A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Dizem que o Sexo e Atividade Física tem tudo haver


Estudos comprovam que o sexo é bom para:

O coração − durante a excitação, os batimentos cardíacos aumentam cerca de 72%, o equivalente ao exercício na esteira.

A pele − o prazer sexual favorece a produção de estrogênio e do colágeno natural. A temperatura do corpo sobe, há sudorese e afluxo de sangue para a superfície da pele que, mais irrigada e estimulada, resiste ao envelhecimento.

Circulação − as artérias dilatam, provocando sensação de bem-estar.

Queima de calorias − no sexo se gastam, em média, 5 calorias por minuto, um número equivalente ao que se consome caminhando.

Cólica menstrual − a liberação de endorfina propicia equilíbrio hormonal e torna a menstruação menos dolorosa.

Retardar o envelhecimento − o hormônio ocitocina que inibe a ação de radicais livres que aceleram o envelhecimento é liberado no ato sexual.

Combater estresse e insônia − no sistema límbico ocorre uma descarga de endorfina, responsável pela sensação de prazer.

O humor − o sexo prazeroso intensifica a ação das substâncias produzidas pelo cérebro (serotonina e dopamina), provocando relaxamento e bom humor.

Diminuição da dor − as carícias estimulam os centros nervosos e esses estímulos chegam aos músculos. O opiáceo natural (espécie de anestésico) pode diminuir a dor muscular.

Mas se queres sentir mais prazer (no SEXO) acrescente o uso de atividade física.

Se a questão é a qualidade do sexo e não a quantidade, a prática esportiva parece ser a recomendação mais adequada. Exercícios aumentam a resistência na hora H, especialmente se trabalharem regiões como os ombros, o peito, as nádegas e as pernas. Em outras palavras, você vai demorar muito mais pra ficar esgotado durante a relação sexual.

Outro efeito importante é a melhora em toda a circulação sanguínea, dos órgãos genitais inclusive. No caso dos homens, esse feito é particularmente importante, pois é o primeiro passo para o tratamento da impotência.
Nas mulheres que têm uma vida sedentária, o efeito é uma diminuição considerável do prazer pela falta de irrigação abundante nos órgãos sexuais.

Já se sabe que a atividade física faz aumentar a produção de serotonina, a substância relacionada ao prazer e ao bem-estar, mas é importante saber que ela faz aumentar satisfação com o próprio corpo. A auto-estima dispara.

A produção de endorfina também cresce. Por ser um analgésico e relaxante natural, torna o ato sexual mais prazeroso e aumenta a autoconfiança.

A produção de dois outros hormônios também se beneficia pelo esporte: a testosterona e o estrogênio. O primeiro, produzido em menor escala na mulher, é essencial para a sexualidade. O estrogênio, o hormônio feminino, em maior quantidade no organismo graças à prática esportiva, preserva a estrutura da vagina e ajuda na sua lubrificação.

Nenhum comentário: