ABI - Associação Brasileira de Imprensa

ABI - Associação Brasileira de Imprensa
Liberdade de Expressão e Ética

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

SINDSERV versus ASMUC – Quem ganha e quem perde?

Duas entidades que representam os mesmos segmentos de trabalhadores, os servidores municipais de Caraguatatuba, e que ao contrario de suas metas iniciais que seria defender os direitos dos seus associados e até mesmo o não associados, teimam em continuarem em disputas improdutivas e pessoais quando deveriam estar unidas ou mesmo agrupadas na defesa dos direitos e bem estar dos servidores municipais. O ASMUC foi criado para ser uma associação visando em especial à parte social, recreativa, dos servidores e tem limites legais na lide trabalhistas dos mesmos. Teve um momento importante na vida dos trabalhadores municipais, mas sua área de atuação é limitada na legislação trabalhista. Já o SINDSERV, por ser uma entidade sindical, possui mais abrangência legal e tem condições de exercer seus trabalhos tanto na área social como juridicamente na área trabalhista representando perante a administração pública e na Justiça Trabalhista, como legitimo procurador nas reinvindicações que a categoria necessita. Um exemplo desse desencontro é a posse da sede do ASMUC, hoje sendo “usurpada” pela administração publica municipal. A lei de doação da área pela Prefeitura Municipal ao ASMUC prevê em um de seus artigos que em caso de dissolvência ou extinção da entidade essa área passaria a pertencer à outra entidade criada pelos servidores municipais para os representarem, que no nosso caso é o SINDSERV. Porém essa disputa está solapando uma obra construída pelos servidores como sede administrativa, de lazer, cultural e mesmo para encontros, palestras e cursos valorizando nossas carreiras encontrasse hoje em total abandono. Se as duas entidades estivessem unidas até mesmo incorporadas, estariam fortalecidas e certamente com maior numero de associados, com utilização efetiva de sua sede e lutando por direitos e melhoria das carreiras publica, como salários condizentes com menores disparates de valores entre efetivos, comissionados e até terceirizados, horários de trabalhos compatíveis com a legislação em vigor e ações trabalhistas se necessárias. E não podemos dizer que somente os colegas que escolhemos para nos representar tanto no ASMUC como NO SINDSERV são os responsáveis por essa desunião que nos enfraquece. Tanto o estatuto do ASMUC como o do SINDSERV prevê a possiblidade de nós associados, solicitarmos Assembleias Gerais para discutirmos e aprovarmos modificações que julgarmos importantes para nossas entidades representativas. Se nossos “lideres” se omitirem, qual o motivo de também nós nos omitirmos? Vamos cobrar dos mesmas ações efetivas deles como nossos representantes, vamos dar força a eles para exercerem os papeis que eles se propuseram a fazer no fortalecimento de nossa classe e assim termos os direitos de questionar suas possíveis faltas de empenho nos compromissos que nos apresentaram quando se candidataram aos cargos das direções destas entidades. Vamos cobrar mais transparências e divulgação de seus atos e principalmente vamos trabalhar juntos para aumentar o numero de colegas associados, principalmente através da valorização da representação sindical. Aproveito para lembrar a todos os colegas, que amanhã, Quinta-Feira, dia 15 de Outubro, ás 17h30min horas, na Câmara Municipal, haverá audiência pública referente ao projeto de Lei Complementar 05/15, que dispõe sobre a reorganização do regime próprio de Previdência Social do Município de Caraguatatuba.

Fonte: https://www.facebook.com/alexandrafac/posts/1000743389990166

Horário de verão começa domingo - Lê,temos que ficar atentos quanto a isso.

O principal objetivo da medida é a redução da demanda por energia elétrica entre as 18h e as 21h

No próximo sábado (18), à meia-noite, milhões de brasileiros terão que adiantar os relógios em uma hora. É o início da temporada 2015/2016 do horário de verão nos estados do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, do Paraná, de São Paulo, do Rio de JaneiroEspírito Santo,de Minas GeraisGoiásMato GrossoMato Grosso do Sul e no Distrito Federal.
O principal objetivo da medida é, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a redução da demanda no período de ponta, entre as 18h e as 21h. A estratégia é aproveitar a intensificação da luz natural ao longo do dia durante o verão para reduzir o gasto de energia.
Entre os meses de outubro e fevereiro, os dias têm maior duração em algumas regiões, por causa da posição da Terra em relação ao Sol, e a luminosidade natural pode ser melhor aproveitada.
Segundo dados do Ministério de Minas e Energia (MME), o horário de verão representa uma redução da demanda, em média, de 4% a 5% e poupa o país de sofrer as consequências da sobrecarga na rede durante a estação mais quente do ano, onde o uso de eletricidade para refrigeração, condicionamento de ar e ventilação atinge o pico.
De acordo com o MME, quando a demanda diminui, as empresas que operam o sistema conseguem prestar um serviço melhor ao consumidor, porque as linhas de transmissão ficam menos sobrecarregadas.
Para as hidrelétricas, a água conservada nos reservatórios pode ser importante no caso de uma estiagem futura. Para os consumidores em geral, o combustível ou o carvão mineral que não precisou ser usado nas termelétricas evita ajustes tarifários.
Segundo o ONS, no horário de verão 2014/2015, a redução da demanda no horário de ponta foi cerca de 2.035 megawatts (MW) no subsistema Sudeste/Centro-Oeste, equivalente ao dobro do consumo de Brasília em todo o período em que esteve em vigor. No Subsistema Sul, a redução foi 645 MW, correspondendo a uma economia de 4,5%.
Os ganhos obtidos pela redução do consumo de energia global, que leva em conta todas as horas do dia, foram de cerca de 200 MW médios no Subsistema Sudeste/Centro-Oeste, o que equivale ao consumo mensal da cidade de Brasília, e 65 MW médios no Subsistema Sul, equivalente ao consumo mensal de Florianópolis.
De acordo com a assessoria de imprensa do ONS, a estimativa de economia para o horário de verão 2015/2016 será divulgada nos próximos dias e não deve ser muito diferente do ano passado.
Atualmente, o horário brasileiro de verão é regulamentado pelo Decreto 8.112, de 30 de setembro de 2013, que revisou o Decreto nº 8.556, de 8 de setembro de 2008. Ele começa sempre no terceiro domingo do mês de outubro e termina no terceiro domingo de fevereiro do ano subsequente, exceto quando coincide com o carnaval, caso em que é postergado para o domingo seguinte.

Convite

Olá amigos e seguidores de Caraguatatuba, eu conto a presença das lideranças e presidentes de associações de amigos de bairro e outros neste evento... 




Eu vou estar presente neste evento

Delegacia Virtual do Estado de São Paulo

Delegacia Virtual do Estado do Rio de Janeiro