ABI - Associação Brasileira de Imprensa

ABI - Associação Brasileira de Imprensa
Liberdade de Expressão e Ética

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Bell Marques revela que pediu a Jorge Amado para escrever sua biografia Cantor comentou sobre a polêmica das biografias

FAMOSIDADES

Em meio à polêmica sobre as biografias, Bell Marques revelou que conversou com o escritor Jorge Amado, morto em 2001, para que ele escrevesse sua biografia.
"Procurei Jorge Amado lá atrás para ele escrever com um sotaque bem baiano, mas ele logo morreu. Depois, procurei Zélia [Gattai] e ela não pôde fazer porque estava com uns problemas e me pediu desculpas. Agora, preciso de um escritor para ele dar o toque final", revelou ele em entrevista ao jornal “Correio”.
O baiano deu sua opinião sobre o assunto do momento: a publicação de biografias não autorizadas. "No meu caso, não permitiria uma biografia porque já tenho uma praticamente pronta que deve sair logo. Comecei a escrever e acabei parando há uns dez anos, mas vou retomar e colocar o que aconteceu mais recentemente. Já tem até nome: 'Ao Bell Prazer'."
O cantor ainda acrescentou: "Em meus 36 anos de carreira, nada invadiu minha privacidade, até porque nunca dei espaço para isso. A única vez que me aborreci mesmo foi com Nizan Guanaes, mas não pelas coisas que falou, mas pela maneira como falou. Então, fui para a Justiça e o processo ainda está rolando".
O jornalista, em 2010, afirmou que a indústria do axé, especificando Bell, estava destruindo a Bahia. "Ele não é um artista. É um crooner careca", disse em seu perfil no Twitter. 

"Só posaria nua por uns bons milhões", revela Luciana Gimenez Apresentadora afirmou que não tem coragem

FAMOSIDADES


Com 44 anos e um corpo de causar inveja, Luciana Gimenez foi apontada como possível capa de aniversário da “Playboy” de 2014. No entanto, a apresentadora comentou qual seria sua condição para se despir para a publicação.
“Nunca digo nunca, mas não tenho coragem. O problema não é fazer carão nas fotos, é mostrar a perereca... Eu não posaria por vaidade, só por uns bons milhões”, afirmou à revista “Já É! Domingo”.
A ex-modelo afirmou que também não gostaria de posar por conta dos filhos, Lucas, de 14 anos, e Lorenzo, de dois: “Imagina os amigos na escola chamando a mãe dele de gostosa? É expor demais. Se eu precisasse de grana para pagar as contas, a escola dele, por exemplo, tudo bem, mas não é o caso. Tenho dinheiro, uma carreira consolidada e o pai dele [Mick Jagger] ajuda”.
Luciana contou que o máximo que faz para exibir o corpo é posar para sua linha de lingerie. “Estava em falta no mercado um produto funcional, que fosse bonito e, ao mesmo tempo, que segurasse os seios, as banhas, sem marcar a roupa. Uma boa lingerie deixa qualquer mulher sensual.”
A apresentadora ainda criticou as mulheres que saem de casa sem nada por baixo da roupa: “Acho uma pouca-vergonha. Mulher direita não sai de casa sem calcinha. A que faz isso é porque gosta de mostrar a perereca por aí. Existem milhões de maneiras de a lingerie não marcar a roupa. No Festival de Cannes [na França], eu cortei a calcinha dos lados e coloquei um tule para não aparecer no vestido”.

Justiça deve definir sobre semiaberto para Dirceu, Genoino e demais réus Decisão sobre regime de prisão para presos do mensalão cabe a juiz do DF. Presos que ficarem no semiaberto vão para ala especial de presídio.

O juiz da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, Ademar de Vasconcelos, deve decidir nesta segunda-feira (18) qual regime de prisão deverá cumprir cada réu do mensalão preso no final da última semana. Na sexta-feira, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, havia determinado a prisão de 12 réus. Onze estão presos (o ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, foi para a Itália). Entre os presos, estão o ex-ministro José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoino e Marcos Valério, apontado como o operador do mensalão.
Desde sábado estão todos detidos em uma ala do presídio da Papuda, em Brasília. O juiz Ademar de Vasconcelos vai determinar quais desses presos deverão cumprir regime fechado de prisão ou semiaberto (em que o preso pode trabalhar durante o dia e voltar para a cadeia no início da noite). Aqueles que o juiz entender que devem cumprir regime semiaberto, ficarão no Centro de Internação e Reeducação da Papuda. Os que ficarem no regime fechado, serão levados para uma outra ala do presídio.
As defesas dos condenados podem pedir a transferência dos presos para presídios próximos às cidades onde vivem. A decisão cabe também ao juiz da Vara de Execuções Penais.
Nos mandados de prisão expedidos na sexta, o ministro Joaquim Barbosa não especificou o regime de prisão. Por isso que a decisão vai ficar a cargo da Vara de Execuções Penais. Os 11 condenados que estão presos, além de Dirceu, Genoino e Valério, são: o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares; Cristiano Paz, ex-sócio de Marcos Valério; Kátia Rabello, ex-presidente do Banco Rural; Simone Vasconcelos, ex-funcionária de Valério; Romeu Queiroz, ex-deputado pelo PTB; Jacinto Lamas, ex-tesoureiro do PL, atual PR; José Roberto Salgado, ex-executivo do Banco Rural e Ramon Hollerbach, ex-sócio de Marcos Valério.
Novas prisões
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, deve expedir nesta segunda-feira (18) novos mandados de prisão para condenados no julgamento do mensalão.

Os outros sete réus que podem ter mandados expedidos nesta segunda são:
- Valdemar Costa Neto (PR-SP), deputado. Condenado a 7 anos e 10 meses (regime semiaberto) e multa de R$ 1,08 milhão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
- Pedro Henry (PP-MT), deputado. Condenado a 7 anos e 2 meses e multa de R$ 932 mil por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
- Roberto Jefferson (PTB-RJ), delator do esquema. Condenado a 7 anos e 14 dias e multa de R$ 720,8 mil por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
- Rogério Tolentino, advogado. Condenado a 6 anos e 2 meses e multa de R$ 494 mil por corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
- Pedro Corrêa, ex-deputado do PP. Condenado a 7 anos e 2 meses e multa de R$ 1,13 milhão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
- Bispo Rodrigues, ex-deputado do PL, atual PR. Condenado a 6 anos e 3 meses (regime semiaberto) e multa de R$ 696 mil por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
- Vinícius Samarane, ex-diretor do Banco Rural. Condenado a 8 anos, 9 meses e 10 dias (regime fechado) e multa de R$ 598 mil por lavagem de dinheiro e gestão fraudulenta.

Barbosa deve expedir novos mandados de prisão nesta segunda Segundo o Bom Dia Brasil, mais sete réus do mensalão podem ser presos. Réus presos no fim de semana aguardam definição do regime de prisão.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, deve expedir nesta segunda-feira (18) os mandados de prisão para mais sete condenados no julgamento do mensalão e pedir ainda que as penas alternativas de outros três réus sejam executadas, segundo informações do Bom Dia Brasil. Barbosa expediu na última sexta (15) mandados de prisão para 12 condenados, entre eles José Dirceu, José Genoino e Marcos Valério, que já estão presos.
O STF condenou 25 réus do mensalão (veja abaixo a situação de cada um deles). Doze já tiveram mandados de prisão expedidos, sendo que 11 deles estão presos e um – Henrique Pizzolato – fugiu para a Itália e é considerado foragido. Com os sete que podem ter a prisão ordenada nesta segunda e os três que cumprirão penas alternativas, sobram ainda outros três condenados, que não podem ser presos ainda porque têm direito a recursos em todos os crimes pelos quais foram condenados.
Também nesta segunda o juiz da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, Ademar de Vasconcelos, deve determinar qual regime de prisão cada um dos presos do mensalão que está na Papuda deve cumprir. Aqueles que o juiz entender que devem cumprir o semiaberto, ficarão no Centro de Internação e Reeducação da Papuda. Os que ficarem no fechado, serão levados para uma outra ala do presídio. As defesas podem pedir a transferência dos presos para presídios próximos às cidades onde vivem. A decisão cabe também ao juiz.
Confira a situação dos 25 condenados do mensalão:
selo1_mensalão (Foto: Editoria de Arte/G1)
Valdemar Costa Neto (PR-SP), deputado
- Pena: 7 anos e 10 meses (regime semiaberto) e multa de R$ 1,08 milhão
- Crimes: corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Pedro Henry (PP-MT), deputado
- Pena: 7 anos e 2 meses e multa de R$ 932 mil
- Crimes: corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Roberto Jefferson (PTB-RJ), delator do esquema
- Pena: 7 anos e 14 dias e multa de R$ 720,8 mil
- Crimes: corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Rogério Tolentino, advogado
- Pena: 6 anos e 2 meses e multa de R$ 494 mil
- Crimes: corrupção ativa e lavagem de dinheiro

Pedro Corrêa, ex-deputado do PP
- Pena: 7 anos e 2 meses e multa de R$ 1,13 milhão
- Crimes: corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Bispo Rodrigues, ex-deputado do PL, atual PR
- Pena: 6 anos e 3 meses (regime semiaberto) e multa de R$ 696 mil
- Crimes: corrupção passiva e lavagem de dinheiro (apresentou embargos infringentes em todos os crimes)

Vinícius Samarane, ex-diretor do Banco Rural (apontado como operador do esquema)
- Pena: 8 anos, 9 meses e 10 dias (regime fechado) e multa de R$ 598 mil
- Crimes: lavagem de dinheiro e gestão fraudulenta (apresentou embargos infringentes em todos os crimes)

selo2_mensalão (Foto: Editoria de Arte/G1)
Emerson Palmieri, ex-tesoureiro informal do PTB
- Pena: restritiva de direitos e multa R$ 247 mil
- Crime: lavagem de dinheiro

Enivaldo Quadrado, ex-dono da corretora Bônus-Banval
- Pena: restritiva de direitos e multa de R$ 28,6 mil
- Crime: lavagem de dinheiro

José Borba, ex-deputado do PMDB
- Pena: restritiva de direitos e multa de R$ 360 mil
- Crime: corrupção passiva

selo3_mensalão (Foto: Editoria de Arte/G1)
João Paulo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados
- Pena: 9 anos e 4 meses
- Crime: corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato

João Cláudio Genu, ex-assessor parlamentar do PP
- Pena: 4 anos
- Crime: corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Breno Fischberg, doleiro
- Pena: 3 anos e 6 meses
- Crime: lavagem de dinheiro

selo4_mensalão (Foto: Editoria de Arte/G1)
José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil
- Pena total: 10 anos e 10 meses
- Crimes: formação de quadrilha (2 anos e 11 meses) e corrupção ativa (7 anos e 11 meses)
- Situação: ingressou com embargos infringentes para questionar a condenação pelo crime de formação de quadrilha. Se excluído esse crime, a pena diminui para 7 anos e 11 meses. Enquanto o recurso não for julgado, cumpre a pena em regime semiaberto.

José Genoino, deputado federal licenciado (PT-SP)
- Pena total: 6 anos e 11 meses
- Crimes: formação de quadrilha (2 anos e 3 meses) e corrupção ativa (4 anos e 8 meses)
- Situação: a pena original já permite o cumprimento da prisão em regime semiaberto. Mas tem embargos infringentes para serem julgados em relação ao crime de formação de quadrilha. Se o recurso for aceito, a pena diminui para 4 anos e 8 meses.

Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT
- Pena total: 8 anos e 11 meses
- Crimes: formação de quadrilha (2 anos e 3 meses) e corrupção ativa (6 anos e 8 meses)
- Situação: questionou por meio de embargos infringentes a condenação por formação de quadrilha. Excluído esse crime, a pena diminui para 6 anos e 8 meses, e o regime de prisão passa de fechado para semiaberto.

Marcos Valério, apontado como "operador" do esquema do mensalão
- Pena total: 40 anos, 4 meses e 6 dias
- Crimes: formação de quadrilha (2 anos e 11 meses), corrupção ativa (15 anos, 1 mês e 10 dias), peculato (10 anos, 3 meses e 6 dias), lavagem de dinheiro (6 anos, 2 meses e 20 dias) e evasão de divisas (5 anos e 10 meses)
- Situação: cumprimento da pena em regime fechado. Ingressou com embargos infringentes em relação ao crime de formação de quadrilha. Excluído esse crime, a pena diminuirá para 37 anos e 5 meses e 6 dias.

José Roberto Salgado, ex-dirigente do Banco Rural
- Pena total: 16 anos e 8 meses
- Crimes: formação de quadrilha (2 anos e 3 meses), lavagem de dinheiro (5 anos e 10 meses), gestão fraudulenta (4 anos) e evasão de divisas (4 anos e 7 meses)
- Situação: apresentou embargos infringentes para questionar todas as condenações, mas mesmo assim teve mandado de prisão emitido. Se começar a cumprir pena por todas as condenações, vai ficar no regime fechado.

Kátia Rabello, ex-presidente do Banco Rural
- Pena total: 16 anos e 8 meses
- Crimes: formação de quadrilha (2 anos e 3 meses), lavagem de dinheiro (5 anos e 10 meses), gestão fraudulenta (4 anos) e evasão de divisas (4 anos e 7 meses)
- Situação: cumprimento de pena em regime fechado. Ingressou com embargos infringentes para questionar a condenação por crime de formação de quadrilha. Excluído esse crime, a pena diminui para 14 anos e 5 meses.

Cristiano Paz, ex-sócio de Marcos Valério
- Pena total: 25 anos, 11 meses e 20 dias
- Crimes: formação de quadrilha (2 anos e 3 meses), corrupção ativa (11 anos), peculato (6 anos, 10 meses e 20 dias) e lavagem de dinheiro (5 anos e 10 meses)
-  Situação: ingressou com embargos infringentes para questionar a condenação por formação de quadrilha, mas mesmo se obtiver êxito o cumprimento da pena será em regime fechado.

Ramon Hollerbach, ex-sócio de Marcos Valério
- Pena total: 29 anos, 7 meses e 20 dias
- Crimes: formação de quadrilha (2 anos e 3 meses), corrupção ativa (11 anos), peculato (6 anos, 10 meses e 20 dias), lavagem de dinheiro (5 anos e 10 meses) e evasão de divisas (3 anos e 8 meses)
- Situação: apresentou embargos infringentes para  os crimes, mas mesmo assim teve mandado de prisão emitido. Se for cumprir pena por todas as condenações, vai ficar no  regime fechado.

Simone Vasconcelos, ex-funcionária de Marcos Valério
- Pena total: 12 anos, 7 meses e 20 dias
- Crimes: formação de quadrilha (1 ano e 8 meses; pena prescrita), corrupção ativa (4 anos e 2 meses), lavagem de dinheiro (5 anos) e evasão de divisas (3 anos, 5 meses e 20 dias)
- Situação: apresentou embargos infringentes para questionar as condenações por lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Excluídos esses crimes, a pena diminuiria para 4 anos e 2 meses, e o regime de prisão passaria para semiaberto.

Romeu Queiroz, ex-deputado pelo PTB
- Pena total: 6 anos e 6 meses
- Crimes: corrupção passiva (2 anos e 6 meses) e lavagem de dinheiro (4 anos)
- Situação: cumprimento de pena em regime semiaberto. Não apresentou embargos infringentes.

Jacinto Lamas, ex-tesoureiro do extinto PL (atual PR)
- Pena total: 5 anos
- Crimes: corrupção passiva (1 ano e 3 meses; pena prescrita) e lavagem de dinheiro (5 anos)
- Situação: cumprimento de pena em regime semiaberto. Não apresentou embargos infringentes.

selo5_mensalão (Foto: Editoria de Arte/G1)
Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil
- Pena total: 12 anos e 7 meses
- Crimes: formação de quadrilha (3 anos e 9 meses), peculato (5 anos e 10 meses) e lavagem de dinheiro (3 anos)
- Situação: cumprimento de pena em regime fechado. Não tem embargos infringentes pendentes.

Britânica faz cirurgia no abdômen e fica chocada ao acordar com 'pênis' Helena Barret ficou com excesso de pele em cima do osso pubiano. Amigos chegaram a perguntar se cirurgia havia sido de mudança de sexo.

Após perder mais de 60 kg depois de realizar uma cirurgia de redução de estômago, a britânica Helena Barret, de 38 anos, ficou chocada ao descobrir que uma sobra de pele entre suas pernas parecia um pênis, fazendo seus amigos pensarem que a mulher havia passado por uma cirurgia de mudança de sexo.
Helena Barret ficou com sobra de pele acima do osso pubiano, o que dava a impressão de que a britânica tinha um pênis (Foto: Caters News)Helena Barret ficou com sobra de pele acima do osso pubiano, o que dava a impressão de que a britânica tinha um pênis 
Barret contou ao jornal “Daily Mail” que foi submetida a um procedimento cirúrgico para retirar o excesso de pele após a perda repentina de peso. Os médicos, no entanto, deixaram uma sobra de pele muito grande em seu abdômen que descia até o meio de suas pernas, dando a impressão de que a mulher tinha um órgão sexual masculino.
A britânica, que mora na cidade de Chesham, chegou a dizer que a pele podia ser vista por cima da calça, o que fez com que amigos e conhecidos até perguntassem se elahavia mudado de sexo. “Fiquei horrorizada, havia um pedaço de pele da minha barriga em cima do meu osso pubiano. Eu parecia um homem”, afirmou a britânica.
Diante da situação, a britânica precisou procurar outro profissional para realizar uma terceira cirurgia, que finalmente corrigiu o problema e deixou a o abdômen de Barret com uma aparência normal.
Em nota, o hospital pediu desculpas pelo fato de que Helena não ficou satisfeita com o resultado do procedimento, mas fez questão de salientar que a paciente foi alertada de que não estava passando por uma abdominoplastia, “cujo objetivo é melhorar a aparência estética do abdômen”.
Com o resultado positivo da cirurgia, Barret afirmou que recuperou a confiança e, ao marcar um encontro com um antigo amigo, pouco tempo depois se casou com Tim Barrett, com quem teve a primeira filha.

Chega de bancar corruptos

Se o nosso Brasil fosse um país democrático o voto não seria obrigatório. E a melhor maneira de gritar o "gigante acordou" seria se nenhum de nós fôssemos as urnas. Pq quem manda e paga as dívidas do país somos nós e não os políticos, eles só gozam da nossa burrice em reelege-los.


Após receber visita da polícia, Justin Bieber compara festa a “O Grande Gatsby” Cantor afirmou que a celebração foi “selvagem”

FAMOSIDADES

 Justin Bieber foi acusado de “perturbar a paz” após uma grande festa que deu em sua mansão em Los Angeles, nos Estados Unidos. No entanto, o cantor mostrou que não se arrependeu da comemoração, mesmo após ter recebido a visita da polícia três vezes.
“Você não deveria ter perdido. Foi selvagem! Selvagem! No maior estilo ‘O Grande Gatsby’”, falou fazendo referência ao livro homônimo de F. Scott Fitzgerald, que ganhou uma versão cinematográfica com Leonardo DiCaprio no elenco neste ano. O filme narra a história de um ricaço e sua ambição.
Um dos vizinhos de Bieber não gostou nada do barulho da comemoração e chamou a polícia. Após os oficiais conversarem com o cantor, o homem entrou com queixa por perturbação da paz e o caso será encaminhado ao promotor de Justiça. 

Alexandre Borges afirma que é difícil fugir de triângulo amoroso em novelas Ator comentou sobre seu papel em “Além do Horizonte”

FAMOSIDADES

Após viver o polígamo Cadinho em “Avenida Brasil”, Alexandre Borges vive o Thomaz na novela “Além do Horizonte”, que está dividido entre a esposa, Inês (Maria Luiza Mendonça), e sua antiga paixão, Heloísa (Flávia Alessandra).
“Novela tem essa coisa de triângulo amoroso, é difícil fugir disso. Geralmente tem o cara dividido ou a mulher que gosta de um, mas namora o outro”, ponderou em entrevista ao jornal “Folha de S. Paulo”.
O ator ainda apontou a diferença entre os personagens: "O Thomaz é bem diferente do Cadinho, que tinha aquele amor incondicional por três mulheres. Esse é um cara dividido entre um casamento de 25 anos e um amor antigo. O casamento dele está acabando e ele vai se apaixonando de novo pela Heloísa, de forma muito respeitosa".
Casado com Júlia Lemmertz há 20 anos, ele contou como funciona a nova rotina do casal. Enquanto ele grava a novela das 19h, a esposa se prepara para viver a protagonista de “Em Família”, próxima trama das 21h da Globo.
"A Júlia está nesse processo de preparação e a gente aproveitou bastante esse ano, viajamos com o Miguel para Portugal. Ela está muito animada com a Helena, é uma grande personagem e tem esse aspecto de ter sido a mãe dela a primeira Helena", comentou.

Quadro clínico de Claudio Marzo evolui e ator deixa o CTI Artista está se alimentando normalmente

FAMOSIDADES

Claudio Marzo deixou o Centro de Tratamento Intensivo (CTI) da Clínica São Vicente, na Gávea, no último domingo (17).
O ator reagiu bem ao tratamento para controlar a diverticulite (inflamação no intestino grosso) e apresentou melhora no quadro de hemorragia.
Segundo o último boletim médico, Marzo está se alimentando bem e não tem febre.
O veterano das telinhas deu entrada na clínica no dia 6 de novembro. Esta é a terceira vez que ele é internado em menos de dois meses. Em setembro, o artista foi levado ao hospital por insuficiência respiratória e pneumonia. No mês seguinte, retornou ao local por conta de uma hemorragia digestiva.

"Medida Certa": Fabio Porchat machuca o pé e coloca liderança da disputa em risco Dupla do humorista com Preta Gil, entretanto, continua na liderança

FAMOSIDADES

A dupla Preta Gil e Fabio Porchat está levando a melhor na competição do quadro "Medida Certa", do "Fantástico". Contudo, corre o risco de se prejudicar nas próximas etapas da disputa.
Isso porque o comediante machucou o pé direito e mostrou, no programa do último domingo (17), que está com a perna imobilizada. Aos colegas e ao preparador físico, Márcio Atalla, Porchat explicou: "Pisei na raiz de uma árvore".
Antes, os artistas puderam extravasar toda a tensão que sentiram nas últimas semanas por conta da competição. O quarteto, também formado por Gaby Amarantos e César Menotti, participou de uma luta comandada pelo campeão de judô Flávio Canto.
Quem vencesse o circuito de provas da modalidade garantiria os dois pontos para a dupla nesta semana. Os vencedores da vez foram César e Gaby.
Fita métrica
Apesar de ganhar na prova de condicionamento físico, a dupla de cantores não se deu tão bem na medida da cintura.
Menotti perdeu 2cm, enquanto Gaby manteve a medida da semana anterior.
Já Porchat eliminou mais 2cm e Preta perdeu 1cm. Na somatória, ambos acabaram levando o ponto da dupla.
Com isso, mais uma vez o ator e a cantora permanecem na liderança, com 34 pontos. Já César e Gaby continuam na retaguarda com 28 pontos.

Brasileira que filmou Justin Bieber na cama chora ao ser provocada em entrevista: 'Eu não sou má'

"Só posaria nua por uns bons milhões", revela Luciana Gimenez - 1 (© Divulgação)

Tati Neves parece não estar aguentando a pressão de ficar sob os holofotes. Ela, que se tornou conhecida após publicar na rede um vídeo mostrando Justin Bieber dormindo, foi às lágrimas em entrevista ao programa 'Pânico na Band' do último domingo (17)
Depois de ser bombardeada com perguntas indiscretas feitas pelo personagem 'Poderoso', interpretado por Eduardo Sterblitch, a morena caiu no choro e disse não ser uma pessoa má. Ela, inclusive, afirmou que gosta de fazer caridade.
'Vocês podem me zoar, fazer o que quiser, que eu vou fazer a minha parte. Existem países com pessoas que não têm nem o que comer. Eu vi crianças comendo capim. Como que as pessoas não veem isso? E para quem está com raiva de mim, por favor, não fique. Eu não sou má', garantiu, aos prantos.
Sobre a tão polêmica noite ao lado do astro internacional, Tati disse que foi um momento memorável. 'Foi uma noite bem legal. Uma noite inesquecível. Me diverti, dancei.'
A morena ainda reiterou que teve relações sexuais com o artista e continuou: 'Rolou beijo, abraço, carinho, banhozinho'.
Quando questionada acerca do valor pago por Justin para ter uma noite de amor com ela - dando a entender que ela seria garota de programa -, Tati demonstrou não ter gostado muito e disparou a Sterblitch: 'Não estou te entendendo, lindo. Posso te processar!'.
O humorista, por sua vez, continuou provocando a moça que, ao invés de responder às perguntas, dizia apenas que não estava acostumada com este tipo de questionamento.
'Você não está acostumada com nada, né? Você é uma criança?', indagou ele. Ao que ela rebateu: 'Eu sou uma criança, minha alma é de criança'.
Sem se deixar intimidar, o comediante, entretanto, provocou: 'Criança que fica de biquíni e faz sexo com Justin Bieber sem conhecê-lo'. 'E daí? Eu não falei que eu sou santa', se defendeu Tati Neves.

Audiência pública é marcada para esta quinta-feira

O Poder Legislativo de Caraguatatuba realiza nesta quinta-feira, 14 de novembro, a primeira audiência pública que visa explanar e debater dois projetos do Poder Executivo.
 Com início marcado para às 16h30, a primeira proposta a ser discutida é em relação ao projeto de lei 078/13, que estima a receita e fixa as despesas do município de Caraguatatuba para o exercício de 2014.
 Em seguida será debatido o projeto de lei complementar nº 008/13, que atualiza a contribuição de iluminação pública prevista no artigo 149-A da Constituição Federal.
 Na próxima semana, no dia 21 de novembro, quinta-feira, no mesmo horário, ocorrerá a segunda audiência pública que tratará dos mesmos projetos.
 José Mendes de Souza Neto (Neto Bota), Presidente da Câmara, frisou a importância da participação dos munícipes. “A audiência pública acontece para que assuntos de grande interesse da população tenha uma maior discussão para ter o resultado final satisfatório por parte da sociedade. É muito importante ter os munícipes presentes nesses dois encontros”, disse.

Artigo - A corrida do ouro e a lasca do filé :: Luiz Valle Presidente da Cavalo Marinho — criação e beneficiamento de frutos do mar

Jesus não multiplicou o boi, o frango e o porco. Multiplicou o peixe. É com essa frase que o Ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella, comemora duas boas notícias para o setor produtivo do pescado no Brasil. A primeira delas foi anunciada por Victor Burns, gerente da área de relacionamento do BNDES com o governo: o ProAquicultura, programa recém- criado pelo banco, disponibilizou dotação orçamentária de RS 500 milhões para apoiar projetos de empresas brasileiras de cultivo de peixe nos próximos cinco anos.
A segunda boa notícia, apresentada por André Barbieri, diretor da Riviera Investimentos, foi a criação do primeiro Fundo de Investimentos em Participação (FIP), da ordem de R$ 200 milhões, destinados ao mesmo segmento e voltado para o mesmo objetivo. Na contramão da Bíblia e do restante do mundo, no Brasil primeiramente se investiu nos outros bichos.
Após a estruturação da cadeia produtiva de bovinos, aves e suínos é que o país voltou sua atenção para o potencial da produção de peixes e frutos do mar. Para as empresas tomadoras, o ProAquicultura terá custo anual equivalente à variação da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP).Projetos a partir de R$ 3 milhões poderão ser contratados sem intermediação de bancos particulares e haverá flexibilização dos 130% de garantia real normalmente exigidos pelo BNDES.
As microempresas e as empresas de pequeno porte estão isentas da taxa de intermediação financeira. Quando, entretanto, o assunto é Fundo de Investimento em Participação, sai de cena o “S” do BNDES (desenvolvimento Social) e toma assento o “$” dos investidores institucionais, focados nas empresas do peixe que têm gestão transparente, alto potencial de crescimento, grande rentabilidade e solidez.
Ao estimular o BNDES e os fundos de investimento a empregar recursos na aquicultura o governo tem dado mostras de que realmente acredita ser possível ampliar a produção nacional de pescado cultivado, das 500 mil toneladas atuais para sonhados 20 milhões de toneladas por ano. Objetivo que poderá ser alcançado, segundo informação do governo, com o uso de apenas 0,5% das águas da União.
A presidente Dilma inaugura agora mais dois reservatórios nos quais serão implantados parques aquícolas para novos cultivos: Serra da Mesa e Cana Brava, em Goiás, próximos ao Distrito Federal. A notícia incita e excita investidores internacionais oriundos da cambaleante economia europeia, que recorrem ao Ministério da Pesca e Aquicultura ávidos por oportunidade de produzir aqui. E faz lembrar a corrida do ouro, nos Estados Unidos.
Quando James W. Marshall, em 1848, deixou escapar a notícia de que encontrara pedaços de certo mineral amarelo e brilhante em uma calha de moinho, viu cair sobre si uma multidão de 300 mil pessoas, vindas de toda parte. A Califórnia se transformava em um inferno! O resto, a História conta: Marshall teve suas terras invadidas e seu rico ouro usurpado.
Morreu reivindicando ao estado, em vão, indenização pelas terras perdidas. Nós, produtores que cultivamos peixes no Brasil desde o tempo em que a piscicultura era tratada como atividade econômica irrelevante, não temos vocação para Marshall. Os R$700milhões de investimento no nosso setor são muito bem-vindos. Quem já roeu tanto osso — digo, tanta espinha — tem direito de provar a lasca do filé.

Presidente Nacional do PRB, Marcos Pereira foi homenageado pelo Vereador Jorge Braz (PMDB) com o conjunto de medalhas Pedro Ernesto na Câmara Municipal do Rio de Janeiro.‏

O Presidente Nacional do PRB, Marcos Pereira foi homenageado no dia 12/11/2013, pelo Vereador Jorge Braz (PMDB) com a medalha Pedro Ernesto na Câmara Municipal do Rio de Janeiro.  Na mesa diretora,  além do homenageado, o Vereador João Mendes de Jesus, a Deputada Rosângela Gomes, o Senador Eduardo Lopes, a Vereadora Tânia Bastos, o presidente da Record Rio, Reinaldo Gilli e presidindo a mesa, o Vereador Jorge Braz.


Marcos Pereira nasceu no interior do Espírito Santo; Foi  adotado por uma família pobre e até hoje não conhece seus pais biológicos. Acredita que o destino de cada um de nós, somos nós que fazemos.  Que como milhares de brasileiros e de crianças, tendo nascido no interior de um estado pequeno, família pobre, adotado, com todas as dificuldades da vida foi um adolescente com muitos problemas. Não foram poucas  as vezes que pensou em tirar a própria vida.  A grande mudança foi no final de sua  adolescência, aos 17 anos, quando conheceu a IURD num núcleo, no quintal da casa de sua futura esposa, Margareth Pereira.  Disse que é um enorme privilégio poder  compartilhar seu testemunho. Que recentemente substituiu todos os títulos pessoais nas suas redes sociais por  Servo. Assim deve ser o homem publico. Todos que tem a origem cristã.  Disse que todos os homens públicos cristãos devem ser servos. Não é difícil, pois todos entregaram suas vidas no altar e depois foram chamados para a política. O Brasil precisa de servos, de pessoas que sirvam ao povo, de pessoas assim nas fileiras do PRB, pessoas que vão ajudar a trazer dignidade para os mais necessitados. Que conforme afirmou o Senador Eduardo Lopes, no PRB os interesses são liberalizados, primeiro o interesse publico, segundo o partidário e terceiro os pessoais. E que esses interesses têm de ser legítimos e lícitos.

“Temos certeza que coisas muito melhores e mais humanas poderão  acontecer para esse povo sofrido do nosso Brasil. Tenho muita  disposição para fazer do nosso PRB,  o PARTIDO PROTAGONISTA  da política Brasileira”, concluiu  Marcos Pereira.

Delegacia Virtual do Estado de São Paulo

Delegacia Virtual do Estado do Rio de Janeiro