ABI - Associação Brasileira de Imprensa

ABI - Associação Brasileira de Imprensa
Liberdade de Expressão e Ética

terça-feira, 27 de maio de 2014

ATENÇÃO POPULAÇÃO CARIOCA - O GOVERNADOR PEZÃO MENTE!‏

ATENÇÃO POPULAÇÃO CARIOCA - O GOVERNADOR PEZÃO MENTE!

O salário médio de R$ 6.887 de um agente policial civil anunciado pelo Governo do RJ, através do site da Seplag, é uma distorção, jogada de marketing no mínimo vergonhosa! Sofremos com um auxílio alimentação de 8,80/dia que mal dá para um café da manhã. 
Sofremos com um auxílio transporte de 100,00/mês que não chega nem na metade do mês. 
Sofremos com atrasos no pagamento TODOS OS MESES de nossas horas extras (RAS). 
Sof
remos com nossas promoções atrasadas.
Sofremos com corte de gratificações, reduzindo nosso salário, quando nossos agentes ficam doentes ou quando nossas policiais ficam grávidas.
Sofremos com a falta de um hospital próprio, que a PMERJ possui, e nossos policiais baleados precisam de doação de outros policiais civis quando internados.
salário inicial líquido de um agente policial civil, de nível superior, no grande Estado do Rio de Janeiro, é de apenas R$ 3.300,00 !! 
Um policial civil de nível superior, ao se aposentar, recebe um salário menor que um oficial da Polícia Militar ou de um agente do SEAP (antigo Desipe), ambos exigem nível médio para ingresso na carreira.
Sofremos com o maior abismo salarial do Brasil entre um Delegado e seu Agente de Polícia!!

CHEGA!!! CHEGA!!!

HOJE, 22/05/2014, DEMOS O ÚLTIMO VOTO DE CONFIANÇA AO GOVERNO DO RIO DE JANEIRO!! VAMOS ESPERAR ATÉ O DIA 12 DE JUNHO PARA O ACORDO SER CUMPRIDO!
Conforme pediu o Secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, durante a reunião de hoje, 22/05, no Palácio Guanabara, os Policiais Civis do Rio de Janeiro PRECISAM CONTINUAR MOBILIZADOS!!

GOVERNADOR, PARE DE MENTIR!! 
TEMOS UM ACORDO, MAS NÃO PUBLIQUE MENTIRAS!
CUMPRA O ACORDO FEITO E PARE DE MENTIR!!

Eduardo Lopes entrega cartas de crédito do Plano Safra em Minas Gerais




F
oi apresentado no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, na última sexta-feira, durante debate público da Comissão de Política Agropecuária e Agroindustrial o Plano Safra da Pesca e Aquicultura. Na reunião, o ministro da Pesca e Aquicultura, Eduardo Lopes, fez a entrega de quatro cartas de crédito às colônias de pescadores das cidades de Miradouro, Morada Nova de Minas, Alfenas e Três Marias, num valor total de quase R$ 3 milhões. Também foram entregues dez carteiras de registro de pescador profissional, simbolizando a entrega de 2.400 que serão feitas em diversos municípios mineiros por meio das colônias de pescadores de cada cidade.
O ministro ressaltou que, em 2013, chegaram aos pescadores e aquicultores de Minas Gerais cerca de R$ 50 milhões, advindos do Governo Federal. “Com o crédito, o pescador poderá comprar tanque-rede, aparelhar seu parque de produção e trazer para a mesa dos consumidores bons peixes”.
Ele também afirmou seu compromisso de trabalhar pela liberação do acesso às águas públicas para a aquicultura. “Temos dados que nos garantem que apenas 0,5% de utilização das águas da União teriam potencial de 20 milhões de toneladas de produção de peixe. Isso poderia nos colocar em segundo lugar na produção mundial. Se o setor da pesca tivesse os mesmos investimentos da agricultura, estaríamos muito mais avançados. Minas tem um potencial extraordinário, muito aquém do que poderia ser”.
A superintendente federal da Pesca e Aquicultura em Minas Gerais do Ministério da Pesca e Aquicultura, Vanessa de Oliveira Gaudereto, destacou algumas conquistas dos pescadores do Estado, como, por exemplo, a Portaria 79/2014, que concedeu acesso facilitado dos pescadores artesanais a seus direitos como segurados especiais do INSS (aposentadoria por idade e invalidez, auxílio-doença e reclusão, pensão por morte, etc).
Atualmente, o pescador precisa apresentar apenas um atestado expedido por Colônia de Pescadores declarando sua embarcação como miúda. “Estamos sanando os problemas, mas precisamos avançar ainda. Queremos a licença ambiental para a instalação dos parques aquícolas, o que vai triplicar a produção peixeira do Estado, em Três Marias, Furnas e Ilha Solteira. E queremos triplicar também as atuais 500 vagas pelo Pronatec de cursos para pescadores”, comentou a superintendente.
Plano Safra - O Plano Safra da Pesca e Aquicultura é um programa do Governo Federal para estimular o desenvolvimento do setor por meio de linhas de crédito para o aumento de produção e a geração de emprego e renda. O Plano é destinado a todos os envolvidos nos processos de pesca, exploração, cultivo, conservação, processamento, transporte, comercialização e pesquisa dos recursos pesqueiros.
As linhas de crédito serão oferecidas a pequenos, médios e grandes pescadores e aquicultores, com benefícios exclusivos para cada tipo de produtor: familiares, cooperativas, pescadoras, jovens, marisqueiras.

Delegacia Virtual do Estado de São Paulo

Delegacia Virtual do Estado do Rio de Janeiro