A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

domingo, 9 de agosto de 2015

Cadê o compromisso social com estes moradores? Ninguém esta conseguindo dormir local.

Na madrugada da noite de sábado dia 09/08 foi marcada e será difícil destes moradores esquecerem o houve e alguns dos moradores do bairro Rio do Ouro/ Caraguatatuba estão neste momento chateados com os vereadores Nezão, Baduca e Neto Bota pelo barulho que rolou na madrugada depois do BINGO. 
A policia já foi chamada VARIAS VEZES, mas nenhuma viatura apareceu no local segundo relato dos moradores... 


Líderes do PMDB buscam fortalecer Temer

<p>O objetivo é construir um caminho político que leve o vice a ser visto como a alternativa segura para superar a crise.</p>

Com a popularidade de Dilma em baixa, líderes do PMDB estão trabalhando para dar condições ao vice-presidente Michel Temer de governar caso a crise política se aprofunde e resulte no afastamento da presidente. 
Para isso, os articuladores buscam apoio do setor empresarial e estão dialogando com líderes da oposição. O objetivo é construir um caminho político que leve Temer a ser visto como a alternativa mais segura para superar a crise.
Apesar de ainda não estar maduro, os aliados parecem estar no caminho certo. Isso porque, na quarta-feira (5), as federações estaduais das indústrias de São Paulo e Rio expressaram publicamente apoio ao vice.
Como recorda a Folha, no campo político, tanto petistas quanto a oposição apontam o senador Romero Jucá (PMDB-RR) como um dos entusiastas dessa articulação pró-Temer. Já ministros próximos à Dilma temem que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) embarque nesse movimento, pois isso poderia enfraquecer ainda mais a presidente.

Criada por Cunha, CPI do BNDES mira em Lula

Os primeiros requerimentos apresentados na CPI do BNDES da Câmara apontam que o foco da comissão deverá ser as atividades do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A comissão foi instalada na quinta-feira após o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciar rompimento com o governo da presidente Dilma Rousseff. Ele é investigado pela força-tarefa da Operação Lava Jato.
Lula é alvo de três pedidos de convocação para prestar depoimento na comissão, instalada na quinta-feira. Apresentados pelos deputados Raul Jungmann (PPS-PE), Cristiane Brasil (PTB-RS) e Carlos Melles (DEM-MG), os pedidos partem da suspeita de que o ex-presidente, por meio do Instituto Lula, atuou no exterior como lobista de grandes empresas beneficiárias de empréstimos do BNDES. 
Lula é alvo de procedimento investigatório criminal da Procuradoria da República no Distrito Federal, que investiga se houve tráfico de influência internacional de Lula em favor da construtora Odebrecht no exterior. 
Ao negar a acusação, o Instituto Lula afirma que o petista jamais atuou como lobista, nunca foi de conselho ou diretor de empresa nem contratado para consultorias. Segundo a entidade, o que o ex-presidente fez foi defender interesses de várias empresas e do próprio País no exterior, além de ter dado palestras.
Jungmann também apresentou requerimentos para convocar o filho de Lula, Fábio Luiz, e quebrar seus sigilos fiscal, bancário e telefônico. O deputado alega que a empresa de Fábio, a Gamecoorp, foi beneficiada em negócio suspeito com a Oi-Telemar, empresa com participação acionário do BNDES. 
Foram protocolados ainda pedidos de convocação dos ex-ministros da gestão Lula, como Antonio Palocci (Fazenda), Guido Mantega (Economia) e Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), além de Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula. 
Também poderão ser chamados empresários próximos a Lula, como os acionistas da JBS, Wesley e Joesley Batista, e executivos ligados a empreiteiras investigadas pela Operação Lava Jato, como Marcelo Odebrecht e Léo Pinheiro (ex-presidente da OAS). 
Além disso, há requerimentos de pedidos de informações sobre contratos do BNDES no Brasil e no exterior entre 2003 e 2015, que abrangem os governos de Lula e sua sucessora, a presidente Dilma Rousseff.
Os 71 requerimentos apresentados até a noite de sexta-feira serão colocados em votação na próxima sessão, marcada para terça-feira. O presidente da comissão, deputado Marcos Rotta (PMDB-AM), afirmou que os documentos serão apreciados por ordem de registro. 
Relação. Deputados querem esmiuçar atuação em prol de empresas financiadas pelo BNDES
O primeiro deles, de autoria do deputado Miguel Haddad (PSDB-SP), é um pedido de convocação do presidente do BNDES, Luciano Coutinho, que já encaminhou carta à comissão colocando-se à disposição. “É claro que depois, politicamente, vamos ver como administrar isso”, diz Rotta, referindo-se aos pedidos de convocação de Lula. O primeiro a apresentar pedido para ouvir o petista foi Raul Jungmann. 
Apelo
Marcos Rotta lembra que, ao ser eleito presidente, fez um apelo para que os trabalhos da comissão não fossem contaminados pela politização. “Eu sei que é difícil”, reconhece. 
Relator da CPI, o deputado José Rocha (PR-BA) classificou os pedidos de convocação do ex-presidente como “politização pura”. Ele afirma que serão priorizadas demandas do ponto de vista “técnico”. Para o petista, a comissão “não pode ser espaço de pirotecnia.” 
Autor de 19 requerimentos, Jungmann diz ser “imprescindível” para a comissão ouvir o petista, mas pondera que “não será fácil”. “Vai depender essencialmente do PMDB.”

Após vitória, Glover diz que faz parte da elite do UFC e desafia Cormier

Poucos minutos após vencer Ovince Saint Preux no UFC Fight Nicht 73, Glover Teixeira disse que ainda faz parte da elite do peso meio-pesado do UFC.
Glover Teixeira venceu Ovince Saint Preux no sábado
"Do jeito que a divisão está atualmente, vocês precisam mencionar meu nome quando falarem dos lutadores tops. Estou lá (na elite). Vamos ver o que a organização faz", disse o brasileiro de 35 anos. 
Glover, que tem um cartel de 23 vitórias e quatro derrotas espera ter uma nova chance de lutar pelo cinturão. A vitória na noite de sábado colocou fim a uma sequência de duas derrotas. Em abril do ano passado, ele foi derrotado por Jon Jones. Em outubro seu algoz foi Phil Davis, em um combate no qual ele teve muitas dificuldades para bater o peso.
"Eu sigo dando desculpas por causa daquela luta, mas foi horrível alcançar o peso. Eua credito que 50% dos lutadores não lutariam naquela situação. Me senti muito mal. O dia de recuperação foi muito ruim", afirmou.
"Eu tenho um sonho, que é ser campeão. Este sonho não foi por água abaixo. Contra OSP me senti melhor do que nunca", completou o brasileiro.
Quarto colocado do ranking dos meio-pesados, Glover aproveitou para desfiar Daniel Cormier, atual campeão da categoria.
"Cormier, eu te disse antes. Estou indo atrás de você, baby", provocou.

Após vitória, Glover diz que faz parte da elite do UFC e desafia Cormier

Glover Teixeira venceu Ovince Saint Preux no sábado

Poucos minutos após vencer Ovince Saint Preux no UFC Fight Nicht 73, Glover Teixeira disse que ainda faz parte da elite do peso meio-pesado do UFC.
"Do jeito que a divisão está atualmente, vocês precisam mencionar meu nome quando falarem dos lutadores tops. Estou lá (na elite). Vamos ver o que a organização faz", disse o brasileiro de 35 anos. 
Glover, que tem um cartel de 23 vitórias e quatro derrotas espera ter uma nova chance de lutar pelo cinturão. A vitória na noite de sábado colocou fim a uma sequência de duas derrotas. Em abril do ano passado, ele foi derrotado por Jon Jones. Em outubro seu algoz foi Phil Davis, em um combate no qual ele teve muitas dificuldades para bater o peso.
"Eu sigo dando desculpas por causa daquela luta, mas foi horrível alcançar o peso. Eua credito que 50% dos lutadores não lutariam naquela situação. Me senti muito mal. O dia de recuperação foi muito ruim", afirmou.
"Eu tenho um sonho, que é ser campeão. Este sonho não foi por água abaixo. Contra OSP me senti melhor do que nunca", completou o brasileiro.
Quarto colocado do ranking dos meio-pesados, Glover aproveitou para desfiar Daniel Cormier, atual campeão da categoria.
"Cormier, eu te disse antes. Estou indo atrás de você, baby", provocou.

Após morte do traficante Playboy, 400 policiais ocuparão complexo da Pedreira

O batalhão especial da Polícia Civil do Rio de Janeiro decidiu ocupar por tempo indeterminado o Morro da Pedreira, em Costa Barros, na zona norte do Rio de Janeiro, após a operação que resultou na morte do traficante Celso Pinheiro Pimenta, conhecido como Playboy.
A ocupação do conjunto de favelas da Pedreira será feita por pelo menos 400 agentes da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais), a tropa de elite da Polícia Civil.
A ação foi determinada pela Secretaria de Segurança Pública do Rio, segundo o Coronel da Polícia Militar Antonio Goulart, responsável pelo setor de inteligência da corporação.
Em entrevista à imprensa, Goulart classificou a operação da manhã como "uma ação cirúrgica bastante exitosa" e descreveu a ocupação das favelas como uma ação "preventiva" a retaliações dos traficantes. Segundo a PM, o traficante foi baleado após disparar contra os policiais. No local da troca de tiros foram encontrados uma pistola e um fuzil.
"A Core vai ocupar o complexo da Pedreira por tempo indeterminado por ordem da Secretaria. A força da PM está empenhada para evitar qualquer tipo de transtorno na comunidade, qualquer ação orquestrada do tráfico", afirmou Goulart.
"A gente conhece a realidade do Rio de Janeiro. Quando algum líder do trafico é morto, existe articulação por parte das pessoas ligadas ao tráfico para fechar o comércio. Estamos fazendo a ocupação de forma preventiva de modo a minimizar os riscos", completou.
Segundo a Polícia Militar, a operação de captura do traficante foi articulada após informações privilegiadas sobre sua localização. Ao menos cem policiais participaram da operação, iniciada às 7h e só concluída no início da tarde.
Os policiais cercaram a casa da namorada de Playboy, que revidou com tiros. Ele foi baleado no abdômen e levado em carro blindado ao Hospital Federal de Bom Sucesso, na zona norte do Rio, mas não resistiu.
"Não é uma ação simples, em se tratando de quem era, um traficante que não anda sozinho, com uma rede de colaboradores, informantes e proteção. O resultado foi bastante exitoso em função da ação cirúrgica. Não teve nenhum tipo de dificuldade, vazamento, ou intercorrência e não colocou em risco a comunidade. A operação não termina hoje", resumiu o coronel Antonio Goulart.
O fundador da ONG AfroReggae, José Júnior, publicou um vídeo na sua página na internet com um trecho de uma conversa com o traficante, gravada em 29 de janeiro de 2015. Segundo Júnior, a conversa ocorreu a convite de traficantes aliados de Playboy com o objetivo de intermediar uma possível rendição do traficante. O encontro foi gravado pelo jornalista Leslie Leitão, da Revista Veja. A publicação da entrevista estava condicionada à sua rendição ou à sua morte, segundo o coordenador do AfroReggae.
No único trecho da conversa divulgado, Playboy diz que "as circunstâncias da vida" não permitiram que ele fosse um trabalhador. Questionado por José Junior sobre quem ele era, o traficante de 32 anos responde: "Sou um ser humano que tentou ser trabalhador, mas a circunstância da vida não permitiu".
Playboy era investigado há cerca de um ano pela Polícia Federal. Ele era apontado como um dos líderes da facção ADA (Amigo dos Amigos). Além do tráfico de drogas, atuava também como chefe de uma quadrilha de roubo de cargas. Nos últimos anos, comandou, em parceria com traficantes do Complexo do Caju, tentativas de invasão de favelas do Complexo da Maré, ambos na zona norte, levando terror aos moradores.
De acordo com o Coronel Antonio Goulart, a PM monitora informações de que traficantes aliados poderiam tentar retomar a ocupação na Maré, mas não deu detalhes de ações previstas pela corporação. Playboy já tinha sido condenado a 15 anos e oito meses de prisão por tráfico, roubo e homicídio qualificado. Ele estava foragido desde 2009.
O traficante pertenceu à quadrilha de Pedro Machado Lomba Neto, o Pedro Dom, especializada em assalto a residências. Jovem da classe média carioca que ingressou cedo no crime, Pedro Dom foi morto pela polícia em 2005, na Lagoa (zona sul).