segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Encontrar seus amigos é escrever uma nova história




Limpeza de outono com a familia



A estação mudou e, quando procuramos nos nossos guarda-roupas roupas apropriadas para as novas temperaturas, sempre acabamos encontrando algumas peças, acessórios e outras coisas que não usamos há meses ou até mesmo anos. Que tal aproveitar a ocasião e renovar o lar, abrir espaço para novidades e reorganizar sua casa?
Limpeza do guarda-roupa
Se cada vez que você abre seu guarda-roupa se sente numa seção de vendas, é hora de limpá-lo! Comece tirando tudo de dentro dele: assim você sabe exatamente quantas roupas têm e como está a qualidade de cada uma. Para decidir o que manter e o que dispensar, pense quantas vezes você já usou a peça nos últimos 6 meses, se não passar no teste, dobre e deixe de lado. O mesmo vale para sapatos e acessórios, separando o que tiver em condição precária.
Quando tiver terminado, organize as coisas que você vai manter em cabides e gavetas. Coloque as roupas e sapatos que você não usa dentro de sacos e caixas: eles podem ser doados para algumas instituições. As coisas que não estiverem mais tão boas devem ser jogadas fora.
Repita o processo com os armários das demais pessoas que moram na sua casa. Com certeza você vai encontrar um monte de coisas boas para doar aos mais necessitados.
Prateleira de livros
Sabe o material escolar do seu filho ou os livros que você nunca terminou de ler? E os filmes que não assiste mais, revistas velhas e CDs? Chegou a hora de dar um jeito nisso! Comece com o mais fácil: dê uma olhada nas revistas e artigos que deseja guardar e jogue o resto fora. Você pode organizar tudo em um caderno de recortes e, assim, conseguir ver rapidamente.
Os livros, filmes e CDs são mais complicados, mas você pode ter uma ajudinha de seus amigos. Talvez algum deles queiram aquele livro de poemas, outro seja super fã da mesma banda. O certo é manter coisas que ainda usa ou tenham um significado especial para você e sua família.
Adeus, brinquedos!
Nós não queremos que você se livre dos melhores amigos de seus filhos, mas o ideal é saber os que ainda estão em uso e são apropriados para suas idades e quais podem ser doados ou descartados. Peça para os pequenos uma ajudinha na hora de selecionar quais brinquedos estão em bom estado e quais estão quebrados, incompletos, sujos. Jogue fora o que estiver inutilizado para evitar acidentes futuros, limpe os sujos e, quando estiverem limpos, decida o que deve ficar ou não.
Para tornar mais fácil a vida das crianças, peça para selecionarem os brinquedos que não usam mais para dar a outras crianças e explique que é importante ajudar aqueles que precisam. Coloque esses objetos em caixas ou sacos para uma instituição de caridade, envolva seus filhos no processo para que eles tenham a chance de dizer "adeus" aos seus companheiros.
Depois de concluir estes três passos, é só limpar como de costume e pronto! Você vai notar que sua casa parecerá muito mais leve, isso sem contar que todo mundo vai se sentir melhor por ter ajudado alguém que precisa. Que tal começar essa faxina geral por aí agora?

Três dicas para manter roupas sociais impecáveis

Sabe quando você pensa na roupa perfeita para uma ocasião especial ou reunião importante e, quando pega a peça, se depara com um monte de bolinhas ou com amassados? 
Geralmente, nossas melhores roupas são aquelas que menos usamos e, por isso, ficam guardadas mais tempo. Isso ajuda para que elas fiquem empoeiradas ou cheias de pelos. Por isso, se você já se deparou com essa surpresa, agora ensinaremos como tirá-la de letra! Você não precisa correr para uma lavanderia, basta seguir estas dicas: 
  1. Evite produtos líquidos na limpeza: eles podem causar um desastre! Demoram muito para deixar as roupas limpas e, em alguns casos, até mancham a peça. Fique longe de produtos que você nunca usou antes, este não é o melhor momento para descobertas. 
  2. Cabelos e outras fibras presas nas roupas podem estragar tecidos mais delicados, como lã, por exemplo. Você pode removê-los com o Rolo Adesivo Scoth-Brite. O ideal é que você faça isso a cada 2 ou 3 meses nas roupas de festa ou de ocasiões mais sociais. O rolo adesivo Scotch-Brite mantém as roupas com uma aparência perfeita, de roupa nova e limpa. 
  3. Quer que suas roupas pareçam sempre novas? Ao invés de passar, use o vapor: além de ser mais efetivo, o método evita vincos e é a melhor forma de retirar cheiros desagradáveis.

Visita a Cuba abre 'novo capítulo' em relacionamento com EUA, diz Obama

O presidente americano, Barack Obama, em Washington, DC, no dia 18 de fevereiro de 2016

O presidente americano, Barack Obama, disse, neste sábado, que sua visita a ilha comunista de Cuba em março "abre um novo capítulo" nas relações bilaterais e é a melhor maneira de "promover os interesses e valores americanos" e ajudar o povo cubano.
"Bom dia a todos. Nesta semana, anunciamos oficialmente, vou a Cuba", declarou o presidente americano em seu discurso de rádio semanal.
A visita prevista para 21 e 22 de fevereiro reveste caráter histórico, pois o último presidente dos Estados Unidos a visitar Cuba durante seu mandato foi Calvin Coolidge, em 1928.
A viagem deverá "começar um novo capítulo em nosso relacionamento com o povo de Cuba", disse Obama.
"Acredito que a melhor maneira de promover os interesses e valores americanos, e a melhor maneira de ajudar o povo cubano a melhorar sua vida, é através do compromisso, mediante a normalização das relações entre nossos governos e o aumento dos contatos entre nossos povos", considerou o presidente.
De toda forma, Obama destacou que "a mudança não virá a Cuba do dia para a noite", já que se a ilha "se abrir mais, significarão mais oportunidades e recursos para os cidadãos cubanos".
Desde que chegou à Presidência, Obama argumenta que o compromisso faria mais para mudar Cuba que meio século de embargos e isolamentos impostos por governos anteriores.
Em dezembro de 2014, Obama anunciou que havia participado com o presidente Raúl Castro de conversas secretas para uma aproximação. As relações diplomáticas foram restabelecidas formalmente em julho de 2015.

Parlamento grego aprova seguro de saúde para 2,5 milhões de desempregados

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, em Bruxelas, no dia 19 de fevereiro de 2016

O Parlamento grego aprovou, na noite deste sábado, conceder cobertura de saúde a 2,5 milhões de pessoas privadas de seguro médico, como parte central de um programa de medidas destinado a atenuar o plano de austeridade em andamento.
A lei foi votada pela maioria governamental que inclui a esquerda radical Syriza e a direita nacionalista Anel, e que dispõe de 153 dos 300 deputados. A oposição de direita e de extrema direita se opôs, enquanto os socialistas, comunistas e centristas se abstiveram.
Além de dar acesso a seguro médico aos desempregados, a iniciativa inclui cuidados gratuitos para setores vulneráveis como crianças, deficientes e imigrantes.
Estas inciativas são parte do "programa paralelo" que o governo de Alexis Tsipras havia prometido como contrapartida social ao programa de austeridade exigido pelos credores gregos em troca de empréstimos de 86 bilhões de euros no último verão (boreal).

Testes para linha 4 do metrô do Rio de Janeiro começam em março



Os testes com trens na linha 4 do metrô do Rio de Janeiro, ligando Ipanema, na zona sul, à Barra da Tijuca, começarão a ser feitos a partir de março. Segundo o secretário de Transportes do Rio, Carlos Roberto Osório, os testes operacionais da parte elétrica e de sinalização foram iniciados em janeiro, mas os primeiros com os trens serão no início do mês que vem, entre as estações General Osório e Nossa Senhora da Paz, em Ipanema.
No mês seguinte, será a vez do trecho entre o Jardim Oceânico, na Barra, na zona oeste, e São Conrado, na zona sul. “A partir de maio, toda a linha estará em testes para a inauguração em julho. Cronograma mantido”.
Osório informou que o governo do estado vem trabalhando com empenho na implantação da linha 4, classificada como a maior obra de infra-estrutura urbana do Brasil.
“Estamos na reta final das obras com as fases mais difíceis já concluídas e nosso cronograma permanece inalterado com a entrega da linha 4 para julho deste ano a tempo para os jogos olímpicos de 2016. Será um grande legado para a população”, assegurou.
Comitê Olímpico: Para o secretário, não existe qualquer motivo de preocupação quanto ao não cumprimento do prazo. “Nós mantemos permanente contato com o Comitê Olímpico Internacional, que acompanha as obras que seguem em ritmo pleno até a sua conclusão”, completou. Sobre o financiamento, que é um ponto importante para a obra, ele disse que o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, tem a palavra e o compromisso da presidenta Dilma Rousseff para a liberação de recursos para a obra.
Recordou que o governador esteve recentemente em Brasília e recebeu a garantia do Ministério da Fazenda da liberação, ainda em fevereiro, da parcela necessária e, depois em maio, da última parcela de pagamentos. “Com isso, o metrô será entregue no prazo - em julho deste ano”, afirmou.
O governo do estado informou que, na próxima segunda-feira (22), o secretário Carlos Roberto Osório, e a presidente da RioTrilhos, Tatiana Carius, vão fazer, às 9h30, uma visita técnica aos canteiros da Linha 4 do Metrô, em Ipanema e São Conrado.
De acordo com o governo estadual, a obra atingiu 90% da conclusão e as estações estão em fase de acabamento. “Na reta final de construção dos túneis na zona sul, o tatuzão [equipamento usado para perfuração do solo] chegou neste sábado (20) ao fim do Leblon, quando concluiu a escavação em areia. Faltam só 200 metros em rocha para finalizar o eixo Barra-Ipanema, que estará disponível à população em julho, antes dos Jogos Olímpicos. Neste trecho, faltam ser instalados apenas 3 quilômetros trilhos”, informou o governo estadual.
Público beneficiado: Pelos cálculos do estado, a partir de julho serão transportadas por dia 300 mil pessoas, com a perspectiva da retirada das ruas de cerca de 2 mil veículos por hora/pico. A linha 4 terá 15 novos trens, que já estão em testes de circulação com passageiros nas linhas 1 e 2.
Em mensagem pela internet para o Comitê Olímpico Internacional, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, tinha demonstrado preocupação com o risco de as obras não terminarem no prazo esperado. A informação foi divulgada hoje em uma matéria do jornal O Globo. Mas pela manhã, antes de uma reunião com toda a equipe da prefeitura, o prefeito do Rio disse que as preocupações são naturais nesta fase de preparação para os jogos e que confia no cumprimento do cronograma da obra da linha 4 do metrô. Com informações da Agência Brasil.

Presidente do Conselho de Ética acionou STF sobre caso Cunha

O presidente do Conselho de Ética da Câmara, José Carlos Araújo (PSD-BA), entrou com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF), contra decisão do vice-presidente da casa, Waldir Maranhão (PP-MA).
Maranhão decidiu anular a aprovação do parecer do deputado Marcos Rogério (PDT-RO) de prosseguir com o processo de investigação contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e, desta forma, atrasou o andamento do processo de cassação do deputado.
Em 2015, parlamentares aliados de Cunha pediram mais tempo para analisar o processo, pedido este que foi negado por Maranhão. O deputado Carlos Marun (PMDB-RS) então questionou a decisão, que foi acolhida pela casa. Desde a volta do recesso parlamentar, o Conselho de Ética já se reuniu duas vezes para discutir o caso.
Ainda segundo a publicação, o relator releu o seu parecer pela continuidade do processo e, após a leitura, foi concedido pedido de vista por dois dias úteis. Estima-se que o relatório seja discutido ainda esta semana. Araújo afirma que a decisão de anular a votação realizada anteriormente, em dezembro, está “equivocada” e precisa ser revista pelo plenário ou pelo Supremo e por esta razão impetrou o mandado de segurança.

Descubra como encontrar seu celular em caso de perda ou roubo



Perder ou ter o celular roubado é algo bastante corriqueiro hoje em dia e, sendo algo tão necessário, ficar sem ele pode ser uma grande dor de cabeça.
Para não perder os contatos, fotos, músicas etc., a melhor solução é recuperar o aparelho. A BBC fez uma análise das melhores ferramentas para isso de acordo com cada sistema operacional, confira a seguir:
Para quem possui Android, a Google produziu uma ferramenta capaz de fornecer a localização do celular digitando apenas "find my phone" (traduzindo: ache meu celular) na busca do navegador que estiver logado em seu dispositivo. Não é nem necessário que o usuário tenha instalado ou ativado algo no aparelho.
Além disso, o usuário pode configurar o volume do toque para o máximo, para que facilitar na busca do celular, caso ele tenha se perdido dentro de casa.
Se tiver sido roubado, também é possível, através do site Google Device Manager, travar ou apagar os dados contidos no aparelho.
Quem possui um celular da Apple, pode utilizar a mesma ferramenta, porém logando no iCloud, onde poderá encontrar a opção "Find my phone". A diferença, porém, é que só funciona se o aparelho estiver logado na iCloud.
Para recupar dispositivos Windows também pode-se usar a mesma ferramenta e, novamente, o celular precisa estar logado.
Em todos os sistemas operacionais é necessário que o aparelho esteja ligado e conectado na internet, caso contrário, não irá funcionar.
Se o aparelho estiver sem bateria, para quem tem Android existe solução: o aplicativo Lookout, através da tecnologia "signal flare", registra a ultima localização de quando celular estava conectado à internet. O usuário pode ainda, com uma ferramenta premium, tirar uma foto de qualquer pessoa que tente utilizar o dispositivo. A foto é então enviada por email junto com a localização.
Câmeras digitais também podem ser rastreadas em caso de roubo. Para isso, utiliza-se os metadados escondidos (chamados de dados exif) em uma foto digital feita com a câmera.
Arrastando uma foto da câmera para a ferramenta de busca (stolencamerafinde.com), ela irá fazer uma busca pela internet, buscando dados que contenham o mesmo dado do número de série. Encontrando os dados, o dono da câmera poderá rastrear onde a foto foi feita com a ajuda deste site, regex_info/exif.cgi, que extrai todos os dados exif.
A polícia recomenda que o dono do celular ou da câmera que conseguir encontrar os aparelhos sempre entregue os dados para eles, e não tente ir sozinho atrás dos ladrões.

LG G5: este smartphone de metal é como o protótipo de um celular do futuro

Após semanas de especulação, o LG G5 foi apresentado oficialmente na Mobile World Congress. Esta é a quinta geração de smartphones carro-chefe da LG, e desta vez ele foi completamente reinventado: o G5 tem um corpo de alumínio, inclui um slot de expansão que nós nunca vimos em um celular antes, e suporta diversos acessórios que o fazem parecer mais como um brinquedo.
O G5 não inclui quaisquer dos principais elementos de design de seu antecessor, como botões de volume na traseira - a empresa estava realmente tentando fazer algo diferente. A série G nunca foi acusada de ser feia, mas sem dúvida fez algumas pessoas hesitarem quando viam smartphones de alumínio e vidro como o Samsung Galaxy S6 ou o iPhone.
lg g5 (13)
Agora, o G5 é como Slayer - puro metal. E embora o G5 pareça bonito envolto em todo esse alumínio, parece que a LG está correndo atrás de empresas como Samsung e Apple, que têm mais experiência em criar smartphones com estes materiais.
Eu passei cerca de uma hora com o G5, e minha impressão é que este é um belo esforço inicial. Apesar da traseira metálica, é possível trocar a bateria de 2.800 mAh, graças a um fundo removível na traseira. A LG acredita que o uso de metais não significa sacrificar a utilidade do hardware, nem dar ao seu smartphone uma data de validade, como o Galaxy S7 ou iPhone.
Sem bateria fixa para arruinar a vida útil do telefone!
Magic Slot exposto.
É esse mesmo truque de bateria, chamado de "Magic Slot", que permite ao G5 fazer algumas coisas extras se aliado a outros gadgets.
Um deles é uma câmera que desliza na parte inferior, assim como o slot normal da bateria. Ela oferece zoom físico e controles de obturador junto a uma bateria extra (somada à bateria principal, são quase 4.000 mAh). Outro módulo inclui um DAC de áudio de alta definição, que poderia ser útil para audiófilos.
lg g5 (3)
A bola robótica da LG para irritar o seu gato e para seu cão destruir
Muitos dos outros "recursos" são na verdade dispositivos autônomos, como uma câmera de 360 ​​graus (que se parece muito com a Ricoh Theta), um headset VR, e até mesmo uma bola controlada pelo smartphone para você assistir à sua casa ou perturbar seus animais de estimação em qualquer lugar do mundo.
Estes dispositivos extras são operados através de um aplicativo pré-carregado que se conecta automaticamente a um dispositivo quando ambos estão ligados. O aplicativo pode até baixar apps secundários para os dispositivos conectados. A ideia é criar uma conexão Bluetooth perfeita e sem complicações entre o smartphone e todo acessório que você possa ter. Cada dispositivo é vendido separadamente.
lg g5 (5)
Headset de realidade virtual da LG, que não exige smartphone e não vai competir de frente com o Oculus Rift
Mas esse desejo de fazer algo diferente vem com alguns erros infelizes. O botão liga/desliga na traseira, que também é o sensor de impressão digital, não parece tão firme quanto deveria - um problema semelhante que vimos no LG V10 também.
Além disso, o "Magic Slot" não se alinha bem ao resto do aparelho. Você pode ver que as bordas não se alinham, e fazem o G5 parecer mais barato do que realmente é. Isto também aniquila qualquer esperança de que este aparelho seja à prova de água ou de poeira.
lg g5 (7)
Você precisa apertar este botão a fim de liberar o compartimento da bateria.
O G5 é equipado com o processador Snapdragon 820 e 4 GB de RAM, tornando-o bastante ágil aos seus comandos. São 32 GB de armazenamento interno expansíveis por microSD.
A LG também melhorou sua excelente câmera de 16 megapixels, adicionando um segundo sensor de 8 megapixels e uma lente de 135 graus. As poucas fotos que eu pude tirar eram incríveis, tinham ângulo aberto, e foram feitas costurando informações de ambos os sensores em tempo real. É bem legal!
No lado do software, a LG continuou a fazer algumas grandes melhorias. O menu de notificação do G5 está muito mais compacto e melhor concebido do que no G4. Os menus parecem mais limpos, e não havia um excesso de apps desnecessários (pelo menos no modelo que eu testei). A maior vantagem é que a LG não colocou uma segunda tela, tal como no LG V10. Em vez disso, ela incluiu notificações "always on" na tela de bloqueio, que gastam pouca energia e lembram o Moto Display.
lg g5 (12)
Mas a interface da LG ainda tem alguns defeitos. O maior deles é o fim da gaveta de apps: agora, cada aplicativo que você baixar ocupa a área de visualização na tela inicial, assim como no iOS. A LG diz que isso torna o smartphone mais limpo, mas eu acho exatamente o oposto.
Como este smartphone roda Android (é a versão 6.0 Marshmallow), você pode facilmente corrigir isso baixando outro launcher. Mas é estranho que a LG seja tão decisiva em manter um diferencial no hardware do Android (bateria removível), e ao mesmo tempo se livrar de algo tão característico do sistema.
lg g5 (9)
- OS: Android 6.0 Marshmallow com LG UX
- Tela: 5,3 polegadas, display LCD IPS, 2560x1440 pixels (554 PPI)
- Armazenamento: 32GB + microSD de até 2TB
- Bateria: 2.800 mAh
- Peso: 159 gramas
- Nota: ouvi somente Slayer ao escrever este post.



'As redes sociais deram voz aos imbecis': 17 frases e lições de Umberto Eco

Umberto Eco faleceu aos 84 anos

Discutir a comunicação, a cultura e a sociedade, aliadas às novas tecnologias, foi um dos motes favoritos do escritor e intelectual italiano Umberto Ecomorto aos 84 anos nesta sexta-feira (19), em Milão (Itália). Ele sofria de câncer e faleceu às 22h30 (horário local), em sua casa, segundo a família confirmou ao jornal La Repubblica.
O sepultamento do corpo do escritor acontece na próxima terça-feira (23), informou o La Repubblica, adicionando ainda que o último livro de Eco, Pape Aleppe Satan, será lançado em maio.
Tido em seu país natal como “o homem que sabia de tudo”, dado o seu grande conhecimento, Eco apresentou muitas lições acessíveis por meio de frases marcantes.
O HuffPost Brasil compilou 17 delas não só como forma de homenagear esta figura marcante da sociedade contemporânea, mas também para demonstrar que o mundo fica mais pobre. Com o perdão do trocadilho, todos nós ‘perdemos Eco’.
“As mídias sociais deram o direito à fala a legiões de imbecis que, anteriormente, falavam só no bar, depois de uma taça de vinho, sem causar dano à coletividade. Diziam imediatamente a eles para calar a boca, enquanto agora eles têm o mesmo direito à fala que um ganhador do Prêmio Nobel. O drama da internet é que ela promoveu o idiota da aldeia a portador da verdade”.
Depois de uma cerimônia em que recebeu o título de doutor honoris causa em comunicação e cultura na Universidade de Turim, em 2015.
“A internet não seleciona a informação. Há de tudo por lá. A Wikipédia presta um desserviço ao internauta. Outro dia publicaram fofocas a meu respeito, e tive de intervir e corrigir os erros e absurdos. A internet ainda é um mundo selvagem e perigoso. Tudo surge lá sem hierarquia. A imensa quantidade de coisas que circula é pior que a falta de informação. O excesso de informação provoca a amnésia. Informação demais faz mal. Quando não lembramos o que aprendemos, ficamos parecidos com animais. Conhecer é cortar, é selecionar”.
Em entrevista à Revista Época, em 2011.
"Atribuem-me muitas frases célebres de outros. Ou mesmo situações erradas como a que me atribuíram há uns anos de que eu dissera que um escritor famoso tinha morrido e até o jornal The New York Times me ligou para confirmar. Mas nem sempre confirmam se é verdade, o que já não me incomoda porque acredito na fraqueza da memória das pessoas. Sabemos sempre que no dia a seguir já nada é notícia".
Em entrevista ao Diário de Notícias, de Portugal, em 2015.
“O livro ainda é o meio ideal para aprender. Não precisa de eletricidade, e você pode riscar à vontade. Achávamos impossível ler textos no monitor do computador. Mas isso faz dois anos. Em minha viagem pelos Estados Unidos, precisava carregar 20 livros comigo, e meu braço não me ajudava. Por isso, resolvi comprar um iPad. Foi útil na questão do transporte dos volumes. Comecei a ler no aparelho e não achei tão mau. Aliás, achei ótimo. E passei a ler no iPad, você acredita? Pois é. Mesmo assim, acho que os tablets e e-books servem como auxiliares de leitura. São mais para entretenimento que para estudo. Gosto de riscar, anotar e interferir nas páginas de um livro. Isso ainda não é possível fazer num tablet”.
Em entrevista à Revista Época, em 2011.
“O problema da internet é que produz muito ruído, pois há muita gente a falar ao mesmo tempo. Faz-me lembrar quando na ópera italiana é necessário imitar o ruído da multidão e o que todos pronunciam é a palavra ‘rabarbaro’. Porque imita esse som quando todos repetem ‘rabarbaro rabarbaro rabarbaro’, e o ruído crescente da informação faz correr o risco de se fazer ‘rabarbaro’ sobre os acontecimentos no mundo.”
Em entrevista ao Diário de Notícias, de Portugal, em 2015.
“Eu pessoalmente gosto de livros fáceis que me fazem dormir imediatamente”.
Em entrevista à Revista Vogue, em 1995.
“Creio que o que nos tornamos depende do que nossos pais nos ensinam em momentos estranhos, quando eles não estão tentando nos ensinar. Nós somos formados por pequenos pedaços de sabedoria”.
Trecho do livro Pêndulo de Foucault (1988).
“Populismo midiático significa apelar diretamente à população por meio da mídia. Um político que domina bem o uso da mídia pode moldar os temas políticos fora do parlamento e até eliminar a mediação do parlamento”.
Em entrevista ao jornal americano The New York Times, em 2007.
“Sou firmemente da opinião que o Macintosh (denominação dos computadores Mac da Apple até 1997) é católico e o DOS (sistema operacional usado em computadores pessoais nos anos 1980 e 1990) é protestante. De fato, o Macintosh é contra-reformista e foi influenciado pelo ‘ratio studiorum’ (o plano de padronização da educação) dos jesuítas. Ele é caloroso, amigável, conciliador, diz ao fiel como ele deve proceder, passo a passo, para alcançar, se não o Reino dos Céus, o momento em que o documento é impresso. Ele é catequista: lida-se com a essência da revelação por meio de fórmulas simples e ícones esplêndidos. Todos têm direito à salvação.”
Em ensaio de 1994.
“Essa é minha maneira de contribuir para esclarecer algumas coisas. O intelectual não pode fazer nada, não pode fazer a revolução. As revoluções feitas por intelectuais são sempre muito perigosas”.
Em entrevista à Agência EFE, em 2015.
“A aprendizagem não consiste apenas em saber o que devemos ou podemos fazer, mas também saber o que poderíamos fazer e, talvez, não deveríamos”.
Trecho do livro O Nome da Rosa (1980).
“Na medida em que envelheci, comecei a odiar a humanidade. Portanto, se eu tivesse um poder absoluto, deixaria que ela continuasse em seu caminho de autodestruição. Ela seria destruída e eu ficaria mais feliz. Pessoas como eu são intelectuais: nós fazemos o nosso trabalho, escrevemos artigos, temos maneiras de protestar, mas não podemos mudar o mundo. Tudo o que podemos fazer é apoiar a política de empatia”.
Em coluna ao portal UOL, em 2016.
“Assim eu redescobri o que os escritores sempre souberam (e disseram-nos uma e outra vez): livros sempre falam de outros livros, e cada história conta uma história que já foi contada”.
“Eu passei a acreditar que o mundo inteiro é um enigma. Um enigma inofensivo que é feito por nossa própria tentativa de interpretá-lo, como se houvesse nele uma verdade subjacente”.
“Todos os poetas escrevem poesia ruim. Poetas ruins as publicam, poetas bons as queimam”.
"Nós temos um limite, muito desencorajador e humilhante: a morte. É por isso que nós gostamos de todas as coisas que nos parecem ilimitadas e, portanto, sem fim. É uma forma de fugir dos pensamentos sobre a morte. Nós gostamos de listas porque não queremos morrer".
Entrevista à revista alemã Der Spiegel, em 2009.
“Quando os homens pararem de acreditar em Deus, isso não significará que eles não acreditam em nada, mas que eles acreditam em tudo”.
Quem foi Umberto Eco
Pilar internacional de toda uma disciplina, a Semiologia, que marcou os estudos de Comunicação no mundo, Eco também deixa um imenso e singular legado sobre estudos de estética. Eco foi antes de mais nada um intelectual brilhante e reconhecido por sua obra sobre a estética medieval e sobre a filosofia da arte. Nascido em Alexandria, nas imediações de Turin, em 1932, diplomou-se em Filosofia em 1954 na Universidade de Turin. Sua formação diz muito: discípulo do grande filósofo antifascista Luigi Pareyson, defendeu uma tese de fim de estudos sobre Thomas de Aquino, que seria publicado dois anos mais tarde sobre o nome O Problema Estético em Tomas de Aquino.
Em pouco tempo, seu brilhantismo o tornaria reconhecido em todo o mundo. Depois de publicar O Desenvolvimento da Estética Medieval, em 1959, Eco mudou os rumos da crítica da arte no Século 20 com dois textos fundamentais: Obra Aberta, de 1962, e Apocalípticos e Integrados, de 1964.
Esses livros, somados a A Definição da Arte e a A Estrutura Ausente, são referências na compreensão da história da estética, sobretudo no que diz respeito às relações entre a filosofia da arte, a linguística e a comunicação de massa na segunda metade do século passado. Para Eco, a estética não pode ser dissociada em diferentes ramos - não há uma "estética da pintura", ou uma "estética do cinema".
Em Obra Aberta, o autor ajudou a romper com a ideia de que um objeto artístico é algo acabado, com uma interpretação única e fechada ditada pelo artista. Essa crítica, de "um novo modo de entender a relação com a obra e sua fruição por parte do público", seria compartilhada então por nomes como o poeta concretista Haroldo de Campos.
Ao longo dos anos 1960, Eco se transformaria em uma referência mundial na Teoria da Comunicação ao se integrar à chamada Escola Sociológica Europeia, da qual faziam parte nomes como Edgar Morin, Jean Baudrillard ou Roland Barthes. Esse grupo foi marcado por uma visão menos negativa sobre os meios de comunicação de massa, dissociando-se das críticas funcionalistas e da Escola de Frankfurt.
Tido como uma autoridade nos meios acadêmicos, Eco se transformaria, ele próprio, em um exemplo de fenômeno na cultura de massa com a publicação de um best seller mundial. Em O Nome da Rosa, de 1980, fez convergir em uma história de ficção várias de suas áreas de interesse: a história, a filosofia, a estética medieval e a semiótica. Sucesso extraordinário de público e crítica, com mais de 17 milhões de livros vendidos, o thriller policial medieval venceu, entre outros, o Prêmio Médicis de Melhor Romance estrangeiro em 1982. Em 1986, seu livro foi adaptado para o cinema por Jean-Jacques Annaud, comSean Connery e Christian Slater.
O toque de ironia: sua carreira tardia de escritor de sucesso só teve início graças à encomenda feita por uma editora que desejava lançar livros policiais curtos e contemporâneos escritos por "não-romancistas". Ao entregar o livro, Eco apresentou um romance de suspense de mais de 500 páginas ambientado na Idade Média.
A carreira de ficcionista continuou em 1988 com O Pêndulo de Foucault e a seguir em 1994, com A Ilha do Dia Anterior, romances cuja publicação foi esperada em todo o mundo. Em 2015, em seu último romance, Número Zero, que se passa em 1992, Eco revê a história de seu país a partir do fim da 2ª Guerra Mundial, destilando sua fina ironia sobre temas como a máfia, a corrupção e, claro, o jornalismo contemporâneo, alvo de crítica mordaz.
Cínico, seu personagem afirma no curso de uma reunião de redação: "Seria conveniente, para o prazer de nosso editor, que nós encontrássemos um meio de lançar sombras de suspeitas sobre esse juiz intrometido. Saiba que hoje, para responder a uma acusação, não é necessário provar o contrário, basta deslegitimar o acusador".
Mesmo crítico, Eco jamais abandonou sua paixão pela informação, pelo jornalismo e pela comunicação - ele havia começado, em 1955, como assistente em programas culturais da rede de televisão RAI. Ao longo de sua vida, foi articulista assíduo e leitor inveterado da imprensa italiana e internacional. Eco se dizia fiel à ideia de Hegel de que jornais são "a reza cotidiana do homem moderno".
Até por admirá-la, o autor lamentava a recente pulverização da informação nas novas tecnologias e, sobretudo, a superficialidade de alguns veículos de mídia. "A imprensa exigente deve aprofundar a atualidade, abrir espaço às ideias", pregou em entrevista ao jornal Le Monde em maio passado, mostrando absoluta clareza de raciocínio.

Reflexão


Delegacia Virtual do Estado de São Paulo

Delegacia Virtual do Estado do Rio de Janeiro