A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Goleiro Bruno e mais quatro vão a júri popular no mês que vem em MG

Goleiro Bruno e mais quatro vão a júri popular no mês que vem em MG

O julgamento do ex-goleiro do Flamengo Bruno Fernandes, preso em 2010 sob a acusação matar a então amante, Eliza Samudio, foi marcado para o dia 19 de novembro, no Fórum de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O atleta e mais quatro acusados de envolvimento na morte de Eliza irão a júri popular nesta data, às 9h, dois anos e quatro meses depois do desaparecimento da jovem.
Além de Bruno, serão julgados no mês que vem Luiz Henrique Romão, o Macarrão (amigo e secretário de Bruno), Marcos Aparecido dos Santos, o Bola (ex-PM), Dayanne Souza (ex-mulher do goleiro) e Fernanda Castro (ex-namorada do goleiro).
Bruno e Macarrão são acusados de homicídio triplamente qualificado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver. Bola, de homicídio e ocultação de cadáver. Dayanne e Fernanda, de sequestro e cárcere privado.
Outros dois réus, Elenilson Vitor da Silva e Wemerson Marques de Souza, desmembrados do processo principal, irão a júri em outra data, ainda não marcada, segundo o TJ-MG. Flávio Caetano de Araújo, motorista de Bruno na época do crime, foi inocentado.
Bruno está preso na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem.

Após 30 anos, termina o casamento de Danny DeVito


Band define elenco de segunda temporada do Mulheres Ricas - 1 (© Divulgação)
Danny DeVito e Rhea Perlman anunciaram o fim do casamento de 30 anos.
A confirmação foi dada pelo representante do casal ao programa norte-americano “Entertainment Tonight', que não deu maiores detalhes sobre o motivo do fim da união.
Os ex-pombinhos se conheceram nos bastidores do filme “Taxi”, em 1978, e se casaram em 1982.

Fim de mas uma enquete com a seguinte pergunta, com mas de 2831 participantes>>>> Para você, qual a área de maior desafio para o próximo prefeito de Caraguatatuba?

Saúde
44%

Educação
12%

Saneamento
0%
Segurança
6%

Transporte
 12%

Turismo
 0%
Meio Ambiente
2%

Habitação
2%

Lixo
2%

todas as alternativas acima
 20%

O trabalho não pode parar!!!!

Parabéns Wenceslau Lelau pela brilhante vitoria... 

Agora vc esta vereador e com isso as suas responsabilidades 

aumentam ainda mas... 

Sorte, sabedoria, inteligencia e que Deus te proteja...

Estamos de volta e com tudo...


O consultor de negócios e políticas Guilherme Araújo, comunica aos amigos e seguidores que o Blog do Guilherme Araújo volta com força total e com muitas novidades e informações bombásticas...

Serra (PSDB) e Haddad (PT) disputam segundo turno em SP


José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT) irão disputar o segundo turno das eleições municipais na cidade de São Paulo. O candidato tucano ficou com 30,75 % dos votos (1.884.849), contra 28,98% de Haddad (1.776.317) e 21,60% de Celso Russomanno (PRB), que perdeu a liderança nas pesquisas na última semana. Gabriel Chalita (PMDB) ficou em quarto, com 13,60%. A apuração das urnas foi concluída às 22h09, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
A disputa foi uma das mais apertadas da história da cidade e seguia indefinida a um dia do pleito. No sábado, segundo levantamento do Ibope/TV Globo/ Estado, os três candidatos estavam rigorosamente empatados, com 26% das intenções de voto cada um.
Após ter certeza da vitória parcial, Serra se dirigiu ao comitê de campanha, no Edifício Joelma, centro da cidade, onde chegou às 20h40. Ao seu lado estavam o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o atual prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD).
Em seu primeiro discurso, o candidato fez agradecimentos e aproveitou para convencer eleitores que não o escolheram na primeira etapa. "Agradeço pelo acolhimento e agradeço pelo voto no primeiro turno. E aproveito para pedir a todos os paulistanos que não votaram em nós no primeiro turno por conta dos outros candidatos, que agora se detenham na hipótese de votar em mim no segundo turno pelo bem e pelo futuro de São Paulo".
Pela manhã, ao votar no Colégio Santa Cruz, na zona oeste, Serra antecipava a tônica da campanha na segunda fase das eleições, que têm nova votação no dia 28 de outubro. "Faremos uma campanha a favor de São Paulo, com propostas para uma cidade mais justa, amigável e acolhedora. Será uma campanha a favor do trabalho, do mérito, da honestidade e do esforço", declarou, ao lado do vice Alexandre Scheider e de Geraldo Alckmin.
Depois de ficar em terceiro lugar durante boa parte da corrida pela Prefeitura, Haddad falou das dificuldades do pleito na capital paulista. "Quero agradecer a todos os que estiveram comigo durante essa jornada. Foi uma jornada difícil. Nós saímos de 3% de intenções de votos e chegamos a 29% dos votos válidos, o que é uma trajetória significativa", disse ele.
O petista disse que recebeu dois telefonemas que o emocionaram particularmente: da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula, que trabalharam pela promoção de sua candidatura em São Paulo.
Celso Russomanno, derrotado depois de liderar as pesquisas com folga e perder terreno na reta final, se disse satisfeito com o resultado das eleições. "Fizemos mais de 1 milhão e 300 mil votos. É uma votação muito grande pra quem tinha muito pouco tempo de televisão nos tínhamos dois minuto só de televisão. Eu acho que nós somos vencedores. Nós estamos muito felizes com o resultado."

Líder da greve da Polícia Militar esta eleito


O líder da greve da Polícia Militar ocorrida em fevereiro na Bahia, o ex-policial Marco Prisco (PSDB) foi o quarto candidato mais votado na disputa por vagas na Câmara Municipal de Salvador e liderou a coligação PSDB-DEM nas eleições proporcionais na cidade, com 14.820 votos. "É uma resposta da população ao governo da Bahia", afirma o vereador eleito. "As pessoas querem alguém que discuta o sistema estabelecido, que questione o que é imposto."
Apesar do resultado, Prisco diz que esperava uma votação ainda mais expressiva. "Nossos principais eleitores foram os policiais militares e muitos foram transferidos para ajudar na segurança das eleições no interior - só de Salvador, foram enviados 2,4 mil", afirma. "A gente tinha potencial para ser o vereador mais votado (o primeiro, Carlos Muniz, do PTN, teve 16.959 votos), mas de qualquer forma foi uma vitória convincente." De acordo com ele, os gastos de campanha foram pouco mais de R$ 1 mil. "Foi só um pouco de material gráfico."
O ex-policial, expulso da corporação em 2002 - um ano depois de liderar a primeira greve da PM no Estado -, agora tem como meta tentar marcar uma reunião com o governador Jaques Wagner (PT). "Assim que assumir, vou enviar um ofício ao gabinete do governador para agendar um encontro para discutir a situação da PM no Estado", afirma. "Ele não me recebe como representante dos policiais, talvez me receba como parlamentar."
Prisco é um representante da renovação da Câmara de Salvador, que passou da metade das vagas. Dos 41 vereadores da atual gestão, 19 foram reeleitos. A eles, somam-se 24 novos legisladores - o número de vereadores foi aumentado para 43. Além de Prisco, tiveram destaque na votação os veteranos Waldir Pires (PT), de 82 anos, ex-governador baiano e ex-ministro, que foi o sexto mais votado, com 13.801 votos, e o atual vice-prefeito, o tributarista Edvaldo Brito (PTB), que ficou em décimo, com 11.966 votos.
Entre os maiores derrotados nas urnas, estão parlamentares que tentavam a sexta ou sétima eleição consecutiva para a Câmara. Nesse grupo estão o atual presidente da Casa, Pedro Godinho (PMDB), e Gilberto José (PDT), que cumprem o sexto mandato, e Sandoval Guimarães (PMDB), que está concluindo sua quinta passagem consecutiva pela Câmara.

Eleições e sujeira Eleitores encontram muita sujeira nas ruas de Caraguatatuba

Ruas cobertas por santinhos de candidatos no entorno da 

Escola Estadual no bairro do Ipiranga  em Caraguatatuba, 

Litoral Norte de São Paulo

Eleitores encontram muita sujeira nas ruas - 1 (© Daniel Teixeira AE)

Prefeito eleito pela idade fala em 'vitória divina'


O novo prefeito de Balsa Nova, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), Luiz da Costa (PMDB), 59, creditou a "Deus" a sua vitória nas eleições deste ano. Costa terminou a disputa empatado com Marcos Zanetti (PDT) com 3.869 votos e vai assumir o cargo por ser mais velho que Zanetti, que tem 41 anos. "Quando entramos em uma disputa esperamos pela vitória, mas o que aconteceu foi uma coisa divina", disse.
Ex-juiz de direito, Costa foi vereador e presidente da Câmara Municipal entre 1983 e 1991. Por causa de suas experiências anteriores, Costa lembra que será uma das poucas pessoas com atuação nos três poderes. "Já estive no Legislativo, atuei mais de 20 anos no Judiciário e agora vou assumir o Executivo. Vou usar essa experiência para a gestão. No Executivo nós precisamos pensar ainda mais nas ações ", conta.
Segundo ele, os momentos que antecederam o resultado das eleições foram marcados pela emoção. "Estava ciente de uma vitória, mas por uma margem de votos, não dessa maneira, mas se esse critério (de escolha pela idade) já era usado desde a Grécia antiga e veio para o mundo moderno, então o utilizamos", completou.
Costa quer aproveitar o tempo até a posse para aprimorar seu planejamento de governo. "Temos uma área de saúde muito difícil, que precisamos melhorar, assim como planejar a cidade para 2040, ela tem potencial e vamos pensar no futuro", afirmou.
Para Zanetti, a derrota pela idade ainda está sendo digerida. "É uma coisa que não dá para explicar ainda. A sensação de quem ganhou, mas não levou. É um sentimento muito difícil de explicar", disse.
Zanetti acredita que uma pesquisa divulgada na semana anterior à eleição tenha influenciado no resultado. "Creio que isso mudou a situação", lamentou.
O empate em eleições de Balsa Nova não é novidade. Em 2004 e em 2008 dois candidatos à Câmara de Vereadores terminaram empatados e os critérios de idade foram aplicados. "As disputas sempre são acirradas, sem violência, mas muito disputadas", disse Costa.

Lula programa volta aos palanques do ABC


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já programa sua volta à região do ABC, berço político do PT, para ajudar candidatos do partido que disputam a reeleição. A agenda de comícios e atividades deve ser definida nesta terça (09). As cidades prioritárias são Diadema, Mauá e Santo André, nas quais a disputa promete ser mais acirrada. Em Santo André, o PT vê chances de retornar ao poder com o candidato Carlos Grana, que chegou ao segundo turno com 42,85% dos votos, à frente do candidato do PTB, o atual prefeito Aidan Ravin, com 37,23%. A cidade esteve sob administração petista durante 12 anos.
Em Diadema, havia a expectativa de que o atual prefeito Mário Reali ganhasse no primeiro turno, mas ele teve pouco mais de 46% dos votos e terá de enfrentar Lauro Michels, do PV, que teve 41%. Em Mauá, o petista Donisete Braga tem páreo duro contra Vanessa Damo, do PMDB. Lula quer ir ainda a Campinas. Petistas creditam ao ex-presidente a chegada do candidato Ricardo Pochmann ao segundo turno contra o favorito Jonas Donizete, do PSB.
Em Guarulhos, faltou pouco para o prefeito petista Sebastião Almeida se reeleger no primeiro turno. Ele enfrentará o tucano Carlos Roberto. O segundo maior colégio eleitoral do Estado entra no roteiro de Lula se houver tempo, já que o ex-presidente terá uma agenda cheia em São Paulo, com o candidato petista Fernando Haddad. Lula reuniu-se com Haddad de manhã desta segunda para discutir a campanha de segundo turno, incluindo os apoios que o PT que formalizar. O ex-presidente colocou-se à disposição do candidato para comícios e agendas públicas.

Falcão: PT não teme debate sobre ética no 2º turno


Ao fazer um balanço do primeiro turno das eleições municipais, na tarde desta segunda, o presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão, disse não temer o embate sobre ética com os adversários, principalmente com o PSDB. Citando denúncias como a suposta compra de votos para a emenda da reeleição aprovada durante o mandato do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o dossiê Cayman e denúncias envolvendo privatizações no governo tucano, Falcão disse que o partido está preparado para esta discussão. "Há várias questões para debater no campo ético. Nós não tememos esse debate", afirmou o dirigente, durante entrevista coletiva na sede nacional do PT em São Paulo.
A reação do presidente do PT foi uma resposta às afirmações do adversário do candidato da sigla Fernando Haddad, em São Paulo, o tucano José Serra, que desde o domingo (07), quando foi anunciada sua ida ao segundo turno, invocou o mensalão para dizer que pretende fazer comparações de biografias, discutir ética e valores nesta nova etapa das eleições para a Prefeitura de São Paulo. Já em campanha pelas ruas da cidade, nesta segunda-feira, Serra acusou o PT de estar usando as eleições municipais para ''abafar'' o julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal.
Falcão rebateu as declarações de Serra sobre o uso do julgamento do mensalão no debate eleitoral. "Acho que (o debate sobre ética) é um campo desfavorável para o nosso adversário travar", disse. Falcão ressaltou que Fernando Haddad não tem denúncias "em seu prontuário". "Seria extremamente desfavorável para o nosso adversário fugir dos problemas da cidade pelos quais ele é responsável e querer travar um debate sobre ética, campo no qual ele fica devendo explicações."
Em entrevista coletiva na tarde de segunda, o dirigente disse que o PT está pronto para rebater qualquer ataque referente, inclusive, ao julgamento do mensalão. Para o cacique petista, o julgamento do mensalão ocorre porque o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu condições para que a Polícia Federal (PF) e a Procuradoria-Geral da República (PGR) fossem reaparelhadas. Com isso, a antiga figura "do engavetador-geral da República" deixou de existir. "Hoje não há engavetador, há um procurador que inclusive opina sobre o resultado das eleições livremente", disse.
Excelente
Para o PT, o resultado do primeiro turno das eleições municipais "foi excelente", uma vez que o partido cresceu 12% em todo o País em número de prefeituras conquistadas em relação ao pleito de 2008, chegando a um total de 624 prefeitos eleitos. Entre as vitórias mencionadas pelo dirigente, está a conquista da prefeitura de São José dos Campos, no Vale do Paraíba, reduto do governador Geraldo Alckmin (PSDB). "O projeto do PT foi consagrado neste primeiro turno", comemorou.
Otimista para o segundo turno, Falcão revelou que a tendência de alianças do PT em todo o País é com partidos da base aliada da presidente Dilma Rousseff. Ele destacou, ainda, que Dilma participará da campanha de Haddad em São Paulo, e que está apenas definindo sua agenda. "A tendência é ela participar de alguma maneira."
Falcão destacou também que o PT não pretende levar questões religiosas para o debate em São Paulo e que a aposta do partido é o programa de governo de Haddad, principalmente o Bilhete Único Mensal e os projetos para a área de saúde. Em sua avaliação, os altos índices de rejeição a Serra vão favorecer o candidato petista. "A população está cansada de oito anos de descaso", comentou.
Sobre a derrota do partido no Recife, Falcão reconheceu "os erros de encaminhamento" da sigla na capital pernambucana e culpou o racha no PT local. "Inegavelmente, onde o partido se dividiu o resultado foi desfavorável", observou. Segundo o dirigente, o pior resultado para o PT seria ver o candidato do PSDB, Daniel Coelho, chegar ao segundo turno. "De qualquer maneira a vitória foi de um aliado", afirmou, numa referência ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

Serra diz que PT quer usar eleição para abafar mensalão


O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra (PSDB), afirmou na tarde desta segunda-feira, 8, que o PT quer usar as eleições municipais para "abafar" a repercussão do julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF) - suposta compra de votos de parlamentares no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "O PT vai querer usar essa eleição para abafar a questão do mensalão. Isso é muito claro", afirmou o tucano, que disputa o segundo turno das eleições municipais paulistanas com o petista Fernando Haddad.
O candidato do PSDB disse ainda que o tema do mensalão deve fazer parte do segundo turno da campanha. "O mensalão está presente nos noticiários, no rádio, na televisão, no dia a dia e nos debates. Por que haveria de estar fora de uma campanha?", questionou. "De forma nenhuma", concluiu.
Em passeata realizada na Vila Formosa, na zona leste da capital paulista, o tucano visitou o comércio da região e cumprimentou eleitores. Questionado se a visita à zona leste fazia parte de alguma estratégia para angariar votos na região, Serra negou e justificou sua ida dizendo que almoçou na casa de uma tia que reside próximo. "É só porque era aniversário da minha tia que mora na Mooca, e aqui era mais perto. Não tem estratégia", explicou.
José Serra afirmou também que pretende fazer a campanha do segundo turno ressaltando o debate de ideias, e discutindo a biografia de cada candidato e o grupo ao qual ele está ligado, destacando que é preciso analisar o grupo que anda junto de um candidato.
Indecisos. Serra falou também que os cerca de 20% de eleitores que se abstiveram nesta eleição na capital devem estar no foco de atenção do PSDB neste segundo turno. "É muita gente, mais de 1,5 milhão de pessoas, sem contar os que votaram em outros candidatos", afirmou. Questionado sobre a atuação do PT na periferia, Serra minimizou, ironizando: "Eles (petistas) têm, muita saliva, constroem creches com saliva, unidades de saúde com saliva. Nós construímos com tijolo, cimento e recursos humanos."

'Vamos ouvir o partido', diz Temer sobre apoio a Haddad


O vice-presidente da República, Michel Temer, disse nesta segunda, 8, que o PMDB fará coligação no segundo turno com o PT nas cidades onde houver possibilidade de coligação. Entretanto, quando questionado se esse seria o caso de São Paulo - onde o petista Fernando Haddad disputa a prefeitura com o tucano José Serra e aguarda o apoio do peemedebista Gabriel Chalita -, Temer respondeu: "Vamos primeiro ouvir o partido".
"O PMDB teve um grande número de votos, juntamente com o PT, que teve um grande número de prefeituras e votos. Isso vai ser muito bom para 2014. Vamos tentar, onde há segundo turno, onde houver possibilidade de coligação PT-PMDB, fazer isso", disse Temer a jornalistas, depois de se reunir com a presidente Dilma Rousseff. Os dois fizeram um balanço positivo do resultado das urnas.
Sobre a disputa de São Paulo, Temer afirmou que se reunirá nesta próxima terça, 9, com o diretório estadual e municipal da sigla. Questionado se o apoio a Haddad não seria natural, Temer respondeu: "Não, vamos primeiro ouvir o partido". Sobre uma possível neutralidade, repetiu: "Não, vamos ouvir o partido".
Na avaliação do vice-presidente, a coligação PT-PMDB, que deu sustentação à vitória de Dilma em 2010, sai fortalecida com os números das eleições de domingo. Temer riu ao ser questionado se o crescimento do PSB poderia provocar ciúmes na relação PT-PMDB.

Aplicação da Ficha Limpa foi bem sucedida em São Paulo, diz procurador


André de Carvalho Ramos, procurador Regional Eleitoral de São Paulo, afirmou que a aplicação da Lei da Ficha limpa nessas eleições foi um trabalho árduo para o Tribunal Regional Eleitoral, mas bem sucedida. Em entrevista à TV Estadão, Ramos reforçou que as eleições municipais deste ano foram as primeiras em que a lei foi aplicada com aval do Superior Tribunal Federal. No Estado de São Paulo, a eleição teve quase 80 mil candidatos. Segundo Carvalho, apesar de haver a tradicional dúvida sobre se a lei "vai pegar", em São Paulo, 340 candidatos foram barrados.
No entanto, com a possibilidade de recurso, diversos candidatos impugnados deram continuidade a suas candidaturas. O procurador reforça que, nesse caso, o candidato sofrerá consequências, se não conseguir reverter sua situação na Justiça após o fim das eleições. Carvalho afirma que o ideal seria ter conseguido julgar todos o recursos, mas afirma que isso não ocorreu em virtude de gargalos, presentes em todo o sistema judiciário brasileiro. Contudo, Carvalho afirma que o TSE espera ter julgado todos os recursos até dezembro.
Cota de sexo
Sobre as cotas de sexo, que exigem que seja respeitada uma proporção de 30% para 70% de candidaturas de cada sexo. Segundo o procurador, o sexo sub-representado é o feminino; no entanto, nas eleições deste ano, tem-se, em São Paulo, pela primeira vez, 32% de candidaturas femininas, apesar de haver partidos que não atingiram este índice. Carvalho ressalta que "depois de alguns anos, os resultados são muito interessantes", se analisados os casos de países que já aplicaram este tipo de ação afirmativa. Ele pondera, no entanto, que existe a necessidade de verificar a efetividade de tais candidaturas, ou seja, se as candidatas apresentadas pelo partido compareceram realmente à campanha.
Quociente eleitoral
Carvalho explicou que o quociente eleitoral é o mecanismo utilizado pela Justiça Eleitoral para converter votos em mandatos. Ele afirma que, sendo o mandato partidário, realiza-se a divisão do número de votos recebidos por cada legenda pelo número de cadeiras disponíveis. Desta forma, ocorre o que se chama de "distribuição das sobras", que é quando candidatos menos votados são eleitos por causa de um "puxador de votos" de seu partido, ou seja um candidato que recebe uma quantidade de votos muito maior do que apenas o necessário para que ele seja eleito."Apesar de o eleitor frequentemente votar pessoalmente, em virtude do carisma de um candidato em especial, ele está confiando num programa partidário", reforçou.

Candidatos 'famosos' não conseguem votos suficientes para Câmara de SP


As eleições municipais deste ano vão servir apenas como experiência para algumas celebridades da televisão e do futebol que tentaram uma vaga no Legislativo. Conhecidos do público como Agnaldo Timóteo, Mulher Pêra e Marcelinho Carioca não conseguiram votos suficientes para o cargo de vereador.
De acordo com dados divulgados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o cantor, que disputava a vaga pelo PR e que já foi eleito no passado, conseguiu 12.009 votos, o que corresponde a 0,21% dos votos válidos. Já a Mulher Pêra (PT do B), mesmo se valendo de decotes generosos durante a campanha, somou apenas 2.126 votos, ou 0,04% do total dos válidos.
Dois ex jogadores do Corinthians, Marcelinho Carioca (PSB) e Dinei (PDT), também não obtiveram sucesso as eleições. O primeiro recebeu 19.729 votos (0,35% dos votos válidos), enquanto Dinei conquistou 9.243 (0,16%).
A notoriedade que ganhou no Programa do Ratinho não adiantou para eleger Marco Antônio Ricciardelli, o Marquito. Candidato pelo PTB, ele teve 22.198 votos nas urnas, o correspondente a 0,39% dos votos válidos.
O ex-ministro do Esporte Orlando Silva (PC do B) também ficou de fora. Demitido pela presidente Dilma Rousseff no ano passado após denúncias de corrupção, Orlando contou com o apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha, mas os 19.739 votos recebidos (0,35% dos válidos) não garantiram sua entrada na Câmara.
Já os votos do cantor Kiko do KLB (PSD) não foram divulgados porque ele teve a candidatura impugnada, mas os eleitores podiam votar nele porque o processo aguarda decisão de uma instância superior. No Twitter, o cantor declarou que a impugnação é resultado da ausência dele na votação do segundo turno das eleições de 2010.

Candidatos 'famosos' não conseguem votos suficientes para Câmara de SP

Estatísticas e resultados das Eleições 2012 já estão na página do TSE


Entrevista coletiva com presidente do TSE, ministra Cármen Lúcia.

Já estão disponíveis no Portal do TSE na internet as estatísticas e resultados das Eleições 2012, que podem ser acessados no link Eleições/Eleições 2012/ Estatísticas/Estatísticas e Resultados da Eleição.

No link, os interessados encontram as estatísticas por cargo/partido, cargo/sexo, quadro de votação, quocientes eleitoral e partidário e resultado da eleição, entre outros dados.

Obrigado....


Olá, eu quero agradecer os 49 eleitores (a) que confiarão e acreditarão nas minhas propostas, e aqueles em que eu não consegui fazer entender, espero que com o passar do tempo eu possa merecer a sua confiança. Que Deus abençoe a todos os amigos, colaboradores, eleitores e as famílias Caraguatatubenses... Espero que com esta renovação a Câmara Municipal de Caraguá venha ter políticos comprometidos com os ideais de um povo honesto e trabalhador e que o nepotismo as mordomias venham acabar...
Aos meus amigos verdadeiros perdemos uma batalha e não a guerra vamos nos fortalecer a cada dia e sempre estaremos juntos em qualquer circunstância.
Meus amigos lembrem-se de uma coisa, tudo nessa vida passa, amigos verdadeiro sempre ficaram marcados por suas atitude e companheirismo.
Obrigado, dever cumprido, com garra, determinação, coragem, atitude, respeito e dignidade aos amigos e eleitores...

Votos por coligações

PTB / DEM / PSB12.196(22,52%)
PMDB / PSDB10.694(19,75%)
PDT / PSD9.493(17,53%)
PPS / PV6.105(11,27%)
PSL / PR / PT do B6.080(11,23%)
PT / PC do B4.017(7,42%)
PP / PSC / PSDC / PPL3.561(6,58%)
PRB / PTN / PHS / PMN / PRP2.013(3,72%)