A Beira Mar

A Beira Mar
Bar e Restaurante

quinta-feira, 13 de junho de 2019

PF indicia Lula e filho por tráfico de influência e lavagem de dinheiro

Investigação diz que Odebrecht deu dinheiro para empresa de Luís Cláudio em troca de apoio no governo. Defesa nega....

A Polícia Federal (PF ) indiciou nesta quarta-feira o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu filho mais novo, Luis Cláudio, pelos crimes de tráfico de influência e lavagem de dinheiro. O inquérito policial investigou pagamentos de R$ 10 milhões feitos por patrocinadores a uma empresa de marketing esportivo do filho do petista, que tinha capital social de R$ 1 mil. A defesa de Lula nega o crime e diz que o relatório da PF é "opinativo, com fragilidade jurídica e distanciamento da realidade dos fatos".
O indiciamento foi revelado pela TV Globo. As investigações começaram em 2017, após a delação premiada do ex-executivo da Odebrecht Alexandrino de Alencar. Ele afirmou que, em 2011, Lula, que já não era mais presidente, pediu a ajuda de Emílio Odebrecht para que Luís Cláudio iniciasse sua carreira profissional. 
Para a Lava-Jato, em troca da ajuda, a Odebrecht seria beneficiada durante o governo de Dilma Rousseff.

Já a defesa de Lula afirma que o ex-presidente "jamais solicitou ou recebeu, para si ou para terceiros, qualquer valor da Odebrecht ou de outra empresa a pretexto de influir em ato da ex-Presidente Dilma Rousseff ou de qualquer outro agente público". Os advogados dizem, ainda, que o petista não  teve nenhuma atuação nas atividades da Touchdown.
Em 2011, o filho do petista pretendia criar uma liga profissional de futebol americano por meio de sua empresa de marketing esportivo, a Touchdown. Alexandrino afirmou à Justiça que pagou R$ 2 milhões para a empresa Concept prestar serviços de consultoria a Luís Cláudio, que se comprometera a pagar R$ 120 mil.
De acordo com a PF, o valor pago pela consultoria está 600% acima da média de mercado.
Segundo a defesa, as afirmações dos delatores da Odebrecht são "mentirosas". "A empreiteira jamais suportou os custos de fornecedores da Touchdown", diz nota dos advogados. Luis Claudio apresentou o contrato de prestação de serviços firmado com entre a Concept e sua empresa, "comprovando ter feito todos os pagamentos dos honorários contratados e das despesas incorridas durante a prestação dos serviços", afirma a defesa.
Os investigadores também afirmam que Luís Cláudio usou uma empresa em nome de laranja para movimentar dinheiro ilícito: uma firma de recreação e produção de doces e salgados, com capital social de R$ 1, recebeu cerca de R$ 846 mil da Touchdown em 2013.
A própria Touchdown também tem capital social incompatível com seus ganhos, de acordo com a polícia.
Os agentes federais apontam ainda que os representantes dos times que disputariam o torneio de futebol americano relataram, em depoimento, que não tiveram patrocínio anual, apesar do investimento milionário dos patrocinadores.
O relatório policial agora será analisado pelos procuradores da força-tarefa da Lava-Jato do Ministério Público Federal (MPF) de São Paulo. Eles vão decidir se oferecem denúncia contra o petista e seu filho.
Em nota, a defesa de Lula afirmou que o indiciamento "dá sequência ao lawfare praticado contra Lula e familiares. Lawfare é o nome que se dá a uma situação em que a lei é utilizada para fins políticos:
"O relatório produzido pela autoridade policial não tem qualquer implicação processual e muito menos afasta a garantia constitucional da presunção de inocência em favor do ex-Presidente Lula e de seu filho Luis Claudio."

Nenhum comentário: