Linguiça - Moreira Artesanal

Linguiça - Moreira Artesanal

Cabeça's Barbearia

Cabeça's Barbearia
Av. Pres. Castelo Branco, Sumaré /anexo ao posto Shell, Caraguatatuba, (12) 99616-7705

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Programa Partidário "PRB é 10" - agosto 2011

Nunes Coelho 10.123

‎"Todo mundo pode ser grande
















‎"Todo mundo pode ser grande... porque todo mundo pode servir. Você não precisa de diploma universitário para servir. Não precisa saber concordar sujeito com verbo para servir.. Só precisa de um coração cheio de graça. De uma alma gerada pelo amor."

Hoje é o aniversário do talentoso ator Tom Hanks


Hoje 09 de julho é aniversário do talentoso ator Tom Hanks. Recentemente entrou para o Livro dos Recordes por ter participado de sete filmes consecutivos, que quebraram a barreira dos cem milhões de dólares em arrecadação. Parabéns pelos 56 anos de vida!

CUT diz que irá às ruas para defender réus do mensalão


O novo presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Vagner Freitas, 46, diz que pode levar às ruas a força da maior central sindical do país para defender os réus do mensalão, que começarão a ser julgados pelo Supremo Tribunal Federal em agosto.
"Não pode ser um julgamento político", disse Freitas à Folha. "Se isso ocorrer, nós questionaremos, iremos para as ruas." Freitas será empossado presidente no congresso que a CUT realizará nesta semana em São Paulo.
A abertura do evento hoje deverá contar com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A central nasceu como uma espécie de braço sindical do PT nos anos 1980 e a maioria dos seus dirigentes é filiada ao partido.
Freitas disse temer que o julgamento do mensalão se transforme em mais um campo de batalha entre os petistas e seus adversários, e afirmou que isso poderia colocar em risco os avanços sociais conquistados pelo país após a chegada do PT ao poder.
"Nós vivemos um bom momento político e a estabilidade é importante para os trabalhadores", disse o sindicalista. "Não queremos um país desestabilizado por uma disputa político-partidária, entre o bloco A e o bloco B."
Se isso acontecer, a central não ficará de braços cruzados: "A CUT é um ator social importante e não vai ficar olhando", afirmou Freitas.
Em 2005, quando o escândalo do mensalão veio à tona, a CUT reuniu 10 mil pessoas em Brasília para uma manifestação em defesa do governo Lula. O protesto foi organizado logo depois da queda do então ministro da Casa Civil, José Dirceu, um dos réus do processo no STF.
Nos últimos meses, sindicatos ligados à CUT serviram frequentemente de palco para os réus do mensalão apresentarem sua defesa. O próprio Dirceu foi a congressos estaduais da central neste ano para falar sobre a conjuntura política e o julgamento.
No ano passado, foi numa plenária da CUT em Guarulhos, na Grande São Paulo, que o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares lançou uma campanha para mobilizar militantes em sua defesa.
Delúbio, que foi dirigente da CUT antes de cuidar das finanças do PT, foi expulso do partido no auge do escândalo e reintegrado no fim do ano passado. Ele e Dirceu receberam manifestações de apoio nos encontros da central.
Ligado ao Sindicato dos Bancários de São Paulo, Freitas será o primeiro representante da categoria a comandar a CUT, que foi dirigida por metalúrgicos do ABC paulista na maior parte dos seus quase 30 anos de existência.
Há duas semanas, ele liderou uma manifestação que reuniu 2.000 militantes na avenida Paulista, no centro de São Paulo, para protestar contra a situação do transporte público da cidade e fazer ataques ao prefeito Gilberto Kassab (PSD) e ao governador Geraldo Alckmin (PSDB).
Nas eleições deste ano, os problemas na área de transporte são um dos principais temas do candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. O ex-governador José Serra (PSDB) concorre com o apoio de Kassab e Alckmin e é apontado pelas pesquisas como favorito.

'O PT cria mais problema para Dilma do que o PSB'


Visto por setores do PT como virtual candidato à Presidência em 2014, o governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, afirma que o partido da presidente Dilma Rousseff a atrapalha mais do que o PSB.
Campos diz, contudo, que apoiará a eventual campanha de reeleição de Dilma, insinuando que seu projeto de poder é para 2018.
Nas últimas semanas, PSB e PT romperam em Recife, Fortaleza e Belo Horizonte.

Que crise é essa do PSB com o PT?
Eduardo Campos - Não damos dificuldades para o governo Dilma. Significa que nosso partido vai ser satélite do PT? Não é da nossa história, nem da nossa política.
É essa a raiz da discórdia, não querer ser satélite do PT?
O que tem Fortaleza a ver com Belo Horizonte? São Paulo a ver com Recife? O PSB agora virar inimigo oculto do PT chega a ser ridículo. Ser colocado como inimigo número um e a gente ver históricos adversários virarem amigos de sempre. Está errado.

O PSB, liderado pelo governador Eduardo Campos, enfrenta momento de crise com o aliado PT
O PSB, liderado pelo governador Eduardo Campos, enfrenta momento de crise com o aliado PT
O senhor está falando de Paulo Maluf [que se aliou ao PT em São Paulo]?
Estou falando de muitos outros, não só do Maluf. Você vê em Curitiba: Gustavo Fruet [ex-tucano e ex-deputado de oposição] virar o melhor amigo do PT, e o PSB virar o inimigo? Nós não vamos fazer o jogo de alguns, que querem afastar de Dilma aqueles que têm mais identidade com o governo dela.
O sr. está falando do ex-ministro José Dirceu?
De todos. Se estiver nisso, falo dele também. A história que nos trouxe até aqui não deve colocar dúvida na cabeça do presidente Lula, nem na minha, nem na da presidente Dilma sobre a qualidade da relação que temos.
Mas chegou perto, né? Ele chegou a ter essa dúvida...
Vamos ter que ter paciência para esperar a história daqui pra frente. Quem viver 2014, verá. Porque eu já vi muita gente ser subserviente, agradável, solidária em meio de mandato e, quando bate a primeira crise, muda imediatamente de lado. Como nunca mudamos de lado, eu sei onde vou estar em 2014.
Onde?
Do lado que sempre estive. Acho que o PSB deve em 2014 apoiar Dilma para se reeleger presidente.
O sr. não será candidato...
E quem disse que eu seria?
Seus correligionários...
Toda vez que fui candidato, eu disse que era candidato. Ser candidato contra Dilma só porque eu quero ser? Ela está na Presidência e tem a prerrogativa da reeleição. Para a reeleição de Dilma, o problema não somos nós.
Qual é o problema?
O próprio partido dela [o PT] cria mais problema para ela do que o PSB. No sentido que vocês noticiam e no sentido de tentar tirar de perto dela quem pode ajudá-la.
Se a economia erodir a popularidade da Dilma e Lula não for candidato, o sr. sai para a Presidência?
Não trabalho com essa hipótese. Temos debates muito mais importantes do que [debater] quem será prefeito dessa ou daquela cidade. O que está em jogo é o ciclo de expansão econômica com inclusão social. O consumo ainda pode dar algum resultado, mas chegou a hora de fazermos um grande esforço para alavancar investimentos públicos e privados. Essa que é a pauta brasileira, não essa futrica.
O PSB está avançando nos Estados, no Congresso. Vocês pedirão a vice do PT em 2014?
Nunca fizemos isso. Agora mesmo, em São Paulo, o PT escolheu a [deputada Luiza] Erundina [do PSB, para vice do petista Fernando Haddad]. Lula buscou um quadro da minha geração, o Haddad. Se fôssemos o inimigo número um do PT, não teríamos sido os primeiros a apoiá-lo. Colocamos a vice que o PT entendia que era a que mais ajudava, a Erundina.
Ela não ajudou muito...
Quando ela saiu, liberamos Haddad para escolher o nome que quisesse. Foi isso que fizemos com largueza de coração.
Com tanta frustração, o que o segura ao lado do PT?
Não vou sair desse itinerário. Temos uma frente política construída há muitos anos, que ajudou o Brasil a melhorar. Claro que minha relação com o presidente Lula, que eu conheci ainda menino, a ajuda que ele me deu e a meu Estado eu prezo muito.
O PT diz que o senhor é uma espécie de monstro criado por Lula, que o ajudou muito com recursos.
Pago preço do ciúme que muitos têm. Mas Lula sabe também que conta conosco. Em 1989, [o avô de Campos, Miguel] Arraes era governador de Pernambuco, tendo voltado de 16 anos do exílio, e o PT gritava na porta do palácio: "Arraes, caduco, Pinochet de Pernambuco". Mas isso não impediu meu avô de abraçar a primeira eleição de Lula, porque nós não fazemos política tendo como referência a guerra de espaço, de aparelhar, de ter uma garrafa a mais [no governo]. Nossa referência na política é o interesse do povo e do país.
O PT aparelha?
Não. Estou dizendo que somos diferentes, formas diferentes de pensar, ver o mundo. Você não pode imaginar que o Brasil deste tamanho vai ter um partido único, que vai ser dono da verdade, dono do poder, dos 5.000 municípios, dos 27 Estados, do Brasil, por um século. Você não pode imaginar que esse seja o projeto do povo brasileiro. É bom que tenha alternância de poder. É importante ter a perspectiva do contraditório.
Em 2014 serão 12 anos de PT no poder. É muito?
Acho que dá para ter 16. Eu só, não. A sociedade também está achando. Como o PSDB está em São Paulo há 16 anos.
E está bom 16 anos de PSDB em São Paulo?
O povo achou que sim.
Dá para ter 20 anos de PT?
Vinte? Há um ciclo que vai se abrir no Brasil depois de 2014. É um ciclo até geracional, tanto na oposição quanto no campo do governo. Agora, atropelar isso em nome de projeto pessoal não é uma coisa correta. Dilma está presidente da República sem nunca ter pedido para ser candidata.
A base aliada reclama de Dilma. O senhor faz algum reparo ao estilo dela?
Ela tem a base muito ampla. Acho que não há dificuldade insuperável. Vamos ajudá-la a proteger o Brasil da crise. Não podemos permitir que joguem a presidente nesse debate da eleição municipal.
Mas ela entrou na articulação de Belo Horizonte.
Em BH eu compreendo, da mesma forma que ela compreende minha articulação aqui em Recife. Precisamos dar força a ela para o governo ganhar [na economia] o ano de 2012. Dilma não tem por que jogar carga ao mar.
É um pedido para ela não ajudar Humberto Costa [candidato petista de Recife]?
Não. Tem coisas que não se pede, eu sei que ela é justa.
Se 2014 é o ano da Dilma, e 2018 será um novo ciclo, não há mais espaço para o Lula?
Lula sempre terá espaço. Agora, o que eu tenho ouvido dele é que o seu grande objetivo é ajudar Dilma a se reeleger.

Com 8% dos eleitores de SP, pentecostais buscam quem apoiar


Lideranças de quatro das principais igrejas evangélicas de origem pentecostal se preparam para mobilizar em prol dos candidatos de sua preferência um rebanho que, somado, representa 8% do eleitorado paulistano.
Segundo o Censo de 2010, Assembleia de Deus, Igreja Universal do Reino de Deus, Igreja Mundial do Poder de Deus e Igreja Internacional da Graça de Deus reúnem cerca de 706 mil pessoas na cidade de São Paulo, que possui 8,6 milhões de eleitores.
As quatro denominações planejam apoio a diferentes candidatos a prefeito, tentarão renovar os mandatos de seus representantes na Câmara Municipal e emplacar novos vereadores.
Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial, deve se reunir com José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT) para decidir qual deles será digno das orações de seus 31 mil adeptos. A definição de prece como sinônimo de apoio é do deputado José Olímpio (PP), eleito em 2010 com o título "missionário" agregado ao seu nome na urna.
Pai do deputado estadual Rodrigo Moraes (PSC), ele terá outro filho, José Olímpio Jr., concorrendo a vereador pelo PSD, aliado a Serra.
O missionário ainda indicou um candidato no PP, que está com Haddad. O PSC, da coligação de Gabriel Chalita (PMDB), também lançará um integrante da igreja.
O apoio oficial de Santiago, diz o deputado, não está garantido a nenhum deles. "Registrar a candidatura é uma coisa, receber oração é outra. Nada está decidido."
A Universal, com 126 mil fiéis na capital (cerca de 70 mil a menos do que em 2000, segundo o IBGE), exerce grande influência no PRB de Celso Russomanno, segundo colocado nas pesquisas para a Prefeitura de São Paulo.
Na campanha, o partido e o candidato têm evitando associar a legenda à igreja, temendo a rejeição de parte do eleitorado.
A Convenção Geral das Assembleias de Deus, principal tronco institucional da maior denominação pentecostal do país, definiu em abril o apoio à candidatura de Serra.
"Ele goza da credibilidade do nosso povo, faz jus a ser bem votado", diz o pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente nacional da convenção.
FAMÍLIA
Ele calcula que sua igreja, que tem 520 mil fiéis, despejará entre 300 mil e 350 mil votos no tucano em outubro. E de 50 mil a 60 mil na vereadora Marta Costa (PSD), filha do pastor, eleita por 39.192 pessoas em 2008.
O líder da Igreja Internacional da Graça, R.R. Soares, não deve declarar apoio a nenhum candidato a prefeito, mas tentará reeleger um filho na Câmara pela coligação de Serra: David Soares, do PSD.
Os 28.673 fiéis computados pelo IBGE seriam insuficientes para repetir as votações de Soares (27.494 eleitores em 2008) e da colega de congregação Sandra Tadeu, do DEM (25.173 votos). Mas a igreja, como quase todas as outras denominações, calcula ter dez vezes mais adeptos.

Moradores de rua encontram cerca de R$ 20 mil e entregam à PM em SP


Um casal de moradores de rua encontrou por volta das 3h30 desta segunda-feira um saco com aproximadamente R$ 20 mil em dinheiro, no Tatuapé, zona leste de São Paulo, e entregou à polícia.
O casal, que mora há aproximadamente quatro meses embaixo do viaduto Azevedo, ouviu o barulho do alarme de uma loja próxima e foi verificar o que acontecia. No caminho, eles encontraram um saco com o dinheiro --notas e moedas-- abandonado próximo a um ponto de ônibus na Radial Leste.
O morador de rua Rejaniel de Jesus Silva Santos, 36, que ganha por dia cerca de R$ 15 como catador de produtos recicláveis, disse que "a primeira coisa que veio à sua cabeça quando viu todo aquele dinheiro foi avisar a polícia".
Santos e a mulher abordaram um segurança em uma moto e pediram para ele ligar para o 190. Quando os policiais chegaram ao local o casal entregou o dinheiro. Segundo Santos, os policiais militares não acreditavam que ele estava devolvendo o dinheiro e deram parabéns pela honestidade.
Santos, que perdeu o contato com a família depois que foi morar nas ruas, torce para que a mãe que vive no Maranhão veja alguma das entrevistas que deu nesta madrugada para emissoras de TV.
" A minha mãe me ensinou que não devo roubar e se ver alguém roubando devo avisar a polícia. Se ela me assistir pela TV lá no Maranhão vai ver que o filho dela ainda é uma das pessoas honestas deste mundo", falou Santos.
Segundo a PM, no saco havia cupons fiscais que identificavam que o dinheiro pertence a um restaurante oriental na rua Coelho Lisboa, que havia sido furtado.
O caso foi registrado no 30º Distrito Policial do Tatuapé. A polícia tenta localizar o dono do restaurante para devolver o dinheiro.

Rejaniel de Jesus Silva e a mulher, Sandra Regina Domingues, no 30º DP do Tatuapé´após entregarem o dinheiro
Rejaniel e a mulher, Sandra Regina Domingues, no 30º DP do Tatuapé após entregarem o dinheiro à PM
HISTÓRIA
Santos veio do Maranhão há cerca de 16 anos para trabalhar com o irmão na construção civil. Em São Paulo, ele se casou e teve um filho, que não tem mais contato.
Após a separação, Santos perdeu o emprego e a casa e foi morar nas ruas. A atual mulher, Sandra Regina Domingues, ele conheceu nas ruas e mora com ela há cerca de quatro meses, embaixo do viaduto Azevedo.

Estrangeiros tentam visto com 'casamento de aluguel'


A preparação para o casamento de Rafael*, 31, e Mariana, 36, está sendo agitada. Ele já quer levar suas roupas para a casa dela. Antes, ela quer arrumar o apartamento para receber as coisas dele. Quem os vê, diz que não combinam, mas os amigos juram de pés juntos que a união resulta de uma paixão arrebatadora.

Ansioso, Rafael espera estar casado, no máximo, daqui a uns dois meses. A cerimônia será simples, só no civil.
Depois da assinatura, um beijo e tchau, ele quer voltar para casa e aguardar a pessoa certa para ficar ao seu lado--um homem, de preferência.
Mariana, brasileira, é empregada doméstica. Rafael é espanhol, tem diploma universitário, e engrossa a lista de estrangeiros em busca do visto permanente para poder ficar no Brasil.
A união deles será só mais um casamento arranjado que tem atraído imigrantes. Impossível saber quantos casos assim fazem parte do total, a maioria legal, reconhecido pelo Ministério da Justiça.
"Tenho um pouco de medo, mas conheço três alemães no Rio e um americano em São Paulo que fizeram o mesmo. Poderia procurar trabalho na Alemanha, onde estava antes de ser demitido, mas a Europa está cada vez pior e aqui cada vez melhor", diz.
Após o casamento, a Polícia Federal costuma "visitar" a casa dos "pombinhos". Caso seja identificada a fraude, o casal pode ser processado por falsidade ideológica e o estrangeiro, expulso do país. A PF, porém, não tem dados sobre os casos descobertos.
Apesar dos riscos, a opção parece valer a pena para esses casais. Aos olhos do mundo, o Brasil é o país das oportunidades, principalmente para europeus, que convivem com uma taxa de desemprego de 10,4%, o dobro daqui.
O casamento, porém, não é a única forma de enganar as autoridades e ficar no Brasil. A outra é a união estável, aceita desde 2003 para obter o visto permanente.
"Quando cheguei um advogado me mostrou como é complicado conseguir um visto de trabalho. Foi ele quem me falou da possibilidade de registrar uma união estável com uma brasileira. Nunca falou de fraude, mas sabia que eu não tinha namorada", diz Roberto, 34, espanhol.
Ele pagou R$ 3.000 a uma amiga para "ser" sua namorada. "Foram quatro meses de muita burocracia, tirando fotos da nossa suposta convivência. O advogado me falou que começamos num bom momento porque agora o governo está saturado e tem muitos casos parados."
* Os nomes usados nesta reportagem foram trocados a pedido dos entrevistados


Falta de estrutura faz remoção de corpos em SP demorar até 12 horas


Falta de funcionários, veículos impróprios, demora para transportar os corpos e desrespeito aos familiares.
Esse é o retrato do Serviço Funerário Municipal de São Paulo, administrado pela prefeitura, encontrado pela reportagem na última semana.
O número insuficiente de servidores, principalmente motoristas, faz com que famílias cheguem a esperar 12 horas pela remoção dos corpos, em casa ou nos hospitais.
Segundo a prefeitura, a frota é composta por 117 veículos próprios --33 estão inutilizados e 28 em conserto-- e 60 veículos adaptados.
"Meu filho morreu às 20h35. O corpo só chegou ao Serviço de Verificação de Óbitos às 11h do dia seguinte", diz Aumirene Lemos, mãe de criança de 12 anos que morreu no hospital após sofrer parada cardiorrespiratória.
Sem funcionários e com veículos insuficientes, os corpos transportados pelos rabecões são levados uns sobre os outros, o que é proibido, e enrolados em lençóis e cobertores, já que a prefeitura não fornece sacos apropriados.
O único veículo com ar-condicionado, que deveria ser usado para refrigerar os corpos, é usado para carregar flores, para não estragarem.
Funcionários de agências funerárias da Grande SP agem clandestinamente ofertando serviços aos familiares. Alguns possuem ponto fixo há mais de 15 anos, segundo apurou a reportagem.

Kombi, sem refrigeração, é usada para transportar corpos
Kombi, sem refrigeração, é usada para transportar corpos
OUTRO LADO
Para diminuir a espera pela remoção de corpos, a prefeitura diz que vai convocar 35 motoristas que já foram aprovados em concurso.
A prefeitura afirma que não coloca corpos em sacos e diz desconhecer que corpos sejam amontoados.
Quanto à oferta de serviços funerários (os "papa-defuntos"), a prefeitura informou que é proibida, mas não respondeu se fiscaliza a atividade nem como ela é feita.

Prefeitos de 3 das 4 maiores cidades da região adiam início de campanhas


Os prefeitos que disputam a reeleição em três das quatro maiores cidades da região de Ribeirão Preto adiaram o início oficial das campanhas.
Seus assessores afirmam que reuniões estão sendo realizadas para definir as estratégias de cada um.
Isso ocorre porque, segundo João Muller, coordenador-adjunto de campanha do prefeito Oswaldo Barba (PT), em São Carlos (232 km de SP), as estratégias vão definir duas agendas: uma de chefe de Executivo e a outra dos candidatos.
"Para o prefeito é complicado porque ele tem as obrigações de rotina na prefeitura e os compromissos de campanha. Essa diferença precisa ser bem explícita para não confundir as coisas", diz.
Na mesma cidade, Paulo Altomani (PSDB), candidato que prevê o maior gasto em campanha de toda a região, participou anteontem de festas juninas e teve reuniões com candidatos ao cargo de vereador. A intenção nesta semana é trabalhar na elaboração do plano de governo.
Os R$ 6,5 milhões previstos pela campanha de Altomani são superiores inclusive que os gastos de campanha planejados pelos candidatos de Ribeirão Preto (313 km de SP), onde o petista João Gandini prevê R$ 5 milhões contra R$ 3,9 milhões da prefeita Dárcy Vera (PSD) e R$ 3,8 milhões de Duarte Nogueira (PSDB).
Em São Carlos, disputam ainda o Executivo José Benedito Sacomano (PPL), Eduardo Cotrim (PMDB), Flávio Lazarotto (PSOL) e Ronaldo Motta (PSTU).
ARARAQUARA
Na vizinha Araraquara (273 km de SP), a situação não é diferente. Enquanto Márcia Lia (PT), Valter Merlos (PSD) e José Eduardo, o Vermelho (PSOL), já começaram suas campanhas no final de semana, o prefeito Marcelo Barbieri (PMDB), segundo sua coordenação, ainda define como vai conciliar as "suas duas agendas".
Já a prefeita de Ribeirão fez uma caminhada no centro no último sábado, mas sua coordenação de campanha negou que fosse um ato para captar votos.
Gandini, Nogueira e Emilson Roveri (PSOL) deram a largada pela disputa em Ribeirão Preto andando pelo calçadão, no sábado. Fernando Chiarelli (PT do B) participou de uma atividade na Vila Virgínia. Mauro Inácio (PSTU) não teve agenda.
FRANCA
Em Franca (400 km de SP), o prefeito Sidnei Franco da Rocha (PSDB) não pode ser candidato novamente por estar no segundo mandato. Seu candidato, o tucano Alexandre Ferreira, informou que está finalizando os materiais de divulgação para iniciar a campanha.
Lá, o petista Gilson Pelizaro (PT) fez seu primeiro evento oficial de campanha também no sábado com uma atividade no centro da cidade.
Já Cassiano Pimentel (PV) planeja, para esta semana, visitar sindicatos e conversar com a população nas ruas.
Também disputam o cargo de prefeito é o ex-deputado federal Marco Aurélio Ubiali (PSB), Graciela Ambrósio (PP), Hamilton Chiarelo (PSOL) e Marcelo Bomba (PTC).

SP promete recuperar monumento que homenageia Revolução Constitucionalista


O governo do Estado de São Paulo promete, mais uma vez, recuperar o Obelisco do Ibirapuera, monumento em homenagem aos mortos na Revolução Constitucionalista de 1932, que completa 80 anos nesta segunda-feira (9).
O Obelisco, que guarda restos mortais de combatentes no movimento, está fechado desde 2002. O governo já gastou R$ 1 milhão na reforma do monumento, entre 2008 e 2009, mas até agora o local não reabriu.
Reinaldo Canato/Folhapress
Obelisco, que está fechado desde 2002, guarda restos mortais de combatentes no movimento de 1932
Obelisco, que está fechado desde 2002, guarda restos mortais de combatentes no movimento de 1932
Nesta segunda-feira, será assinado um contrato com um escritório de arquitetura para fazer novo projeto de reforma. Serão gastos mais R$ 286 mil no projeto, que terá de ficar pronto em seis meses.
Depois de pronto o projeto, a Polícia Militar, que administra o local, ainda terá de contratar a obra de reforma do Obelisco. Se tudo der certo, o local será reaberto aos visitantes em 2014, 12 anos depois de ser fechado.
Ainda não se sabe quanto será gasto na nova reforma, já que a reforma anterior não foi suficiente.
Em 2010, o Ministério Público recomendou ao governo que transferisse a administração do monumento da Polícia Militar para a Secretaria da Cultura, mas a proposta não foi atendida.
Na ocasião, a PM informou que pretendia fazer uma parceria com a iniciativa privada para reformar o Obelisco. Essa promessa também não foi cumprida.

Justiça Eleitoral multa PSDB e Serra em R$ 100 mil por propaganda antecipada


O PSDB e seu pré-candidato a prefeito de São Paulo, José Serra, foram multados em R$ 100 mil (R$ 50 mil cada) por propaganda antecipada. É a terceira vez que a Justiça Eleitoral pune o tucano por pedir votos antes do início oficial da campanha, na última sexta-feira (6).
A decisão é da juíza Carla Themis Lagrotta Germano, da 1ª Zona Eleitoral. Ela julgou procedentes três representações movida pelo PMDB e pelo PT contra Serra. O tucano ainda pode recorrer ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral) para tentar anular a punição.
Para a juíza, o PSDB e Serra usaram inserções partidárias em rádio e TV promover sua candidatura a prefeito fora do prazo legal. As propagandas convidavam militantes para participar da convenção que formalizou sua candidatura, em 24 de junho.
"Festa do PSDB. Neste domingo vamos eleger José Serra candidato a Prefeito de São Paulo. Traga seu apoio, sua alegria, a sua bandeira. Venha dar um abraço no Serra, no Governador Geraldo Alckmin e nos líderes do PSDB", dizia o anúncio.
A magistrada entendeu que houve intenção de "captar simpatia e votos do eleitorado antes mesmo que outros possam apresentar-se como candidatos ao mesmo cargo, utilizando-se da propaganda intrapartidária como propaganda eleitoral extemporânea".
Os tucanos ainda exibiram a animação de uma urna eletrônica com um dedo apertando a tecla confirma -o que a juíza disse ser "alusão inequívoca à eleição que será disputada por José Serra, com expressa sugestão de sua escolha aos eleitores em geral".
Em sua defesa, Serra alegou que ignorava o texto levado ao ar. A magistrada não aceitou a justificativa.
"José Serra é pré-candidato único ao pleito municipal, tendo, por certo, autorizado e consentido, ainda que de forma tácita, a divulgação de seu nome e sua imagem na convocação feita por seu partido", escreveu.
"Não é crível que o pré-candidato desconhecesse a ação de seu partido político na divulgação da convenção partidária para sua escolha como concorrente ao pleito municipal, pois se tratar de político participante de vários outros pleitos, acostumado com companha política, considerando-se sua liderança partidária."
Ao fixar o valor da multa, a juíza afirmou que há "reiteração da conduta ilícita" do PSDB e de Serra e frisou que a propaganda foi levada ao ar em horário nobre. A multa mínima para propaganda antecipada é de R$ 5.000.

Inter deixa campo de lado e abre semana com Nilmar, Juan, Oscar e Ganso em pauta

O Internacional ganhou do Cruzeiro no sábado e chegou a 15 pontos no Brasileirão. Porém, o dentro de campo ficará em segundo plano neste início de semana. Nilmar, Juan e Ganso como desejos e Oscar podendo sair monopolizam a pauta vermelha.

A situação mais concreta envolve o atacante do Villareal. O Internacional fez proposta oficial, concorre com a investida de um clube ucraniano - de 8 milhões de euros - mas conta com a preferência do jogador.
Foto 1 de 383 - Ganso faz recuperação de artroscopia no joelho direito e encontra o "famoso Pedalada"Divulgação/Twitter PH Ganso

"Fizemos uma proposta oficial. O presidente Giovanni Luigi está conversando sempre com o empresário Orlando da Hora. Agora é aguardar", disse o vice de futebol colorado, Luciano Davi, no sábado.
Outra situação em que resta aguardar ao Internacional é referente ao zagueiro Juan, da Roma. O defensor de 33 anos já recebeu a proposta do time de Porto Alegre, que espera uma resposta ainda para esta semana.

Mas a negociação que pode causar maior comoção envolve diretamente dois jogadores. O assédio inglês é muito forte sobre Oscar, disputado por Tottenham e Chelsea. De acordo com o Blog do Neto, o Chelsea deve levar o jogador, e segundo o Blog do Perrone, o Tottenham está disposto a pagar R$ 60 milhões para ter o meia. O próprio jogador admitiu, na última semana, receber sondagens dos europeus.

E caso tal situação se concretize, a alternativa vermelha seria Paulo Henrique Ganso. Com difícil negociação de renovação de contrato com o Santos, o meia tem direitos ligados ao grupo DIS, de Delcyr Sonda, parceiro do Internacional. Assim, se não ocorrer acordo com o alvinegro do litoral paulista, o time gaúcho seria alternativa principal.

Por isso, em vez de pensar no campo, o Inter foca o mercado no início da semana. Depois de anunciar Forlán - que chegou neste sábado - as transações seguem monopolizando o noticiário vermelho.

O Inter se reapresenta na terça-feira. O próximo jogo será contra o Santos, domingo, às 16h, no estádio Beira-Rio.

Grêmio confirma contratação de Elano, que chega a Porto Alegre nesta segunda


Como prometido, nos vestiários da Vila Belmiro, a direção do Grêmio confirmou a contratação de Elano. O jogador chega a Porto Alegre nesta segunda-feira, às 19h, realizará exames e será apresentado. Com isso, Miralles não é mais jogador do time gaúcho, sendo cedido ao Santos.
A troca se deu com os detalhes que restavam sendo alinhavados neste domingo. Elano sequer ficou à disposição de Muricy Ramalho para a vitória santista por 4 a 2 pela oitava rodada do Brasileiro. O mesmo ocorreu com Miralles - afastado da delegação gremista.
No sábado, Elano já se despediu da torcida através de seu perfil no Twitter. "Amanhã não jogo,devido a negociação que está acontecendo. Meus agradecimentos a todos que fizeram parte desses 5 anos de Santos", postou.Ainda não houve publicação em site oficial, mas o Grêmio avisa que o jogador já é aguardado para os procedimentos regulares na capital gaúcha. A troca com Miralles se dará com a permanência de um percentual para cada lado. O Grêmio com parte dos direitos econômicos do argentino, o Santos com uma fração de Elano.
O meia foi, de pronto, elogiado por Vanderlei Luxemburgo em entrevista coletiva. O treinador foi um dos responsáveis pela chegada, indicando o atleta com quem trabalhou em 2004.
"Ganhamos muito com a chegada dele. O conheço bem. Hoje [domingo] entrei com o Marquinhos, que dividiu a responsabilidade com o Zé Roberto. Não posso esperar isso do Rondinelly, que é muito jovem. O Elano faz o terceiro ou o quarto homem de meio. Tem muita qualidade. Um time para começar a ganhar, não pode depender somente de um jogador. Tem que ter alternativas. Estamos passando a ter", disse Luxemburgo.
A delegação do Grêmio retorna imediatamente para Porto Alegre, trazendo na bagagem a derrota por 4 a 2 para o Santos na Vila Belmiro. Elano, de 31 anos, 1,75 de altura e 67 Kg já defendeu Santos, Shakthar Donetsk, Galatassaray e Manchester City, além de uma série de convocações para seleção brasileira. Ele esteve, inclusive, na última Copa do Mundo.
Miralles, por sua vez, tem 29 anos e teve trajetória instável no Grêmio. Contratado em maio passado para ser a solução de ataque do time, nunca chegou a ser titular e foi afastado duas vezes. Neste ano, foi liberado para procurar clube na Argentina, mas voltou e teve serviços solicitados por Luxemburgo após a lesão de Kleber. Com o retorno do Gladiador, acabou no banco novamente e pediu para ir embora. Ele fecha a atual temporada com 15 jogos e 3 gols pelo Grêmio.

Foi dada a largada para mais uma eleição municipal

Foi registrado na Justiça Eleitoral de Caraguatatuba a candidatura no 05/07/2012 mais de 227 candidatos a vereador e 4 candidatos a prefeito.
 Foi dada a largada para mais uma eleição municipal, que os eleitores reflitam sobre o poder que está em suas mãos... 




Delegacia Virtual do Estado de São Paulo

Delegacia Virtual do Estado do Rio de Janeiro