ABI - Associação Brasileira de Imprensa

ABI - Associação Brasileira de Imprensa
Liberdade de Expressão e Ética

domingo, 19 de janeiro de 2014

Fiocruz escolhe organizador para seu concurso, com vencimento de até R$ 14 mil.

Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) escolheu a Fundação Dom Cintra, por meio de uma licitação, para organizar o concurso com oferta de 400 vagas em cargos de níveis médio e superior. O prazo para a divulgação do edital com todas as regras da seleção vai até o próximo mês de junho. Os vencimentos variam de R$ 2.701,46 a R$ 14.440,67.

O objetivo desse certame  é substituir 400 postos de trabalho terceirizados na fundação. A maior parte das vagas deve ser para o Rio de Janeiro. Serão abertas 75 para técnico em saúde pública, com exigência de nível médio e salário inicial de R$ 2.701,49.

Já para os graduados, o concurso  terá 35 vagas para especialista em ciência e tecnologia e inovação em saúde pública, com salário de R$ 14.440,67, e, ainda, 169 para pesquisador em saúde pública - assistente, 113 para tecnologista em saúde pública e 8 para analista de gestão em saúde pública, com remuneração de R$ 5.660.

Google Glass cria lentes de contato para medir glicose de diabéticos.

Depois de lançar os óculos 'smart',  a gigante da internetGoogle Glass, está testando lentes de contato. Mas, não se trata de uma versão compacta do Glass, o aparelho serve para medir o nível de glicose no fluido lacrimal e, assim, se tornar um teste mais rápido e confiável que mede quedas no nível de açúcar em diabéticos.

Para isso, o aparelho possui sensores minúsculos de glicose e chips wireless, capazes de reunir e transmitir os dados dos exames para um computador ou smartphone. Ou seja, o exame e o monitoramento é feito de forma constante - sem a necessidade de interromper as atividades do paciente ou extrair sangue. De acordo com os desenvolvedores do projeto, Brian Otis e Babak Parviz, a inovação deve ser alternativa a exames incômodos e invasivos para diabéticos.

Protótipos das lentes estão sendo testados no Google(x), um laboratório voltado a produtos inovadores. Como seu desenvolvimento ainda está em fase inicial, não há informações sobre quando a tecnologia estará disponível no mercado.

Marta Suplicy é condenada por improbidade administrativa e perde direitos políticos.

A ministra da Cultura Marta Suplicy foi condenada por improbidade administrativa pela Justiça de São Paulo e perdeu seus direitos políticos por três anos. Ela também terá que pagar uma multa no valor de cinco vezes o valor do salário que a ministra recebia quando era prefeita de São Paulo (2001-2005), valor que deve ser atualizado até a data de pagamento. A decisão foi tomada pelo juiz Alexandre Jorge Carneiro da Cunha Filho, da 1ª Vara da Fazenda Pública.

Segundo a decisão, Marta também foi “proibida de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócia majoritária. A proibição também tem validade de três anos".

A decisão foi tomada no último dia 9 de janeiro e publicada no Diário da Justiça do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo do dia 10 de janeiro.

O juiz acatou uma denúncia do Ministério Público que moveu um ação de improbidade administrativa com a justificativa de que houve direcionamento para a contratação do Grupo de Trabalho e Pesquisa em Orientação Sexual (GTPOS), que foi contratado sem licitação.

Também foi condenada Maria Aparecida Perez, que era secretaria de Educação de Marta Suplicy na prefeitura de São Paulo. Maria Aparecida recebeu as mesmas penas que a ministra da Cultura.

O GTPOS foi condenado a pagar multa civil de 10% do contrato original firmado com a prefeitura de São Paulo (R$ 373.119,19, em 2002), valor que deve ser atualizado e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais por três anos.

Delegacia Virtual do Estado de São Paulo

Delegacia Virtual do Estado do Rio de Janeiro