ABI - Associação Brasileira de Imprensa

ABI - Associação Brasileira de Imprensa
Liberdade de Expressão e Ética

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Bloco não autorizado desfila nas ruas do Rio e atrapalha trânsito


Mesmo tendo quase 500 blocos autorizados pela Prefeitura do Rio a desfilarem, outras bandas carnavalescas saíram pelas ruas neste domingo, driblando o calendário oficial. Foi o caso do Cordão do Boi Tolo, que saiu da Praça XV, no centro, e seguiu em direção ao Museu de Arte Moderna.
Ao longo do percurso, o bloco passou por diversos monumentos do centro da cidade, como o Palácio Capanema, projetado pelos arquitetos Lúcio Costa e Oscar Niemeyer e que já abrigou o Ministério da Educação.
A procissão de foliões chegou a interromper o serviço de manutenção de um funcionário da Light, que trocava fios de alta tensão em um bueiro na avenida Calógeras. Não havia equipamentos de isolamento para quem passavam pelo local.
Como o bloco não estava previsto na agenda oficial, houve também confusão no trânsito na avenida Antônio Carlos, que estava aberta para circulação de veículos. O congestionamento chegou próximo à Perimetral, uma das principais vias de acesso à zona sul que dá acesso ao Aterro do Flamengo. Agentes da CET-Rio foram pegos de surpresa com o nó no trânsito.
Chegando ao final do trajeto, o cordão do Boi Tolo parou no pilotis do MAM. A polícia militar foi chamada pela direção do museu, que temia a depredação de estruturas preparadas para receber bailes ao longo de todo o carnaval. Houve um princípio de vaias para os militares.

Teste rápido da prefeitura identifica foliões com DSTs em Salvador


Seis pessoas souberam que estão com Aids em pleno Carnaval de Salvador. Outras 20 descobriram que têm sífilis, enquanto quatro estão com hepatite C.
Os dados são resultado de testes promovidos pela prefeitura da cidade desde quinta-feira (7), primeiro dia da folia baiana. Ao todo, foram realizados 1.512 chamados testes rápidos.
A secretaria municipal de Saúde diz que todos os foliões recebem apoio e orientação profissional e são encaminhados para uma área de serviços especializados da pasta.
Segundo a prefeitura, o objetivo do "Fique Sabendo" é incentivar o diagnóstico precoce dessas doenças, facilitando o tratamento, além de reduzir a contaminação.
Cada um dos três circuitos oficiais do Carnaval conta com um posto de saúde que tem realizado os testes.
Dados do Ministério da Saúde estimam que há cerca de 530 mil pessoas com Aids no Brasil, mas 135 mil não sabem que estão contaminadas com o HIV.
Em Salvador, foram registrados 7.689 casos de 1984 até abril de 2012.

Elevador Lacerda trava com 15 a bordo em Salvador


Uma das quatro cabines do Elevador Lacerda, um dos principais cartões postais de Salvador, travou por volta das 19h30 (de Brasília) deste domingo enquanto fazia o transporte de 15 pessoas entre as chamadas Cidades Alta e Baixa da capital baiana.
A "quebra" durou menos de dez minutos e não houve outros incidentes, além do susto de quem descia da praça da Sé, onde fica a sede da prefeitura e um dos acessos ao Pelourinho, à região do Mercado Modelo e do porto de Salvador, às margens da baía de Todos os Santos.
O elevador, inaugurado em 1873 e com 63 metros de altura, é um dos meios mais usados pela população para fazer o percurso.
Próximo aos circuitos oficiais do Carnaval, ele vem funcionando gratuitamente nos dias de folia baiana.
Segundo Fabrizzio Muller, chefe da Transalvador (Superintendência de Transporte e Trânsito de Salvador), o problema ocorreu porque um folião supostamente embriagado danificou uma das portas.
Muller ainda afirmou que a previsão para o elevador voltar a funcionar era de uma hora e meia, por volta das 21h (de Brasília).
Há menos de dez dias, a prefeitura reinaugurou duas das cabines, reformadas ao custo de R$ 1,8 milhão, sendo R$ 660 mil pagos por uma rede de supermercado.
O incidente deste domingo ocorreu numa das duas cabines antigas.

Após dois desfiles, modelo perde os cabelos para tirar fantasia


Há passistas que dizem "dar o sangue" pelas escolas de samba do coração, aguentando machucados causados por fantasias ou bolhas e calos nos pés. Outras "dão" o cabelo.
A modelo Jéssica Lopes, que ficou conhecida como a "peladona de Congonhas", passou mal após desfilar como destaque na escola Império de Casa Verde, que encerrou o segundo dia do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo, na manhã deste domingo (10).
Após os portões da passarela se fecharem para a escola, já por volta das 7h20, a modelo voltava pela pista quando começou a sentir tontura. Ela se apoiou nas grandes da lateral do sambódromo e teve dificuldade para retirar sua fantasia, que tinha um pesado adereço de cabeça.
Dois bombeiros, um segurança e um integrante da escola precisaram usar tesouras para cortar mechas do cabelo da loira, que enroscaram na fantasia.
Depois do susto, ela disse que estava tudo bem e foi embora. Em São Paulo, ela também desfilou pela escola Nenê de Vila Matilde, que abriu os desfiles do segundo dia.
A modelo ganhou o apelido quando foi flagrada por fotógrafos trocando de roupa no aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo.

A modelo Jéssica Lopes perdeu parte dos cabelos para tirar a fantasia; jovem passou mal após desfile
A modelo Jéssica Lopes perdeu parte dos cabelos para tirar a fantasia; jovem passou mal após desfile

Aconteceu


Após inúmeras covardias feitas por este cidadão, agora o castigo chegou, no dia 1 de fevereiro saiu no DO à exoneração do prof. FABIO DA SILVA E SUA ESPOSA JULIA da direção da ETEC de Caraguatatuba, cabendo a ele retornar a sala de aula. 
E  para piorar a situação do prof. FABIO DA SILVA ele esta respondendo inúmeros processos... 
É gente o cara fez tanta maldade com dezenas de pessoas por onde passou que papai do céu resolveu aplicar um castiguinho para ele aprender o que é ser gente.

Delegacia Virtual do Estado de São Paulo

Delegacia Virtual do Estado do Rio de Janeiro