A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O lutador Anderson Silva veio a público nesta quinta-feira para negar que tenha recebido uma proposta de patrocínio de um polêmico site. O norte-americano Ohhtel.com, voltado para pessoas insatisfeitas sexualmente em seus casamentos, divulgou também nesta quinta uma nota afirmando que procurou o lutador para uma oferta milionária. Minotauro retribui favor de Cigano, prepara pupilo para a disputa do título e manda recado Inglês diz que Anderson ainda não varreu categoria: 'falta me enfrentar' Panini inicia venda de álbum de figurinhas com Anderson Silva e Maurício Shogun A proposta, de acordo com o site, foi de R$ 1 milhão, com bonificação de R$ 50 mil por luta ganha ao atual campeão dos médios do UFC, que recentemente venceu Yushin Okami no UFC Rio. O contrato de cinco anos incluiría participar de campanhas publicitárias e incluir a marca em seu calção nos combates. "Pessoal, não recebi proposta de nenhum site, como foi passado para a mídia. Mesmo se recebesse, não aceitaria esse tipo de proposta", afirmou o lutador, pelo Twitter. A 9ine, empresa do ex-jogador de futebol Ronaldo, responsável pelo gerenciamento de imagem do lutador Anderson Silva, também negou ter sido contatada. “A 9ine esclarece que não tem conhecimento de nenhuma proposta feita ao seu atleta para ser garoto-propaganda de um site. Ainda que alguma proposta tivesse sido enviada diretamente ao atleta ou à 9ine, Anderson Silva não aceitaria porque a sua imagem junto aos seus fãs não condiz com a do referido site”, afirmou a empresa.

O Santos foi notificado nesta quinta sobre pedido dos advogados da família de Marcelo Teixeira para que a Vila Belmiro seja leilolada pela Justiça a fim de quitar uma dívida do clube com o colégio do clã do ex-presidente.
No documento, os advogados da Associação Educacional Santa Cecília afirmam que concordam com o valor estipulado para o estádio (R$ 106 milhões) e pedem a “alienação do bem em hasta (leilão) pública”.
A dívida se refere a um empréstimo bancário feito pelo Santos e avalizado pelo colégio. A nova diretoria não pagou o papagaio e a instituição bancária cobrou a escola. O débito é de aproximadamente R$ 17 milhões. Na hipótese de a Justiça aceitar o leilão, a empresa dos Teixeira ficará só com o montante equivalente à sua cobrança.
De acordo com a assessoria de imprensa de Texeira, ele não quer prejudicar o clube e afirmou estar aberto ao diálogo. Assessoria declara também que o ex-dirigente não pediu a penhora da Vila. O estádio foi oferecido como garantia de pagamento pela diretoria.
Leia abaixo o documento que pede o leilão.


Nenhum comentário: