A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Pressão de 15 x 9 após os 60 anos é normal, aponta pesquisa americana Grande revisão sobre a hipertensão arterial conclui que o valor de 12 x 8 não precisa necessariamente ser o almejado para todos e pode ser maior

Uma grande revisão de pesquisas sobre hipertensão arterial feita por renomados cientistas indicados pelo Ministério da Saúde Norte Americano (NIH) chegou a uma conclusão muito importante, em dezembro passado, de que os valores da pressão arterial para pessoas com mais de 60 anos não precisa necessariamente ser a almejada para todos, de 12 x 8, pode ser um pouco maior: 15 x 9.
Porque desta mudança? O "custo x benefício" para alcançar aquela pressão considerada normal, determinava vários problemas, como mais medicações e em consequência mais efeitos colaterais, em pessoas sabidamente mais sensíveis aos medicamentos. A quantidade de mortes e complicações nos idosos medicados para atingir 12 x 8, comparada com os idosos medicados regularmente, mas que mantinham a pressão entre 14 e 15 x 8 ou 9 foi semelhante, não valendo a pena insistir em baixar bastante a pressão, a qualquer custo!
medindo pressão euatleta (Foto: Getty Images)
Há décadas a Medicina insistia que a pressão arterial de um paciente deveria ficar abaixo de 14 x 9 e há três anos mudou para 12 x 8. Essa aparente contradição, escutada de tempos em tempos, pode parecer incompetência dos cientistas, mas na verdade é uma transparência total. Afinal, os estudos chamados de longitudinais, quando se acompanham milhares de pacientes por muitos anos (entre seis e dez anos), rigorosamente, estão finalizando agora, mudando conclusões da época de pesquisas com 30 a 50 pacientes por alguns meses.
Enfim, ficamos assim, todo individuo com hipertensão arterial, dependendo da idade tem objetivos diferentes a atingir, abaixo dos 60 anos o alvo é 12 x 8 e acima dessa idade 14 ou 15 x 9, levando-se em conta na individualização do tratamento, as repercussões da hipertensão ocorridas nos organismo do paciente.
Não adianta suspender os tratamentos medicamentosos sem orientação médica, não adianta abandonar a atividade física aeróbica e de fortalecimento muscular, hoje parte importante do sucesso de um tratamento cardiovascular por dificuldades pessoais. Não adianta voltar a consumir sal sem controle algum, por nunca ter sentido nada! A hipertensão arterial é uma doença traiçoeira que pode subitamente provocar um derrame cerebral, um infarto do miocárdio e que precisa de tratamento contínuo pelo resto da vida.
* As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com.

Nenhum comentário: