos um lenço vermelho e ela não quer tirar, fica se olhando no celular o tempo todo", falou o protagonista da próxima novela das seis, "Sol Nascente ".
Titi foi clicada pelo tio e arrancou elogios de toda família: O primeiro a mostrar uma foto da menina foi o irmão de Giovanna Ewbank, Gian Luca Ewbank. No registro do namorado de Giovanna Lancellotti, a menina de 2 anos aparece de óculos escuros e arranca elogios de toda família."Amor da minha vida", escreveu Ewbank. "Princesa linda da tia Gii", comentou também Lancellotti. "Meu novo amor. Vovó já te ama muito", declarou-se Lucia Gagliasso, avó da menina. A mãe da loira também demonstrou seu amor para a nova herdeira: "Amor da vovó". A assessora de Bruno Gagliasso também comentou no clique: "Amor da tia!".

Joelma nega namoro com dançarino de sua equipe: 'A gente faz uma encenação'


Cantora alfinetou ainda Ximbinha: 'Agora tenho mais tempo para mim. Não estou melhor?

Joelma negou que esteja namorando um bailarino de sua equipe, durante participação no programa 'Gugu' desta quarta-feira, 6 de julho de 2016: 'Estou muito apaixonada... Mas não por ele'Joelma vem sendo apontada como namorada de um bailarino do seu corpo de balé. Mas em participação no programa "Gugu" desta quarta-feira (7), a ex-mulher de Ximbinha, por quem foi acusada de queimar 200 pares de sapatos, negou o relacionamento com Rogers. Durante a atração, o apresentador chamou o dançarino e brincou com os artistas.
"Vem aqui, Rogers. Deixa eu ver se faz um casal bonito", disparou o comunicador. Nesse momento, o bailarino e a cantora posaram juntos para delírio do auditório. Em seguida, a vocalista, que negou ter colocado fogo nos calçados do ex-marido, disse que a aproximação dela com Roger é apenas nos shows e faz parte do espetáculo. "A gente faz uma encenação no palco. Ele pega na minha mão, no meu cabelo. É uma encenação. Um cheiro", garantiu Joelma.
"Eu vi olho no olho", provocou Gugu. "Eu olho assim, aí empurro ele. Não quero mais!", se divertiu a cantora repetindo os passos da coreografia. Em seguida, o pai de João Augusto, de 14 anos, e das gêmeas Marina e Sofia, de 12, foi direto ao assunto: "Está namorando ou não? Com ele". E a vocalista se surpreendeu: "Eu?". Logo depois, a cantora explicou: "Na verdade eu estou muito apaixonada... Mas não por ele".
'Ainda não estou com ninguém', disse a cantora: E o apresentador insistiu: "Não é ele, mas você está apaixonada?". "Nesse momento estou muito apaixonada... Por mim mesma", ironizou Joelma, para quem o homem ideal precisa ser temente a Deus. "Você não está com ninguém?", indagou Gugu. "Não! Ainda não. Calma, gente. Agora tenho mais tempo para mim. Olha como estou? Não estou melhor?", questionou ao auditório.
No palco, ela cantou ainda "Não Teve Amor", música apontada pelos fãs como alfinetada a Ximbinha. "Sabe aquele amigo falso?", perguntou Joelma se referindo ao refrão 'Tem coisas na vida que a gente não perde, a gente se livra'. "Você quem escreveu?", retrucou Gugu. "Não. Isso é culpa do meu empresário Pedro Mota. Foi ele que escolheu a música! Eu cantei a minha vida toda esse tipo de música, mas essa parece que eu vesti a roupa. Caiu como uma luva, veio na hora certa! Eu cantava muito a experiência de vida de outras pessoas. Agora tô cantando um pouco a minha", finalizou a artista, chamada de sem talento por Aguinaldo Timóteo.

Após perder sapatos, Ximbinha aciona advogados contra Joelma


<p>Ximbinha cogita registrar um boletim de ocorrência contra Joelma após saber que a ex-mulher queimou cerca de 200 pares de sapatos que estavam guardados na mansão onde a dupla morava.</p><p>“Estou avaliando com meus advogados. Espero apenas que esta situação seja ultrapassada e que cada um viva sua vida pessoal e artística de modo tranquilo e em paz. A questão aqui não é o valor material do ato, mas sim a motivação sem nexo ou lógica”, disse ao jornal "Extra".</p><p><b>VOCÊ VIU?</b> <a href="http://www.famosidades.com.br/famosos/ximbinha-assume-namoro-com-suposta-amante.html">Ximbinha assume namoro com suposta amante</a></p><p>Além dos calçados, o guitarrista acusa a loira de ter destruído roupas e sumido com instrumentos musicais dele. O caso teria acontecido no último fim de semana. </p><p>Um produtor amigo do artista esteve na mansão que os famosos mantinham em Alphaville, região privilegiada de Barueri, São Paulo, a fim de mostrá-la a um possível locatário, e encontrou uma verdadeira bagunça. O funcionário de Ximbinha achou as caixas de instrumentos vazias e cinzas dos objetos do patrão na churrasqueira da casa. </p><p>Através de sua assessoria de imprensa, Joelma negou que tenha destruído pertences do ex. "Ela está focada em sua carreira e sem tempo ou disposição para se preocupar com os sapatos de Ximbinha”, disse um representante da cantora. </p><p><b>Divórcio e novo amor</b></p><p>O músico, por sua vez, fez questão de deixar claro que seu divórcio é consensual e a divisão de bens está sendo resolvida pela Justiça. </p><p>"Nunca me opus judicialmente a ele, embora não concordasse com ele no início. A divisão dos bens está sendo tratada entre nossos advogados dentro da esfera legal e dos prazos estabelecidos pelo juiz”, explicou.</p><p>O veterano também não quis assumir o romance com a empresária Karen Ketlen Fernandes da Silva, apontada como sua amante e pivô do fim do casamento dos integrantes da banda Calypso.</p><p>“Agora sou legalmente divorciado e livre para me relacionar com quem eu gostar e gostar de mim. Sou um artista, sou pacífico, sou humano e só quero que me deixem trabalhar e viver em paz”, avisou. </p>Ximbinha cogita registrar um boletim de ocorrência contra Joelma após saber que a ex-mulher queimou cerca de 200 pares de sapatos que estavam guardados na mansão onde a dupla morava.
“Estou avaliando com meus advogados. Espero apenas que esta situação seja ultrapassada e que cada um viva sua vida pessoal e artística de modo tranquilo e em paz. A questão aqui não é o valor material do ato, mas sim a motivação sem nexo ou lógica.
Além dos calçados, o guitarrista acusa a loira de ter destruído roupas e sumido com instrumentos musicais dele. O caso teria acontecido no último fim de semana.
Um produtor amigo do artista esteve na mansão que os famosos mantinham em Alphaville, região privilegiada de Barueri, São Paulo, a fim de mostrá-la a um possível locatário, e encontrou uma verdadeira bagunça. O funcionário de Ximbinha achou as caixas de instrumentos vazias e cinzas dos objetos do patrão na churrasqueira da casa.
Através de sua assessoria de imprensa, Joelma negou que tenha destruído pertences do ex. "Ela está focada em sua carreira e sem tempo ou disposição para se preocupar com os sapatos de Ximbinha”, disse um representante da cantora.
Divórcio e novo amor
O músico, por sua vez, fez questão de deixar claro que seu divórcio é consensual e a divisão de bens está sendo resolvida pela Justiça.
"Nunca me opus judicialmente a ele, embora não concordasse com ele no início. A divisão dos bens está sendo tratada entre nossos advogados dentro da esfera legal e dos prazos estabelecidos pelo juiz”, explicou.
O veterano também não quis assumir o romance com a empresária Karen Ketlen Fernandes da Silva, apontada como sua amante e pivô do fim do casamento dos integrantes da banda Calypso.
“Agora sou legalmente divorciado e livre para me relacionar com quem eu gostar e gostar de mim. Sou um artista, sou pacífico, sou humano e só quero que me deixem trabalhar e viver em paz”, avisou.

Irmão do ex-goleiro Bruno é indiciado por coautoria no caso Eliza Samudio


Nesta ultima sexta-feira (8), a Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que Rodrigo Fernandes das Dores Souza, irmão do ex-goleiro Bruno, foi indiciado no caso do desaparecimento de Eliza Samudio - assassinada em 2010, cujo corpo nunca foi encontrado.

Rodrigo está preso no Piauí sob suspeita de ter estuprado uma adolescente no bairro Satélite, em Teresina, em setembro do ano passado.
De acordo com a publicação, a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher informou que Rodrigo é investigado como coautor na trama para matar e ocultar o cadáver de Eliza.
Na versão sustentada pelos investigadores, Bruno contou com a ajuda do irmão e do amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, para cometer contra a vítima os crimes de sequestro e tentativa de aborto.
O caso será encaminhado para o Ministério Público do Estado do Rio, que poderá ou não oferecer denúncia à Justiça fluminense.

Irmão de Bruno diz que viu o momento que Eliza Samúdio foi morta



Eliza SamúdioO irmão do goleiro Bruno, Rodrigo Fernandes, disse em depoimento à polícia do Piauí que estava presente no momento em que Eliza Samúdio foi assassinada. Ele também apontou o local onde os restos mortais das vítimas foram colocados. O depoimento, conforme destacou, foi colhido a pedido da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Jacarepaguá, no Rio.
Entretanto, como informou o delegado geral da Polícia Civil do Piauí não descarta que o irmão do goleiro tenha passado informações falsas. “Particularmente, eu não vi o depoimento. Mas é necessário tomar muito cuidado em relação ao interesse dele em divulgar essa suposta localização. A gente precisa checar a fundo porque há a possibilidade da informação ser falsa”, disse Riedel Batista.
Já Polícia Civil de Minas Gerais, que investiga o homicídio de Eliza, disse que foi comunicada pela Civil do Rio sobre o depoimento do irmão do ex-goleiro do Flamengo e que está à espera da documentação para definir quais procedimentos serão tomados.

Rodrigo Fernandes indicou que os restos mortais de Eliza Samúdio estariam em uma cidade que fica no interior de Minas Gerais. O irmão de Bruno está preso desde setembro de 2015, por suspeita de estupro.

Andréa de Nóbrega revela que se separou por conta de ameaças do ex-marido, entenda!


Andréa de Nóbrega abriu o jogo sobre o fim do relacionamento com o humorista Carlos Alberto de Nóbrega no programa The Love School, da Record. A atriz revelou que algumas atitudes do ex-marido fizeram com que os dois se separassem novamente, após vinte e dois anos de casados.

Parece que a separação de Andréa de Nóbrega e Carlos Alberto de Nóbrega não foi nada fácil. Em entrevista ao programa The Love School, da Record, ela revelou que algumas atitudes do ex-marido fizeram com que os dois se separassem novamente, após vinte e dois anos de casados: - Ele sentava no sofá e falava: Eu vou acabar com você. Esses vinte e dois anos de relação foram um vendaval. Ele me colocou pra baixo. Que tenso, não é mesmo? E os dois não foram os únicos a terem uma relação bem conturbada, continue nesta galeria e confira outras separações polêmicas do mundo dos famosos!Durante o programa que fala sobre relacionamentos, Andréa participou de um debate sobre relacionamentos considerados ioiôAndréa de Nóbrega falou sobre a primeira vez que se separou de Carlos Alberto, que renovou seu contrato com o SBT, e abriu o jogo sobre os motivos para a segunda separação.
A atriz alegou que sofria diversas ameaças do ex-marido e que os vinte e dois anos de casados ao lado do humorista foi um vendaval.
  -Ele sentava no sofá e falava: Eu vou acabar com você. Esses vinte e dois anos de relação foram um vendaval, revelou aloira.
A íntegra da entrevista de Andréa falando sobre o relacionamento conturbado no programa vai ao ar no próximo sábado, dia 9. 

Mãe de Priscila Belfort acredita que corpo de filha possa estar no IML


A mãe de Priscila Belfort, desaparecida desde o dia 9 de janeiro de 2004, diz que pode existir algum vestígio da filha entre as mais de 60 ossadas guardadas no IML.

Segundo informações, Jovita Belfort, de 62 anos, aguarda há dois anos exames de DNA em restos mortais que, por estarem em péssimas condições precisam de nitrogênio líquido para serem analisados.
"É uma espera que nunca termina. Não vivo mais sem remédios. Já tenho quatro stents (próteses que impedem o fechamento da artéria coronariana) para aguentar esse sofrimento diário. Acordo sempre com esperanças e, quando anoitece, fico em depressão, pois imagino que a solução para a minha agonia possa estar no IML", disse Jovita. "Já sei que algumas geladeiras do IML queimaram por falta de manutenção, o que compromete análises dos materiais armazenados. O que vem acontecendo é muito triste e revoltante", concluiu. Priscila Belfort é irmã do lutador de MMA Vitor Belfort e desapareceu após sair do trabalho para almoçar. Seu real paradeiro é desconhecido até hoje.

Sasha faz tour por empresa de moda catarinense antes de embarcar de vez para NY


Há três meses, SASHA MENEGHEL pousou na cidade de Navegantes, em Santa Catarina, para um bate e volta. Foi recebida por uma comitiva de vinte funcionários do grupo catarinense AMC Têxtil, detentor das marcas Colcci, Sommer, Forum e Coca-Cola Jeans. Eles esperavam a estudante de 17 anos para um tour pela empresa.

Sasha MeneghelAtenta e aplicada, Sasha percorreu a fábrica, o setor de modelagem e a área de criação das coleções, onde trabalham as estilistas e seus assistentes. "Foi o departamento de que ela mais gostou", conta uma funcionária.
A visita tinha o objetivo de preparar a filha de Xuxa para uma nova empreitada. A partir de agosto, Sasha será aluna da Parsons School of Fashion, em Nova York, cuja mensalidade sai por 13 000 reais.
À frente de um programa que não consegue decolar na Record, Xuxa promete que gravará atrações em Nova York, para passar mais tempo com a filhota. Não que alguém esteja assistindo...

Moscou anuncia expulsão de diplomatas americanos em represália


Policial russo diante da embaixada americana em MoscouMoscou anunciou neste sábado a expulsão de dois diplomatas americanos em represália pela mesma medida adotada por Washington contra dois funcionários russos, após a "agressão" em junho a um diplomata americano na capital russa.
"Após o gesto hostil (americano) dois funcionários da embaixada dos Estados Unidos abandonaram Moscou. Foram declarados persona non grata por atividades incompatíveis com seu status diplomático", anunciou em um comunicado o vice-ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Ryabkov.
De acordo com Ryabkov, ambos eram agentes da CIA e um deles esteve envolvido em uma briga com um policial moscovita, problema que está na origem da série de expulsões.
"Esperamos que Washington reconheça a perversidade de sua agressiva linha anti-Rússia. Se decidirem prosseguir no caminho da escalada, isto não permanecerá impune", completou Ryabkov no comunicado.
Na sexta-feira, o governo dos Estados Unidos expulsou dois funcionários russos após o "ataque" de um policial a um diplomata americano em Moscou.
O porta-voz do Departamento de Estado, John Kirby explicou que em 6 de junho um policial russo atacou um diplomata credenciado quando ele entraria na sede em Moscou da embaixada dos Estados Unidos, após sua identificação.
A Rússia afirma que o diplomata era um agente da CIA e que ele foi o que agrediu o policial russo no momento da verificação da identidade.

Mulher é mantida refém em loja da Avenida Paulista

Uma funcionária de uma das lojas de chocolates da rede Brasil Cacau foi mantida refém por um homem armado na unidade da Avenida Paulista das 11h30 até cerca de 13h45 deste sábado (9). Segundo informações da Polícia Militar, o suspeito não seria ladrão, mas conhecido da vítima. Ele teria "problemas mentais".

Equipes da corporação ocuparam a calçada e um pedaço da via, no cruzamento com a Avenida Brigadeiro Luís Antonio. A moça se viu ameaçada com uma faca no pescoço no fundo da loja. A PM buscou a ajuda da família do suspeito.
O tráfego de veículos ficou suspenso em parte da Paulista, no trecho em frente ao comércio, no sentido Paraíso. A passagem de pedestres também foi bloqueada. 
A mulher foi libertada depois de mais de duas horas de negociações. O criminoso foi encaminhado ao 78 DP.
refém avenida paulista

Ministro contraria decisão do plenário do STF e deixa Lava Jato apreensiva

Ministro Celso de MelloDecano do Supremo Tribunal Federal, o ministro Celso de Mello contrariou orientação do plenário e suspendeu um mandado de prisão expedido pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais contra um réu condenado por homicídio em segunda instância. A medida foi tomada em meio à expectativa de que a corte volte a analisar a prisão antes do trânsito em julgado - quando se esgotam todas as possibilidades de recurso. Em fevereiro, por sete votos a quatro, os ministros entenderam que a pena poderia ser cumprida logo após a confirmação da sentença em segunda instância.
A decisão de Celso de Mello - ele foi voto vencido no julgamento de fevereiro - causou reação da força-tarefa da Operação Lava Jato. O procurador da República Deltan Dallagnol afirmou que a interpretação de que a execução da pena em segundo grau não é regra "pode prejudicar a realização de acordos de colaboração" premiada. "O réu passa a ver o horizonte da impunidade como algo alcançável. É uma lição básica de negociação que ninguém faz um acordo quando a existe uma alternativa melhor do que o acordo. Por que um réu vai admitir os crimes, devolver o que desviou e se submeter a uma pena se a alternativa é a impunidade?", questionou Dalllagnol.
Encarado como uma forma de combater a morosidade da Justiça, o entendimento da maioria do STF tem como defensor o juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância em Curitiba. Na Operação Abismo, deflagrada nesta segunda-feira, ele afirmou em seu despacho que a "corrupção se alastrou no país porque prisão não é regra". Uma das consequências do entendimento, por exemplo, é estimular que condenados, na iminência de serem presos, façam acordo de delação premiada e contribuam com as investigações.
A questão se tornou polêmica depois da divulgação de gravações de conversas do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, em maio. Em um dos diálogos, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirma que o Congresso precisa aprovar uma nova lei para restabelecer as prisões somente após o trânsito em julgado. "A lei diz que não pode prender depois da segunda instância, e ele aí dá uma decisão, interpreta isso e acaba isso", disse Renan.
Na visão de entidades e especialistas, o posicionamento do ministro Celso de Mello de suspender o mandado de prisão traz insegurança jurídica. O decano do STF , no entanto, afirmou que a decisão da Corte sobre o assunto "não se reveste de eficácia vinculante", o que significa que a jurisprudência do Supremo "não se impõe à compulsória observância dos juízes e tribunais em geral".
"Em nosso sistema jurídico, ninguém pode ser despojado do direito fundamental de ser considerado inocente até que sobrevenha o trânsito em julgado de sentença penal condenatória. Ninguém, absolutamente ninguém, pode ser tratado como se culpado fosse antes que sobrevenha contra ele condenação penal transitada em julgado", escreveu o ministro, em decisão do dia 1.º deste mês. Neste semestre, o STF deverá voltar ao tema para analisar a constitucionalidade da medida.
O presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, José Robalinho, afirmou que a posição do ministro não ajuda nem o STF nem instâncias inferiores. "Isso diminui a segurança jurídica da decisão, e ele, como decano, sabe disso. Não faz bem a ninguém quando a minoria começa a desrespeitar decisão colegiada."
Na avaliação da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), a decisão não tem implicação direta no entendimento do STF sobre o caso. "O ministro tem o direito de defender sua posição, mas não seria normal se o STF mudasse de posição com tão pouco tempo", disse o presidente da entidade, João Ricardo Costa.
O ministro Gilmar Mendes afirmou que "continua com a mesma convicção" - ele votou com a maioria. "Uma coisa é presunção de inocência. Outra coisa é presunção de inocência de quem vem sendo envolvido sistematicamente em condenações. Tem de haver uma mitigação do conceito de presunção de inocência."
Para o criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, autor de uma ação direta de constitucionalidade que pede a revisão da decisão do Supremo de permitir a prisão definitiva antes do trânsito em julgado, é positiva a medida tomada pelo ministro Celso de Mello. Kakay, que é responsável pela defesa de ao menos quinze políticos alvos da Lava Jato, protocolou a ação no STF por meio do Partido Ecológico Nacional (PEN) - agremiações partidárias têm legitimidade para representar na Corte.
"A grande vantagem dessa ação [de Celso de Mello] é trazer de volta essa discussão que está perpassando toda a sociedade brasileira", afirmou o advogado. "Então, nós temos juízes garantistas que têm a preocupação de manter o entendimento anterior." A expectativa do criminalista é de que o STF analise as ações em meados de agosto, após o fim do recesso do Judiciário.

Filha de Roberto Jefferson quer ser substituta de Eduardo Cunha

A deputada federal Cristiane Brasil (PTB), a filha de Roberto Jefferson, decidiu disputar o mandato temporário para a presidência da Câmara. A eleição está marcada para fevereiro de 2017.
A parlamentar quer ser a candidata do centrão, para posteriormente poder apoiar Rogério Rosso (PSD-DF), para o biênio 2017-2018, de acordo com o colunista Lauro Jardim.
Cristiane publicou em seu Facebook a vontade de presidir a casa legislativa: "Sim, estou disposta a assumir o desafio de presidir a Câmara dos Deputados do Brasil! As razões para me alçar a este desafio são várias... Entre elas, a necessidade de haver uma mulher entre os postulantes – até agora, todos homens. Do ponto de vista político, avalio que, além do apoio da bancada feminina, sou plenamente capaz de angariar a confiança tanto dos partidos que formam a oposição ao já famigerado governo do PT quanto dos partidos de Centro na Câmara. Ao longo dos dias, falarei mais aqui sobre minha pretensão de presidir a Câmara. A vocês que me seguem aqui e gostam da minha atuação, apenas um pedido: torçam por mim! Saudações trabalhistas!"
O pai da deputada, Roberto Jefferson, foi delator do esquema do mensalão e havia sido condenado a sete anos e 14 dias de prisão. Em maio de 2015, passou para o regime aberto e, no último dia 22 de abril, recebeu o perdão da pena pelo Supremo Tribunal Federal.

Eduardo Cunha não cairá sozinho, diz Le Monde


Em sua edição que chegou às bancas na tarde desta sexta-feira (8), o jornal Le Monde noticia e tenta analisar o impacto da decisão do deputado Eduardo Cunha de renunciar à presidência da Câmara dos Deputados no Brasil. "A demissão do homem que derrubou Rousseff", diz o título.

A correspodente do vespertino no Brasil, Claire Gatinois, começa o texto dizendo que ninguém sabe se as lágrimas de Cunha eram sinceras, mas que sua tristeza ganhou ares simbólicos. Segundo a jornalista, elas representam a desordem de parte do mundo político brasileiro, encurralado em sua ganância e sua maldade.
A correspondente lembra que Cunha, que é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro, já estava encurralado, mesmo se tentou apresentar sua renúncia como um gesto de grandeza.
Mas ela lembra que essa renúncia pode ser interpretada como uma demissão tática, já que, com isso, Cunha deixa a presidência da Câmara, mas tenta salvar seu mandato e seu status privilegiado diante da Justiça.
Lava Jato: Além de suas contas na Suíça, ressalta a reportagem do Le Monde, a investigação da Lava Jato está cada vez mais próxima de Eduardo Cunha. Além de sua mulher, Cláudia Cruz, estar sendo acusada de ter se beneficiado de dinheiro desviado.
No entanto, analisa Le Monde, em Brasília ninguém ousa esperar a queda do deputado, pois ele teria acumulado uma série de informações sobre seus colegas parlamentares. "Se ele cair, não cairá sozinho", conclui a reportagem do Le Monde.

MP diz que pedalada no BNDES não é crime

Dilma Rousseff: A presidente afastada Dilma RousseffA Procuradoria da República no Distrito Federal entendeu que os atrasos em repasses do Tesouro Nacional para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), uma das “pedaladas” do governo Dilma Rousseff, não foram empréstimos ilegais. A conclusão consta de despacho do procurador Ivan Marx, no qual ele arquiva procedimento aberto para apurar se houve crime de integrantes da equipe econômica nessas operações específicas. 
O procurador ainda vai se manifestar sobre outras manobras atribuídas à gestão da petista, inclusive os atrasos na transferência de recursos do Plano Safra para o Banco do Brasil – um dos fundamentos formais do processo do impeachment. Ele adianta que, nesse caso, sua posição deve ser a mesma. “Foi muito similar (a prática) e, possivelmente, eu vá dizer que não existe (crime).”
Os argumentos do parecer coincidem com os apresentados pela defesa da presidente afastada na Comissão do Impeachment e devem reforçar o discurso dos que apoiam a permanência dela no cargo. Recentemente, peritos nomeados pelo Senado concluíram também que Dilma não teve participação direta ao autorizar as pedaladas, embora tenha assinado decretos de suplementação orçamentária supostamente ilegais.
Ao Estado, Ivan Marx lamentou que o Ministério Público Federal (MPF) não tenha sido ouvido no processo de impeachment. “Quem tem atribuição de dizer se determinada prática é crime ou improbidade é o MPF. É o único ator que não foi chamado a depor na comissão.”
As pedaladas foram atrasos no repasse de recursos para bancos públicos bancarem obrigações do governo com programas sociais e empréstimos subsidiados. Com isso, os saldos das contas desses programas ficaram negativos nas instituições, que tiveram que cobrir os gastos com o dinheiro depositado pelos correntistas. Para o Tribunal de Contas da União (TCU), esses atrasos configuraram empréstimos ilegais entre os bancos e seu controlador, a União, porque não foram autorizados pelo Legislativo.
Ao retardar os pagamentos, o governo também indicava que suas despesas naqueles períodos eram menores, produzindo um resultado fiscal artificial.
O BNDES é o gestor do Programa de Sustentação do Investimento (PSI), que empresta dinheiro a grandes empresas a juros mais baixos que os de mercado. A diferença entre as taxas é coberta pelo Tesouro, que não fazia os repasses conforme pactuado.
Para Ivan Marx, não houve crime nesse caso porque a manobra do governo não se enquadra precisamente no conceito de operação de crédito previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal. “O conceito legal não pode ser ampliado em respeito ao princípio da legalidade estrita. Além disso, o direito penal é indene de dúvidas de que resulta vedada a analogia prejudicial ao réu”, alegou.
O procurador argumenta que houve “um simples inadimplemento contratual, quando o pagamento não ocorre na data devida”. “Entender de modo diverso transformaria qualquer relação obrigacional da União em operação de crédito, dependente de autorização legal, de modo que o sistema resultaria engessado. E essa, obviamente, não era a intenção da Lei de Responsabilidade Fiscal”, argumenta.
Ivan Marx sustenta que, embora as pedaladas do BNDES não sejam crime, elas serviram ao propósito do governo de maquiar o resultado fiscal, o que configura improbidade administrativa, um tipo de delito civil. As autoridades responsáveis devem, portanto, responder a ação a respeito.
Nos próximos dias, Ivan Marx decidirá se arquiva ou apresenta denúncia criminal contra integrantes da equipe econômica de Dilma sobre as pedaladas do Plano Safra; dívidas no pagamento de tarifas e taxas à Caixa Econômica Federal; e procedimento indevido do Ministério das Cidades ao registrar em restos a pagar dívidas referentes ao Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV). Nesses três casos, o TCU viu ilegalidades.

Renúncia de Cunha coloca em xeque impeachment de Dilma, diz Cardozo

José Eduardo CardozoO advogado e ex-ministro José Eduardo Cardozo, defensor da presidente afastada Dilma Rousseff, afirmou nesta quinta-feira, 7, ao Broadcast que a decisão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) de renunciar à Presidência da Câmara coloca em xeque o processo de impeachment da petista. Cardozo chamou a atenção para o fato de Cunha ter confessado, no discurso em que abdicou do comando da Câmara, que “sem dúvida alguma” o marco da sua gestão foi ter admitido a abertura do processo de impedimento contra Dilma.
“A fala dele demonstra claramente o que estamos alegando desde o início, que houve desvio de poder na decisão dele de admitir o pedido”, disse Cardozo. “Confirma exatamente que ele não fez aquilo diante de uma ilegalidade, mas sim para atingir uma presidenta que não paralisava as investigações contra ele”, completou.
O defensor de Dilma disse que vai pedir a juntada do pronunciamento de Cunha ao processo de impeachment que corre no Senado para comprovar a irregularidade do pedido. Disse também que pretende estudar se recorre novamente ao Supremo Tribunal Federal (STF) com base na manifestação do agora ex-presidente da Câmara.
Para Cardozo, a decisão de Cunha, somada à falta de provas de que Dilma cometeu crime de responsabilidade, pode dificultar uma eventual condenação da presidente afastada pelo Senado. Para a petista ser retirada definitivamente do cargo, Dilma terá de receber ao menos 54 dos 81 votos em um julgamento futuro.
O advogado da presidente afastada afirmou que, por ora, não é possível dizer se houve um acordo do governo do presidente em exercício, Michel Temer, para salvar o mandato de Cunha após a renúncia. Cardozo disse que, se tiver sido mesmo firmado um acordo, o governo interino vai responder por isso perante a sociedade.

Cunhado de Ana Hickmann comenta denúncia de homicídio pelo MP: 'Não me preocupa'


Gustavo Correa, cunhado de Ana Hickmann, foi denunciado pelo Ministério Público de Minas Gerais pela morte de Rodrigo de Pádua, fã que invadiu um hotel em Belo Horizonte para cometer um atentado contra a apresentadora da Record, em maio deste ano. À época, Gustavo atirou em Rodrigo, mas a Polícia Civil alegou legítima defesa.

Cunhado de Ana Hickmann comenta denúncia de homicídio pelo MP em entrevista nesta sexta-feira, dia 08 de julho de 2016"Estou tranquilo. Isso (ter sido denunciado pelo MP) não me preocupa nem um pouco. A Justiça tem que cumprir o papel dela", explicou nesta sexta-feira (8) em entrevista ao jornal "Extra" o irmão de Alexandre Correa, marido da artista, que chegou a ser criticado nas redes sociais após o atentado por incentivar aulas de luta para crianças.
O empresário paulista voltou a afirmar que agiu para salvar Ana Hickmann e sua mulher, Giovana Oliveira, que continua com uma bala alojada na perna. "Por conta da publicidade da história existe esse cunho exploratório. Você não pode fugir de uma realidade que existe. Ou morriam os três ou morria ele", afirmou Gustavo.
Ana Hickmann protesta sobre decisão nas redes sociais: 'Indignação'
Apesar de não ter se pronunciado na imprensa sobre a decisão da Justiça, a apresentadora do "Hoje em Dia" usou seu perfil no Instagram para criticar a decisão da instituição. Ana Hickmann postou uma foto com a definição da palavra "indignação". "Bom dia!", escreveu a loira na legenda. A mesma imagem foi postada Alexandre e Giovana, marido e cunhada da artista.

Mulher de Cunha fez selfie em restaurante chique na véspera da renúncia

Um dia antes do marido ler uma carta ao renunciar ao cargo de presidente da Câmara e inclusive se emocionar durante o episódio, a jornalista Cláudia Cruz jantava alegremente em companhia de amigos sem que apresentasse qualquer tipo de preocupação com a situação.
Ela esteve na quarta-feira (6), véspera da renúncia do marido Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no restaurante de luxo Mr. Lam, na Lagoa, no Rio de Janeiro.

Depois do choro na renúncia, Cunha já planeja a vingança pelo whatsapp



O deputado federal afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) caiu nas lágrimas na última quinta-feira quando renunciou ao cargo de presidente da Câmara. Dois dias depois, ele já comanda no whatsapp os grupos de conversa do seu partido para tentar influenciar na eleição de seu sucessor. Em troca de mensagens, Cunha faz recomendações, traça cenários e alerta para o risco de o presidente interino Waldir Maranhão (PR-MA) criar um plano para o impeachment de Michel Temer.


Cunha defende que o PMDB não concorra novamente ao cargo da presidência da Câmara porque acredita que as chances são remotas. Ele defende um nome do centrão, grupo de partidos médios no qual ainda tem uma certa influência política. "Temos uma condição diferente hoje por termos o presidente da República. Difícil ter Senado, Câmara e presidência em um único partido", afirmou Cunha no whatsapp.
Os deputados chegaram a discutir no grupo de conversa do partido depois que Cunha enviou uma mensagem sobre as chances de Temer sofrer um "golpe" liderado por Maranhão, que quer acelerar o processo de impeachment contra o presidente interino.
Para Cunha, o único jeito de evitar esse risco seria marcar a eleição do novo presidente para o começo da próxima semana. "Marcar segunda não é ruim, porque obriga a resolver", disse. "Perde-se mais uma semana, a última, e dá margem ao golpe que querem fazer de aceitar o impeachment de Michel".
De acordo com a mensagem de Cunha, a saída para evitar a artimanha de Maranhão seria marcar a eleição do novo presidente já para o início da próxima semana. “Marcar segunda não é ruim, porque obriga a resolver”, escreveu Cunha, alertando os correligionários para o risco de retardar a data: “Perde-se mais uma semana, a última, e dá margem ao golpe que querem fazer de aceitar o impeachment de Michel”.
Nos últimos dois dias, Cunha está sendo isolado pelos seus "ex-amigos", que agora negam terem uma simpatia por ele. Participam do grupo, Beto Mansur, que defendeu a renúncia de Cunha, além de possível candidatos ao cargo da presidência, como Rogério Rosso (PSD-DF) e Carlos Manato (SD-ES) .
Os desafetos de Cunha dentro do PMDB criticam a articulação do ex-presidente para tentar influenciar a nova eleição. Um dos parlamentares, classificou as mensagens como incabíveis. "É uma situação esdrúxula. Nosso ex-presidente faz um papel patético", afirmou.